10 motivos para sentir dor nos dentes

Sentir dor nos dentes é uma das experiências mais incômodas na vida de qualquer pessoa. A presença dela atrapalha a concentração, o sono, o humor e até as atividades normais do dia a dia. Existem vários motivos que podem culminar em dor nos dentes. Listamos abaixo os 10 principais motivos para dor no dente:

1 – Sensibilidade dentária à temperatura

Está quase sempre relacionada a algum desgaste do esmalte dentário que expõe a dentina e os nervos. Pode surgir em contato com alimentos bem como com bebidas quentes ou geladas. A dor é repentina e aguda.

Tratamento: evitar consumir alimentos e bebidas muito frias ou quentes. Existem no mercado cremes dentais específicos para sensibilidade dentária. O creme dental atua na superfície da dentina e nos microtúbulos dentinários como um selante mineral que ajuda a bloquear estímulos que causa dor nos dentes bem como sensibilidade.

2 – Retração gengival

A gengiva é um tecido que recobre ossos e a raiz do dente. Dessa forma tem um papel fundamental para proteção das terminações nervosas dos dentes. Quando a gengiva sofre um reposicionamento, ela pode retrair expor parte da raiz dentária, deixando os dentes suscetíveis a sensibilidade e dores principalmente ao frio /gelado, calor ou doces.

A retração gengival pode ocorrer por consequência de escovação utilizando muita força (esfregar os dentes com muita força) ou utilização de escovas com cerdas duras, ou então por problemas funcionais, como por exemplo má oclusão dentária ou bruxismo, entre outros.

Dica: gengivas retraídas expõem as raízes à ação de ácidos da alimentação como sucos de limão e laranja, que causam dores de dente (veja mais abaixo sobre erosão química).

Tratamento: escovar os dentes com movimentos suaves e sobretudo com cerdas macias para evitar o avanço da retração. O dentista precisa avaliar o que está causando a retração para indicar o tratamento mais adequado.

retração gengival
A retração gengival expõe as raízes dentárias

3 – Cárie dentária

A cárie leva à deterioração do esmalte dentário por atividade bacteriana (Streptococcus mutans) presente principalmente na placa bacteriana e no tártaro aderida na superfície dentária.

Em casos avançados, a cárie atinge estruturas mais profundas do dente, como por exemplo dentina, raiz, gengiva e osso. A dor relacionada a cárie avançada pode ser mais constante (pontadas) do que as dores de sensibilidade que são mais repentinas.

Tratamento: visitas regulares ao dentista ajudam certamente a identificar cáries em estágio inicial. Cáries avançadas precisam ser avaliadas pelo dentista que irá indicar o tratamento mais adequando, que pode ser desde uma simples restauração, até o tratamento de canal.

4 – Gengivite (infecção gengival) e Periodontite

A gengivite é caracterizada por causar inflamação, vermelhidão e até sangramento na gengiva. Isso ocorre por irritação na gengiva em razão de atividade bacteriana, normalmente presente na placa e tártaro que se acumulam nos dentes por consequência de má escovação e maus hábitos de higiene bucal.

A gengivite também é um forte sintoma de doença periodontal, que é quando as bactérias atingem outras estruturas dos dentes, como por exemplo raiz e osso.

A deterioração dos ossos deixa os dentes moles e eles podem até cair, sendo que a dor das gengivas em geral é um latejamento.

Tratamento: visitas regulares ao dentista ajudam a identificar gengivite e periodontite em estágio inicial. O tratamento adequado depende do grau do problema. Pode ir desde uma simples limpeza profissional para remover os focos infecciosos, até a extração dos dentes moles para substituição com implantes dentários.

5 – Erosão dentária mecânica ou química

Uma dieta rica em alimentos e bebidas ácidas (erosão química), escovação excessiva dos dentes (erosão mecânica) e outros fatores estão entre as principais causas da erosão dentária.

Nesta condição, o esmalte que reveste e protege os dentes começa a se desgastar, porém não é capaz de se recompor. Por consequência há exposição da dentina, o que pode levar a uma dor aguda.

Dica 1: consumir sucos ácidos como limão ou laranja com frequência aumenta muito a sensibilidade dentária! Não exagere!

Dica 2: escovar os dentes com carvão desgasta o esmalte dos seus dentes!

Tratamento: para evitar o problema ou piora, recomenda-se reduzir a ingestão de alimentos ácidos, beber bastante água e escovar os dentes após as refeições.

6 – Fratura no dente

Dependendo do tipo de fratura dental, a dentina pode ficar parcialmente exposta e causar sensibilidade dor.

Tratamento: precisa ser avaliado por um dentista para indicar a conduta mais adequada para dentes quebrados, que pode variar entre uma restauração de resina, um tratamento de canal, uma coroa dentária ou até indicar a extração do dente.

fratura dental
A fratura dental pode deixar os dentes doloridos

7 – Infecção sinusal ou sinusite

Ao passo que seios se inflamam e se enchem de pressão da infecção, eles podem comprimir as terminações nervosas dos dentes e causar dores.

Tratamento: precisa de avaliação médica ou odontológica para ministrar os medicamentos necessários (ou procedimentos).

8 – Bruxismo e ranger de dentes

Distúrbio parafuncional que leva ao portador a ranger os dentes ou aperta-los. Sem tratamento, o bruxismo causa desgaste dos dentes, retração gengival e sobrecarga não apenas nos dentes, como também nas articulações (ATM) e músculos faciais.

Tratamento: precisa de avaliação odontológica. Pode ser indicada uma placa miorrelaxante para aliviar os sintomas e evitar a progressão do desgaste. Em alguns casos, o tratamento do bruxismo precisa envolver um trabalho multidisciplinar.

bruxismo dental
O bruxismo dental desgasta os dentes exibindo camadas internas de dentina que são mais sensíveis

9 – Procedimentos dentários

Restaurações recentes ou trabalhos com dentes que envolvem perfuração podem temporariamente causar dor nos dentes por tornar as terminações nervosas mais sensíveis. A sensibilidade de um procedimento de restauração dentário pode durar até duas semanas.

Tratamento: o dentista precisa avaliar cada caso para indicar uma conduta.

10 – Clareamento dos dentes

Alguns tipos de clareamento dental podem causar sensibilidade temporária, mas a boa notícia é que ela deve desaparecer em poucas horas. Leia sobre clareamento dental sem sensibilidade.

Tanto o clareamento dental caseiro como o clareamento a laser podem promover algum grau de sensibilidade nos dentes (leve). Entre em contato com o dentista se tiver:

  • Dor de dente que dura mais de 48 horas
  • Dor latejante ou aguda, dor nos dentes que não desaparece ou então dor que não cede com analgésicos
  • Enxaqueca ou dor de cabeça que se estende aos dentes
  • Dor no dente acompanhada de febre

Se estiver com dor nos dentes, procure o dentista. Embora geralmente não represente uma emergência odontológica, os dentes devem ser examinados por um dentista para descartar algumas das causas mais graves.

Não descuide da sua saúde bucal. Agende sua consulta com a nossa equipe.

Como cuidar dos dentes do bebê, os dentes de leite

Os cuidados com a saúde bucal, antes mesmo de nascer os primeiros dentes de leite, geram benefícios para toda a vida. A dentição infantil passa por diferentes fases. Cada uma com sua importância e que exigem cuidados específicos para se obter uma dentição forte para toda a vida. Vamos começar abordando como cuidar dos dentes do bebê, os dentes de leite. E veremos como lidar com as diferentes fases da dentição.

Orientação para saúde bucal nos primeiros meses de vida

A saúde bucal é sem dúvida fundamental para a saúde em geral, já que tem papel em diversas funções, principalmente para a nutrição, a fala, desenvolvimento ósseo, para a estética e para o psicológico. Além disso os dentes decíduos, os chamados “de leite”, servirão como uma espécie de guia para a erupção dos dentes permanentes. Sem estes, os dentes permanentes podem nascer desalinhados, afetando diretamente a função mastigatória e a estética, podendo, nesse sentido, exigir posteriormente tratamentos ortodônticos ou mesmo de implantes dentários na fase adulta. Dessa forma, é muito importante que se mantenha o esforço em preservar os dentes do bebê, e evitar a ocorrência de cáries nesta primeira dentição.

A gestante já pode se orientar antecipadamente quanto às necessidades de cuidados com os dentes de seu bebê que vem chegando. Para mais informações, clique aqui.

Importância da amamentação para a dentição e saúde bucal

Os efeitos da amamentação geram benefícios até mesmo em longo prazo e é certamente muito importante para o crescimento e o desenvolvimento de estruturas bucais e faciais. Entre estes benefícios estão: mandíbula, ossos, articulações (ATMs), boa oclusão das arcadas, para o palato (céu da boca).

Além disso ajuda dar tonicidade muscular para mastigação e fonação, melhora as funções de sucção, respiração e deglutição. Para se ter uma ideia, cerca de vinte músculos orofaciais da criança trabalham ativamente no momento em que são realizados os movimentos para sucção do leite.

O uso de chupetas interfere na dentição e na saúde bucal?

Em princípio, o uso de chupeta não é recomendado pela maioria dos pediatras e odontopediatras, pois ela pode alterar a sucção, a respiração e a fala, causaria alterações nos arcos dentais e na musculatura facial.

Também na oclusão (mordida aberta, falta de contato nos dentes da frente) e precisar de um tratamento ortodôntico no futuro, além de ser uma fonte de contaminação, caso não haja higienização adequada.

Ou também pode estar associada ao desmame precoce por gerar uma confusão de bicos no bebê levando-o a uma sucção não nutritiva.

Como cuidar dos dentes do bebê, os dentes de leite (dentes decíduos)

Ainda assim, caso o uso da chupeta seja necessário, deverá ser por orientação do pediatra e preferencialmente no menor tempo possível. Ela deve ser oferecida apenas após a amamentação e a completa saciedade do bebê. Dessa maneira, o dispositivo supriria apenas a necessidade de sucção não saciada no decorrer da amamentação.

Higienização bucal e escovação dos primeiros dentinhos

Antes que erupcione o primeiro dente do bebê, já é recomendado realizar a higiene da boquinha do bebê. Pode ser por meio de uma gaze ou tecido macio, umedecidos em água filtrada ou previamente fervida. Ajuda a remover resíduos de leite na gengiva, língua e bochechas.

Quando os primeiros dentes começarem a erupcionar, acima de tudo, passam a demandar uma atenção especial em sua higienização. Recomenda-se que, primordialmente, haja esforço em evitar o hábito da famosa mamadeira noturna, aquela onde o bebê toma a mamadeira e em seguida adormece, sem qualquer higienização dos dentinhos. Os líquidos como leite, ou fórmula, e sucos, podem conter açúcar e ácidos que ocasionam a erosão do esmalte e sua decomposição, e como resultado, as primeiras cáries infantis podem aparecer.

Além disso, deve-se evitar compartilhar utensílios com as crianças, como talheres e copos, e sobretudo, não dar beijo em seus lábios. O objetivo é evitar a contaminação com bactérias que se encontram em nossa mucosa.

Primeira dentição sintomas

Na fase de erupção dos primeiros dentes (decíduos ou de leite), quatro incisivos inferiores, seguidos dos quatro incisivos no maxilar, geralmente surgem alguns sintomas.

Alguns são: o aumento da salivação, coceira, inchaço e vermelhidão gengival, vontade de morder, febre baixa, alterações de apetite e do sono, diarreia e irritabilidade no bebê.

Para alivio dos sintomas no nascimento dos dentes do bebê, podem ser utilizados mordedores frios e alimentos firmes e frios. Podem ser utilizados, por exemplo, pepino ou frutas cortadas em forma de palito, caso a ingestão de alimentos já esteja liberada pelo pediatra.

Também pode ser realizada massagens na gengiva com dedeiras ou gaze embebida com chazinho de camomila gelado. Para utilização de remédio para primeira dentição do bebê/remédio dente bebê nascendo, ou na ocorrência de febre e outras manifestações mais sérias, o pediatra ou odontopediatra devem ser consultados.

Logo após a erupção do primeiro dente (costuma aparecer entre o terceiro e o sexto mês de vida da criança), os pais devem realizar a higienização com uma gaze ou tecido macio umedecido em água filtrada, fervida. Também podem ser utilizadas dedeiras de borracha ou silicone, duas a três vezes ao dia. Nessa fase, a criança não deve ir dormir sem ser realizada essa higienização.

Nunca utilize açúcar ou adoçantes na mamadeira de seu bebê!

Com o passar dos meses, os pais devem adquirir segurança para iniciar a higienização com a escova dental de cerdas macias. A introdução da escova na higienização bucal deve ocorrer antes da fase de erupção dos molares – 14 a 20 meses de idade.

No mercado existem escova de dente para bebê e crianças, com certas e tamanho adequadas para diferentes faixas etárias (a partir de 4 meses de idade).

Creme dental e flúor, podem ser utilizados por crianças? Qual usar para cuidar dos dentes do bebê?

Atualmente, existem diversos tipos de cremes dentais, cada um indicado para uma faixa etária da criança. Com o intuito de adequar cada creme dental à necessidade de cada etapa do desenvolvimento, eles diferenciam-se pela concentração de flúor. A gradação da concentração aumenta conforme o crescimento da criança. Da mesma forma que a escolha do creme dental exige atenção, a quantidade a ser utilizada em cada escovação também ser levada em consideração: até os três anos de idade, a quantidade não deve ultrapassar ao tamanho de um grão de arroz cru.

A partir dos três anos, o tamanho deve ser aumentado a equivalência de uma ervilha pequena. Felizmente temos no mercado alguns tipos de pasta de dente para bebê e crianças.

Quando levar a criança ao dentista?

Em alguns casos, quando o pediatra identifica anormalidades na boca do recém-nascido, ou alguma dificuldade para amamentação e por consequência ganho de peso baixo, além do um médico pediatra, um profissional de odontopediatria também pode ser consultado para obter orientações. Sobretudo, é importante ter em mente que a saúde bucal envolve não somente os dentes, mas a gengiva e os lábios.

No entanto, em geral, é recomendado que a primeira consulta odontológica seja realizada antes do primeiro ano da criança. Com o intuito de uma verificação preventiva, estas primeiras consultas visam orientar os pais sobre a correta higienização, e as fases vindouras da dentição, para que os pais possam se preparar para as mudanças nos dentes do bebê. Como tratamento preventivo, podem ser realizadas profilaxias ( limpeza ), aplicação de selantes ou uso de flúor tópico.

Como reduzir os riscos de cárie nos dentes de leite?

Para reduzir o risco de cárie dentária, os profissionais de saúde devem ser consultados principalmente para obter aconselhamento sobre escovação adequada dos dentes da criança e nutrição, controlando dessa maneira o acumulo de placa bacteriana e a redução o consumo de açúcar da dieta.

Quando a criança já for liberada pelo pediatra para ingerir alimentos, o controle do que será oferecido à criança, é de extrema importância, tanto nesta fase inicial, quanto ao longo de toda a infância. Inegavelmente , crianças que se alimentam com consumo excessivo de açúcares, terão reflexos diretos em sua saúde bucal.

Problemas que podem surgir na primeira dentição se não tiver os devidos cuidados:

  • Cárie – causada por bactérias
  • Erosão – causada por consumo excessivo de alimentos industrializados açucarados e ácidos (refrigerantes, biscoitos, sucos prontos, etc)
  • Problemas de oclusão e formação dentária

Leia sobre alimentos que fazem bem para os dentes

Fraturas nos dentes de leite: o que fazer?

Em primeiro lugar, procurar a parte do dente quebrado para descartar a ingestão acidental. Colocá-lo em leite ou soro fisiológico para que, se possível, o dentista possa reimplantá-lo.

Procurar um dentista especializado em odontopediatria para avaliar o grau de comprometimento do dente e tomar as condutas adequadas para o caso.

Em alguns casos pode ser realizado um tratamento de canal com o intuito de manter a saúde do dente e guiar a erupção do dente permanente de forma natural.

No caso de perda total do dente, o dentista avaliará a melhor conduta. Mas, quase sempre optará por alguma alternativa ortodôntica, seja manter o espaço aberto com dispositivo especifico ou promover a erupção antecipada do dente permanente.

Certamente, focar-se em que os dentes decíduos se mantenham saudáveis ao longo de toda a sua vida útil, é a melhor estratégia para promover a formação saudável dos dentes permanentes. Dessa maneira, os esforços de prevenção e hábitos saudáveis, realizados já nos primeiros meses de vida da criança, darão frutos que serão colhidos ao longo de toda a vida da criança.

Se você ficou com alguma dúvida, entre em contato conosco ou então agende uma consulta.

Retratamento de canal quando tratar o canal de novo

O tratamento endodôntico, popularmente chamado de tratamento de canal é um procedimento alternativo muito importante para tentar preservar um dente com problemas na polpa ou raiz, ao invés de extraí-lo.

Retratar o canal significa fazer um tratamento de canal por segunda vez, quando o primeiro não foi eficiente.

Retratamento de canal: o que é e para que serve

Na maioria das vezes um tratamento de canal resolve a dor de um dente incômodo ou com infecções.

Entretanto, em algum momento depois desse tratamento, pode haver a necessidade de fazer um retratamento de canal, caso o primeiro procedimento não tenha tido o resultado esperado.

Motivos que levam a necessidade de retratamento de canal

Existem diferentes razões que levam à necessidade de um retratamento de canal. Um dos sinais clássicos é quando o paciente continua relatando sintomas depois do tratamento de canal, como por exemplo dores ou sensibilidade. Mas nem sempre a necessidade de retratamento é uma constatado por sintomas de dor. Exames radiológicos de acompanhamento podem mostrar uma lesão ou cisto que surgiu depois do tratamento de canal, ou seja, existe uma patologia ativa. Outra razão é quando o primeiro tratamento de canal foi realizado de forma insuficiente ou foi mal executado, seja pela dificuldade anatômica natural do dente, por falha na obturação dos canais ou falha na desinfecção.

A decisão por um retratamento de canal leva em consideração alguns critérios, especialmente se existe expectativa de que esse retratamento ainda é capaz de preservar o dente ao invés em extraí-lo. Para isso são avaliados quais são os limite para trabalho do tratamento, ou seja, até que ponto os canais podem ser explorados sem risco de perfuração ou danos às estruturas dentais. Outro ponto a ser observado é se há desvio ou obstrução no percurso do canal.

Como é feito o procedimento de retratamento de canal?

Em primeiro lugar é realizada reabertura para retirada de todo material aplicado no primeiro procedimento. Posteriormente é feita uma criteriosa desinfecção dos canais e preenchimento com nova obturação, finalizando com o fechamento. O paciente precisa estar consciente de que um retratamento de canal tem o objetivo de manter o dente, mas que no entanto tem uma taxa ligeiramente menor de sucesso do que um tratamento único bem realizado.

O tratamento de canal altera a anatomia dos canais tornando-os mais delicados, o que por consequência dificulta os trabalhos de um segundo tratamento. Cada caso deve ser estudado com critério comparando as dificuldade deste procedimento em contrapartida as expectativas de preservação do dente.

Em alguns casos quando o dente já recebeu vários tratamentos de canal sem sucesso (a dor persiste), pode haver outros problemas como micro trincas (fraturas), canais acessórios (pequenos canais), extravasamento de material para fora do dente. Estas condições podem tornar o dente insolúvel e indicar logo um implante dentário.

De fato há países nos quais os Re-tratamentos de canal estão em desuso, sendo substituídos pelo implante dentário direto, dadas as grandes chances de sucesso dos implantes odontológicos.

Dúvidas sobre o retratamento de canal

Estar com dor no dente com tratamento de canal, o que pode ser?

O dente com tratamento endodôntico não deve doer. A ocorrência de dor pode indicar que algo não está bem, quase sempre indicando a necessidade de um retratamento.

E se não sentir dor, significa que está tudo bem?

Nem sempre. Algumas vezes pode haver um problema escondido, como por exemplo uma lesão ou cisto na região periapical, ou falha de preenchimento dos canais que só podem ser visualizados em exames radiológicos. Por isso a necessidade de visitar o dentista regularmente.

Se você ficou com alguma dúvida, entre em contato conosco ou então agende uma consulta com a nossa equipe. Ficaremos felizes em recebê-lo!

Qual o tratamento após o retratamento do canal?

Após o retratamento do canal o dente precisará ser reconstruído pois estará bem fragilizado e com seu interior oco. A sequencia mais comum de tratamento de reconstrução do dente é com um núcleo dentário (pino na raiz) e uma coroa dentária de porcelana.

As principais causas de erro do dentista no tratamento dentário

O que fazer quando uma pessoa sente que houve erro em um tratamento odontológico?

Será que o dentista errou meu tratamento?

Quando um dentista especialista presta um atendimento, utiliza-se de sua formação e conhecimentos adquiridos para de alcançar os melhores resultados estéticos e funcionais dentro das possibilidades de cada caso. Portanto, o cirurgião-dentista deve avaliar bem o paciente clinicamente e ouvir seu histórico para ajudar no diagnóstico e suas expectativas com relação ao resultado do tratamento, e dessa forma oferecer um tratamento adequando e para que o paciente sinta confiança em sua proposta.

Relação de confiança entre dentista e paciente

A avaliação criteriosa é importante para mostrar de forma clara as alternativas de tratamentos que alcancem resultados mais próximos, rápidos e possíveis do esperado (pelo dentista e pelo paciente). No entanto, como em tratamentos médicos, procedimentos odontológicos também podem passar por intercorrências ou não alcançarem o resultado esperado.

Algumas vezes por falha técnicas profissionais, porém na maioria das outras vezes ocorrem reações que fogem do controle profissional, mesmo aplicando as melhores técnicas. A frustração com o resultado obtido ou então com intercorrências podem desgastar o relacionamento médico-paciente, esgarçando a relação de confiança.

Como evitar erros em um tratamento odontológico?

Acredite, os problemas que surgem durante ou após um tratamento odontológico mal sucedido não são desejados por ninguém, nem pelo dentista e principalmente pelo paciente. O fato é que dentista investiu tempo e dinheiro em sua formação e aperfeiçoamento e jamais trabalharia para prejudicar deliberadamente ao paciente, e por consequência sua carreira profissional.

Uma boa dica seria que o paciente procure sempre uma clínica odontológica com dentistas especialistas!

Muitos ainda não sabem que a odontologia evoluiu muito nos últimos anos, tornando-se similarmente à medicina, na qual cada profissional só pratica uma ou poucas especialidades. Este raciocínio é melhor e mais eficiente pois, inegavelmente, ninguém consegue ser bom em tudo, e a odontologia exige muito conhecimento e treinamento! Conheça a seguir as principais especialidades da Odontologia e alguns potenciais problemas envolvidos nos tratamentos.

Os principais erros em Endodontia (canais)

O endodontista faz o tratamento e controle das alterações dos canais dentários e seus nervos. Realizar na maioria dos casos tratamentos de canal, retratamentos e consertos de fraturas dentarias. Os erros em tratamentos de canal podem acontecer por falta de técnica profissional ou também porque muitos dentes são difíceis de tratar ou tem trincas internas intratáveis que indicam o implante dentário.

Problemas nos tratamentos de gengiva

O periodontista estuda as doenças gengivais e periodontais (ao redor do dente). Realiza a prevenção e controle da gengivite e periodontite e também pode realizar procedimentos como o implante dental, enxertos ósseos e de gengiva. A periodontia é uma ciência odontológica com bastante grau de incerteza com relação ao resultado que pode se confundir com erro do periodontista. Isto porque não só basta o periodontista realizar o tratamento, mas também que o corpo assimile os resultados, dentro de um ambiente contaminado que é a boca humana.

gengiva sangrando
Gengiva sangrando é sinal de gengivite (não é normal)

A prótese dentária e seus problemas

A reabilitação oral estuda a recuperação de dentes comprometidos, e o preenchimento dos espaços vazios de forma estética e funcional por meio de peças elaboradas externamente (prótese dentária). O especialista em prótese dentária é o protesista. A prótese dentária é uma ciência complexa e exige grande conhecimento do dentista. Nas próteses dentárias podem haver erros em quesitos estéticos, mastigatórios (oclusão funcional), de encaixe da prótese, de durabilidade (fraturas ou desgastes), biológicos (aceitação pelo corpo humano).

Dica: para evitar erros em próteses dentárias prefira um tratamento com um especialista, de preferencia que utilize técnicas de ODONTOLOGIA DIGITAL. Além disso converse o tempo todo com o dentista sobre suas sensações para que o profissional receba um feedback. No final, se não der certo, uma nova prótese dentária normalmente pode ser feita.

Falhas em Ortodontia e aparelhos dentários

O Ortodontista corrige o posicionamento de dentes, melhorando o encaixe entre os arcos dentários, utilizando aparelhos ortodônticos que podem ser móveis (alinhadores invisíveis) ou fixos aos dentes. A maioria dos erros em tratamentos com aparelho que presenciamos tem a ver com algum dos fatores a seguir:

  • Uso de aparelhos de má qualidade ou piratas; tratamento feito por dentistas sem especialização em Ortodontia (Ortodontista);
  • Falta de análise prévia da qualidade das raízes que se apresentavam doenças gengivais ou periodontais;
  • Falta de acompanhamento por um protesista / implantodontista que poderá prever um futuro implante associado.

Dica: consulte sempre um dentista especializado e utilize aparelhos de boa marca e procedência.

erros em aparelho dentario
Aparelho dentário fixo com problemas de planejamento e execução

Problemas nos implantes dentários

O especialista que faz implantes de dentes chama-se Implantodontista. O Implantodontista projeta a substituição de dentes perdidos por meio de pinos instalados dentro do osso que servem de apoio fixo para uma prótese dentária. As próteses para implantes podem ser individuais, parciais, prótese totais (arcada toda – todos os dentes), próteses fixas ou próteses móveis. A atuação do especialista em implantes abrange tanto a parte da cirurgia de instalação dos implantes dentários ou enxertos ósseos dentários, como da elaboração dos dentes (próteses dentárias). Os principais problemas na implantodontia estão relacionados a um dos fatores a seguir:

Rejeição do implante dentário por fatores do paciente ou da técnica; Doenças pré existentes do paciente como diabetes; O hábito do fumo prejudica os implantes; próteses dentárias finais fora da expectativa do paciente; defeitos ou problemas ósseos e gengivais associados aos implantes; problemas funcionais de mastigação; falta de adaptação do paciente aos implantes.

Dica: os melhores implantes dentários e materiais para enxertos ou para as próteses dentárias finais podem custar um pouco mais financeiramente mas de fato garantem o acesso a uma melhor tecnologia com mais chance de sucesso e com mais estética!

implante dentario quebrado
Implante Dentário quebrado

Converse sempre com seu dentista!

Quando um paciente acredita que o dentista errou no seu tratamento, portanto a primeira conduta deve ser conversar com seu dentista pois na maioria dos casos, houve algum problema de comunicação entre o dentista-paciente. Além disso, sem dúvidas ele é a pessoa mais interessada em entender o que houve e buscar uma solução para o caso. Porém, na falta de segurança com este profissional, a pessoa pode também procurar a opinião de outro dentista, isso é perfeitamente normal e aceitável.

Portanto se precisar de uma segunda opinião sobre seu caso, fale conosco, teremos prazer em atendê-lo, sanar suas dúvidas e propor um plano de tratamento, valores e opções de orçamento.

Em caso de dúvidas, entre em contato com nossa clínica odontológica ou então agende sua consulta.

Agende sua consulta

R. Cincinato Braga, 37 - conj. 112

Bela Vista - São Paulo-SP - Brasil

CEP 01333-011

Copyright ImplArt Odontologia 2009 - 2020

CRO-SP 9993 

Resp. Tec. Dr. Roberto A Markarian CRO-SP 73.583