Abscesso dentário é um sinal de infecção bucal

O abscesso dentário é caracterizado pelo acúmulo de pús, um líquido de cor branco-avermelhado contendo glóbulos brancos vivos ou mortos, tecido morto e bactérias, devido à uma desintegração de tecidos.

Infecção com abcesso apresenta acúmulo de pus, dor local e até mesmo dor de ouvido. Seu tratamento é de máxima urgência

O abcesso dental aparece quando uma área de tecido é infectada, mas o organismo não consegue acabar com a fonte e a infecção se dissemina.

No caso dos dentes, o abscesso pode ser resultado de um agravamento da cárie dentária, doença periodontal, trauma dental, de uma inflamação e infecção no osso ou então nos canais do dente.

Aberturas no esmalte do dente, principalmente por causa de cáries, permitem que bactérias infectem a área do canal (polpa) e dessa forma, a infecção pode atacar, inicialmente, a raiz do dente e se propagar até os ossos.

O abcesso dentário causado por um problema de canal ou dente quebrado aparece como uma bolha na gengiva, que corresponde à ponta do dente (ápice).

Sintomas do abcesso dentário

Os sintomas mais conhecidos do abscesso são: dor no local, latejamento, vermelhidão e/ou ponto amarelado na gengiva, uma bolha, dor de ouvido e febre. Também pode haver inchaço dos gânglios (íngua), inchaço no rosto e outras regiões como o pescoço e abaixo da mandíbula. É comum a pessoa pode sentir um gosto ruim na boca, mau cheiro e mau hálito.

Implantes dentários e enxertos ósseos podem apresentar abcessos dentários ?

Implantes dentários e enxertos ósseos não apresentam abcesso dentário e pús quando estão cicatrizando normalmente e estão saudáveis.

Porém em algumas situações, pode aparecer pús em enxertos e implantes. Caso o abcesso ocorra, pode indicar uma contaminação da superfície do implante, do osso ao redor ou do enxerto ósseo.

O implantodontista então deverá agir para cortar essa infecção que pode acabar levando à perda do implante dentário ou enxerto, por uma cicatrização ruim.

Na maioria dos casos bastará tomar antibióticos e o abcesso irá sumir, porém em outros casos será necessário remover o implante dentário ou então pelo menos um pouco do enxerto ósseo dentário.

Durante a cicatrização de uma cirurgia oral como na de enxertos ósseos e implante dentário, pode haver a formação de uma camada branca na gengiva que não é pús. Trata-se da casquinha de proteção da ferida que na boca é branca e sobretudo não deve ser removida !

A imagem escura na ponta do dente na radiografia representa um abcesso dentário causado por um dente cariado.

Em quais casos nos quais podem aparecer abcessos

Algumas vezes após um enxerto ósseo dentário podem sair grânulos brancos que são excedentes do procedimento de enxertia. Esses grãozinhos não são abcessos nem pus e podem ser expelidos por semanas ou meses após o procedimento.

Tratamento para abscesso dentário

Para tratar o caso, a maior recomendação é procurar o dentista e iniciar os devidos procedimentos. Normalmente, o tratamento do abscesso tem início com a abertura do canal do dente ou então com uma extração, seguido de prescrição de medicamento e controle do foco da infecção.

Se o dente com infecção estiver muito comprometido poderá ser indicada a sua extração

Não é possível tratar um caso de abscesso somente com medicamentos, sempre é necessária a intervenção profissional. Seu tratamento é de máxima urgência para dessa maneira evitar o espalhamento da infecção pelo organismo e complicações mais sérias.

Se ficou com alguma dúvida sobre abscesso dentário, entre em contato conosco ou então agende uma consulta com a nossa equipe.

Trismo – Por que sinto dificuldade para abrir a boca?

O Trismo é o termo que define quando uma pessoa não consegue abrir a boca totalmente. A boca de um paciente com trismo também pode ficar travada aberta.

A limitação na abertura da boca é uma sensação bastante desagradável, mas tem tratamento

Para se ter uma ideia, é considerado normal a pessoa que consegue uma abertura maior que 3 centímetros, enquanto que o Trismo limita a abertura de 2 a 3 centímetros em casos leves, e de apenas 1 centímetros em casos mais sérios.

Os sintomas do Trismo causam muitos incômodos e tristeza ao portador, pois dificulta necessidades simples, como por exemplo a ingestão de alimentos, a fala, a higiene oral e a realização de procedimentos odontológicos para manutenção da saúde bucal. E para piorar, algumas vezes os sintomas são acompanhados de dor ao abrir a boca. Mas qual é a causa do Trismo?

boca aberta e fechada trismo
O trismo pode causar uma mudança significativa na abertura da boca.

Quais são as causas do Trismo?

O Trismo pode surgir por consequência de espasmo muscular em razão de um quadro inflamatório e em função de aplicação de anestesia, devido a algum dano nos músculos ou nos nervos responsáveis pela abertura e fechamento da boca.

Isso pode ocorrer durante a realização de determinadas cirurgias na região da cabeça, pescoço, mandíbula ou face, ou por uma reação da radioterapia para tratamento de câncer de cabeça e pescoço, ou ainda em procedimentos cirúrgicos na face e procedimentos dentários.

Vários fatores podem causar o Trismo, por esse motivo o paciente deve ser muito bem avaliado para investigação e chegar ao diagnóstico correto do que está causando o problema, podendo ser de motivo intra ou extra-articular (dentro ou fora da articulação temporomandibular – ATM).

Causas intra-articulares do trismo:

  • Desarranjo interno da ATM (deslocamento anterior do disco articular sobre o côndilo)
  • Luxação da articulação temporomandibular (deslocamento da mandíbula)
  • Fratura intracapsular
  • Sinovite traumática (inflamação da membrana sinovial)
  • Artrite inflamatória séptica
  • Osteoartrite
  • Anquilose (imobilidade da articulação temporomandibular ou junção da articulação)
  • Formação de osteófitos (processo degenerativo articular)

Causas extra-articulares:

Também de forma bastante comum pode haver trismo após um trauma na mandíbula por acidentes ou esportes, principalmente lutas.

boca dolorida
O Trismo pode ocorrer com dores perto do ouvido e na musculatura da face que participa do fechamento da boca

Não consigo abrir a boca após cirurgia de retirada do siso

Uma das reações que pode ocorrer após uma cirurgia de extração do terceiro molar (siso) é a limitação da abertura ou fechamento da boca. Isso ocorre devido a tensão gerada durante o procedimento de exodontia, causando tensionamento dos músculos, seja pelo tempo do procedimento cirúrgico ou então pelo grau de complexidade da cirurgia.

E quanto tempo dura o Trismo siso? Felizmente essa situação é temporária e tudo voltará ao normal no decorrer da cicatrização. É importante que o paciente não force a abertura. O dentista dará orientações e se for preciso receitará um relaxante muscular para ajudar na recuperação.

Tratamento para Trismo

O tratamento depende muito do motivo que está causando o problema que como vimos são muitas e tem o propósito de reduzir ou eliminar os sintomas, principalmente corrigindo mecanicamente a função das articulações temporomandibulares.

Portanto a conduta pode ir desde entrar com uma medicação (anti inflamatórios, relaxantes musculares para relaxar a mandíbula, antibióticos, analgésicos para aliviar a dor da ATM) e compressas, até procedimentos mais demorados, como fisioterapia, sessões de laserterapia, tratamento ortodôntico e procedimentos cirúrgicos.

Se você ficou com alguma dúvida, entre em contato conosco ou então agende uma consulta com a nossa equipe odontológica. Ficaremos felizes em atende-lo!

Dente quebrado: o que fazer?

Apesar de o esmalte dentário ser uma das substâncias mais fortes do corpo, pode aparecer em algum momento um dente quebrado devido uma batida forte, um acidente, ou mastigação de objetos ou alimentos muito duros, bruxismo, ou outro motivo que gere desgaste excessivo do esmalte. O procedimento para a correção do problema deve ser avaliado em consulta, levando em consideração o tamanho da fratura.

A ocorrência de um dente quebrado é um evento bastante comum. Veja o que fazer.

O esmalte é a cobertura externa mais resistente dos dentes e lhes confere uma importante proteção. Uma fratura no esmalte do dente pode resultar em uma superfície irregular ou então dependendo da extensão, até trazer outros problemas para o dente.

Qualquer dente pode enfraquecer e quebrar, embora muitos casos ocorram com dentes posteriores (do fundo), principalmente por serem aqueles que recebem mais carga mastigatória.

Dentes enfraquecidos certamente têm mais probabilidade de quebrar do que dentes fortes. Os motivos mais frequentes de dentes fracos são por exemplo:

  • Dente quebrado por cárie
  • Restaurações grandes
  • Ranger os dentes ou então apertar os dentes (bruxismo)
  • Ingerir alimentos ou bebidas ácidas desgastam o esmalte
  • O refluxo ácido ou azia quem trazem ácido estomacal para a boca e dessa forma podem danificar o esmalte dos dentes
  • Por causa de consumo excessivo de álcool
  • Consumo excessivo de açúcar (as bactérias na boca consomem esse açúcar e liberam toxinas que atacam o esmalte dentário)
  • A idade: o esmalte dentário naturalmente diminui com o passar do tempo
  • Dentes que receberam tratamento de canal, e nos quais não se realizou núcleo intrarradicular
lente_contato_dental_antes_e_depois_46kb
Lentes de contato dentais podem ser usadas para corrigir dentes da frente desgastados ou quebrados.

Leia mais: alimentos que fazem bem para os dentes

QUE RECEBEM TRATAMENTO DE CANAL, SAO MAIS FRÁGEIS?

Dentes molares que receberam tratamento de canal ( endodôntico ) e para os quais não se realizou núcleo intrarradicular, tendem a ser mais frágeis. É muito comum um paciente relatar que “estava comendo um pão” e o dente fraturou sozinho. Isso se deve ao dente já estar enfraquecido. O procedimento protético ideal é em dentes molares para os quais se trata o canal, realizar um núcleo intrarradicular e a coroa, para garantir resistência do dente.

Em geral, a lasca não é algo tão sério como ocorre com uma fratura no dente. Ela normalmente traz mais prejuízo estético para o sorriso do que para a saúde bucal. Porém, é sempre bom buscar a ajuda de um dentista para avaliar se essa fratura pode ser reparada ou se pode trazer algum problema no futuro. Sintomas de um dente quebrado:

  • Superfície irregular quando você passa a língua sobre os dentes
  • Irritação na gengiva ou língua próximo ao dente quebrado perto da gengiva
  • Sensibilidade ou dor no dente ao morder

Tratamento de um dente quebrado

Para determinar um tratamento, o dentista deve avaliar a localização, a gravidade e os sintomas relatados pelo paciente. O esmalte é uma estrutura de proteção do dente, então a falta de parte dele pode deixa-lo desprotegido ou deixar o dente esfarelando.

É preciso se certificar de que isso não causará problemas mais sérios para este dente no futuro e não apenas pensar em como disfarçar dente quebrado. O procedimento vai depender do grau da fratura. Em casos leves, basta um polimento e acompanhamento.

Quando há comprometimento estético, uma restauração pode ser indicada para recompor e proteger o dente. A restauração pode ser feita com resina composta, porcelana ou cerâmica (esta fabricada por projeto computadorizado).

Meu dente quebrou o que fazer?

Se houver fratura do dente e puder encontrar o fragmento do dente quebrado, antes de tudo coloque-o em um copo de leite para mantê-lo úmido e procurar o dentista imediatamente. Na maioria dos casos é possível cimentar o fragmento de volta ao dente.

Nos casos em que a fratura é tão extensa e que começa a afetar a raiz do dente, ou nos casos em que o dente quebrou na gengiva, pode ocorrer uma infecção se não tiver os procedimentos necessários. Neste caso, um tratamento de canal pode ser a única saída. Alguns sintomas dessa infecção são por exemplo:

  • Dor ao comer
  • Sensibilidade ao quente ou frio
  • Febre
  • Mau hálito ou então gosto amargo na boca
  • Glândulas inchadas na área do pescoço ou então da mandíbula

Tipos de restaurações para dentes quebrados

Fragmento cerâmico – restauração ultrafina de material cerâmico que parece com a lente de contato dental, porém com formato parcial. Indicado para corrigir defeitos que acometem apenas parte da estrutura do dente.
Onlay (bloco dentário) – é uma restauração que imita a forma e a cor do dente para devolver sua forma original. O onlay é encaixado e cimentado no dente.
Coroa dentária – se os danos ao dente forem significativos, o dentista poderá recomendar uma coroa dentária completa para devolver a forma e a estética do dente.
Restauração direta em resina – restauração da cor do dente que devolver a forma natural do dente. Precisa de cuidados diários para evitar manchas e perda do brilho.

As restaurações dentárias podem durar décadas, mas depende muito de cuidados. Alguns alimentos desgastam o revestimento e o dente afetado. Restaurações em resina são as que mais precisam de cuidados para evitar alteração de cor e para não riscar. Também são as que geralmente precisam ser trocadas.

Restaurações em porcelana ou cerâmica são sobretudo mais resistentes, não mudam de cor e são fabricadas em sistemas computadorizados, com moldagem digital e confecção por impressoras 3D.

Dente quebrado preço tratamento

O valor do tratamento só pode ser fornecido em consulta presencial, pois é preciso avaliar cada caso, a extensão, a técnica e o material mais indicado para solucionar o problema.

Se você ficou com alguma dúvida sobre dente lascado ou dente quebrado, entre em contato conosco ou então agende sua consulta e venha nos conhecer. Ficaremos felizes em recebe-lo!

10 motivos para sentir dor nos dentes

Sentir dor nos dentes é uma das experiências mais incômodas na vida de qualquer pessoa. A presença dela atrapalha a concentração, o sono, o humor e até as atividades normais do dia a dia. Portanto sanar a fonte de dor e resolver os problemas que a estão causando, torna-se o objetivo principal do tratamento dentário.
Existem vários motivos que podem culminar em dor nos dentes. Listamos abaixo os 10 principais motivos para dor no dente:

1 – Sensibilidade dentária à temperatura

Está quase sempre relacionada a algum desgaste do esmalte dentário que expõe a dentina e os nervos. Pode surgir em contato com alimentos bem como com bebidas quentes ou geladas. A dor é repentina e aguda.

Tratamento: evitar consumir alimentos e bebidas muito frias ou quentes. Existem no mercado cremes dentais específicos para sensibilidade dentária, que podem ajudar a reduzir a sensibilidade. O creme dental atua na superfície da dentina e nos microtúbulos dentinários como um selante mineral que ajuda a bloquear estímulos que causa dor nos dentes bem como sensibilidade.

2 – Retração gengival

A gengiva é um tecido que recobre ossos e a raiz do dente. Dessa forma tem um papel fundamental para proteção das terminações nervosas dos dentes. Quando a gengiva sofre um reposicionamento, ela pode retrair expor parte da raiz dentária, deixando os dentes suscetíveis a sensibilidade e dores principalmente ao frio /gelado, calor ou doces.

A retração gengival pode ocorrer por consequência de escovação utilizando muita força (esfregar os dentes com muita força) ou utilização de escovas com cerdas duras, ou então por problemas funcionais, como por exemplo má oclusão dentária ou bruxismo, entre outros.

Dica: gengivas retraídas expõem as raízes à ação de ácidos da alimentação como sucos de limão e laranja, que causam dores de dente (veja mais abaixo sobre erosão química).

Tratamento: escovar os dentes com movimentos suaves e sobretudo com cerdas macias para evitar o avanço da retração. Importante é agendar uma consulta para que dentista possa avaliar o que está causando a retração para indicar o tratamento mais adequado.

retração gengival
A retração gengival expõe as raízes dentárias

3 – Cárie dentária

A cárie leva à deterioração do esmalte dentário por atividade bacteriana (Streptococcus mutans) presente principalmente na placa bacteriana e no tártaro aderida na superfície dentária.

Em casos avançados, a cárie atinge estruturas mais profundas do dente, como por exemplo dentina, raiz, gengiva e osso. A dor relacionada a cárie avançada pode ser mais constante (pontadas) do que as dores de sensibilidade que são mais repentinas.

Tratamento: visitas regulares ao dentista ajudam certamente a identificar cáries em estágio inicial. Cáries avançadas precisam ser avaliadas pelo dentista que irá indicar o tratamento mais adequando, que pode ser desde uma simples restauração, até o tratamento de canal.

4 – Gengivite (infecção gengival) e Periodontite

A gengivite é caracterizada por causar inflamação, vermelhidão e até sangramento na gengiva. Isso ocorre por irritação na gengiva em razão de atividade bacteriana, normalmente presente na placa e tártaro que se acumulam nos dentes por consequência de má escovação e maus hábitos de higiene bucal.

A gengivite também é um forte sintoma de doença periodontal, que é quando as bactérias atingem outras estruturas dos dentes, como por exemplo raiz e osso.

A deterioração dos ossos deixa os dentes moles e eles podem até cair, sendo que a dor das gengivas em geral é um latejamento.

Tratamento: visitas regulares ao dentista ajudam a identificar gengivite e periodontite em estágio inicial. O tratamento adequado depende do grau do problema. Pode ir desde uma simples limpeza profissional para remover os focos infecciosos, até a extração dos dentes moles para substituição com implantes dentários.

5 – Erosão dentária mecânica ou química

Uma dieta rica em alimentos e bebidas ácidas (erosão química), escovação excessiva dos dentes (erosão mecânica) e outros fatores estão entre as principais causas da erosão dentária.

Nesta condição, o esmalte que reveste e protege os dentes começa a se desgastar, porém não é capaz de se recompor. Por consequência há exposição da dentina, o que pode levar a uma dor aguda.

Dica 1: consumir sucos ácidos como limão ou laranja com frequência aumenta muito a sensibilidade dentária! Não exagere!

Dica 2: escovar os dentes com carvão desgasta o esmalte dos seus dentes!

Tratamento: para evitar o problema ou piora, recomenda-se reduzir a ingestão de alimentos ácidos, beber bastante água e escovar os dentes após as refeições.

6 – Fratura no dente

Dependendo do tipo de fratura dental, a dentina pode ficar parcialmente exposta e causar sensibilidade dor.

Tratamento: precisa ser avaliado por um dentista para indicar a conduta mais adequada para dentes quebrados, que pode variar entre uma restauração de resina, um tratamento de canal, uma coroa dentária ou até indicar a extração do dente.

fratura dental
A fratura dental pode deixar os dentes doloridos

7 – Infecção sinusal ou sinusite

Ao passo que seios se inflamam e se enchem de pressão da infecção, eles podem comprimir as terminações nervosas dos dentes e causar dores.

Tratamento: precisa de avaliação médica ou odontológica para ministrar os medicamentos necessários (ou procedimentos).

8 – Bruxismo e ranger de dentes

Distúrbio parafuncional que leva ao portador a ranger os dentes ou aperta-los. Sem tratamento, o bruxismo causa desgaste dos dentes, retração gengival e sobrecarga não apenas nos dentes, como também nas articulações (ATM) e músculos faciais.

Tratamento: precisa de avaliação odontológica. Pode ser indicada uma placa miorrelaxante para aliviar os sintomas e evitar a progressão do desgaste. Em alguns casos, o tratamento do bruxismo precisa envolver um trabalho multidisciplinar.

bruxismo dental
O bruxismo dental desgasta os dentes exibindo camadas internas de dentina que são mais sensíveis

9 – Procedimentos dentários

Restaurações recentes ou trabalhos com dentes que envolvem perfuração podem temporariamente causar dor nos dentes por tornar as terminações nervosas mais sensíveis. A sensibilidade de um procedimento de restauração dentário pode durar até duas semanas.

Tratamento: o dentista precisa avaliar cada caso para indicar uma conduta.

10 – Clareamento dos dentes

Alguns tipos de clareamento dental podem causar sensibilidade temporária, mas a boa notícia é que ela deve desaparecer em poucas horas. Leia sobre clareamento dental sem sensibilidade.

Tanto o clareamento dental caseiro como o clareamento a laser podem promover algum grau de sensibilidade nos dentes (leve). Entre em contato com o dentista se tiver:

  • Dor de dente que dura mais de 48 horas
  • Dor latejante ou aguda, dor nos dentes que não desaparece ou então dor que não cede com analgésicos
  • Enxaqueca ou dor de cabeça que se estende aos dentes
  • Dor no dente acompanhada de febre

Se estiver com dor nos dentes, procure o dentista. Embora geralmente não represente uma emergência odontológica, os dentes devem ser examinados por um dentista para descartar algumas das causas mais graves.

Não descuide da sua saúde bucal. Agende sua consulta com a nossa equipe.

R. Cincinato Braga, 37 - conj. 112

Bela Vista - São Paulo-SP - Brasil

CEP 01333-011

Copyright ImplArt Odontologia 2009 - 2020

CRO-SP 9993 

Resp. Tec. Dr. Roberto A Markarian CRO-SP 73.583