Dente com buraco de cárie: o que fazer?

Como a cárie se inicia?

O dente com cárie surge em consequência da atividade bacteriana (bactérias streptococcus mutans) presentes na flora bucal, especialmente na placa ou biofilme, e se alimentam de partículas alimentares, principalmente açucares. A atividade bacteriana produz um ácido que deteriora os minerais presentes nas estruturas dentais.

O dente com cárie afeta a estética bucal, especialmente carie no dente da frente há mais prejuízo para o visual, mas também afeta a saúde bucal, pois a falta de minerais torna os dentes mais frágeis e por consequência podem quebrar, ou os dentes perdem sua forma natural – deixando de cumprir um papel funcional. Quando não é tratada adequadamente, a cárie deteriora o esmalte e a dentina, causando dor e sensibilidade.

Um buraco no dente em geral indica uma cárie

Em casos mais sérios (cárie profunda), a deterioração chega até a raiz, polpa e tecido mole, e o dente pode ser totalmente perdido. Portanto é importante manter a higiene bucal adequada, visitar o dentista regularmente, para que sejam evitados problemas mais sérios ou em tempo de tratar em fases iniciais.

Mesmo com todos os cuidados de higiene bucal, muitas pessoas podem apresentar cáries e isso pode ser explicado por uma predisposição genética. Por isso a importância das visitas regulares ao dentista. Ele é capaz de identificar os primeiros sinais de desmineralização nos dentes.

Sintomas de cárie no dente

Iniciais: manchas brancas e opacas

Moderados – manchas escurecidas e desgaste do esmalte

Avançados – manchas escuras muito visíveis, perda de parte da estrutura do dente (esmalte, dentina). Dor e sensibilidade. Perda da forma natural do dente. Avanço da infecção para o interior do dente (polpa), gerando dor mais intensa e constante, já que esta região é bastante inervada. Em casos avançados, a infecção também atinge osso e gengiva, os tecidos de suporte dos dentes. Há também o risco dessa infecção cair na corrente sanguínea.

Diagnóstico de cárie

No consultório, o dentista faz uma análise da estrutura do dente, visualmente e com ajuda de uma sonda. Em alguns casos, pode ser necessário realizar uma radiografia. Nesses exames quase sempre é possível saber se o problema está estagnado ou em progressão.

Como evitar dente com cárie?

  • Reduzir o consumo de açucares
  • Escovar os dentes e usar fio dental após as refeições (pelo menos 3 vezes ao dia). A higiene bucal remove os resíduos alimentares que seriam consumidos pelas bactérias.
  • Manter a salivação. Ela equilibra a acidez na boca e mantém a mineralização dos dentes. Condições que prejudicam a produção de saliva são, por exemplo, diabetes descontrolada e alguns tratamentos quimioterápicos. Beber uma boa quantidade de água ajuda na produção de saliva.
  • Visitas regulares ao dentista para diagnóstico precoce.

Se houver dente com cárie instalada, o que fazer? Como tirar carie? Quanto tempo a carie demora para destruir o dente?

O tratamento adequado dependerá do grau do problema. Em casos iniciais, pode ser indicada a aplicação em consultório de flúor diretamente no local. O flúor possui propriedades de remineralização do dente ou pode ser indicada a aplicação de um selante fluoretado para evitar o avanço da desmineralização.

Em casos moderados – que é quando a cárie atinge o esmalte – pode ser indicada a remoção do tecido cariado e posteriormente uma restauração funcional e estética do dente com resina ou porcelana, ou seja, a recomposição da forma e da aparência do dente. É também uma forma de tentar impedir o avanço da doença.

Em casos avançados – que é quando há dente com cárie até a polpa dentária – há um estudo minucioso para realizar um tratamento que vise preservar e não extrair o dente. Quase sempre é indicado um tratamento de canal e restauração da coroa. Esse tratamento é realizado em várias sessões – entre remoção da polpa e outros tecidos mortos, desinfecção total de todos os tecidos (popularmente chamada de curativo), e a finalização com preenchimento dos canais e restauração da coroa dentária.

O dente vai precisar então de uma reconstrução maior com um tipo de prótese dentária chamada coroa de porcelana ou bloco dentário.

O dente é então preservado, porém trata-se de uma estrutura que precisa de cuidados especiais, pois essa condição deixa as paredes dentárias naturalmente mais frágeis e suscetíveis a quebra. O avanço da doença não pode ser estabelecido pois é muito variável de pessoa, depende do estilo de vida, hábitos de higiene bucal, predisposições e condições de saúde em geral.

Cáries muito avançadas podem levar à perda dos dentes

Caso a cárie tenha se extendido muito para dentro da raiz, reconstrução pode ficar inviável, levando à indicação da extração do dente e colocação de um implante dental.

Em casos de dúvida sobre dente com cárie, entre em contato conosco ou então agende uma consulta com a nossa equipe especializada. Ficaremos felizes em recebe-lo!

Clínica ImplArt realiza implantes no Hospital Oswaldo Cruz

Pensando sempre oferecer conforto e comodidade aos nossos pacientes, nós da ImplArt Odontologia estamos realizando implantes odontológicos no conceituado Hospital Alemão Oswaldo Cruz, localizado em frente a nossa clínica.

Trata-se de uma modalidade de atendimento que facilita a atenção e suporte de alguns casos especiais, como por exemplo, atenção ao paciente que se encontra internado neste hospital e que por esse motivo não consegue comparecer a nossa clínica para iniciar ou continuar seu tratamento com implantes.

A maioria dos implantes são feitos diretamente na clínica dentária sob anestesia local, porém em alguns casos é melhor fazer o implantação em ambiente hospitalar.

Quem deve fazer os implantes dentários no hospital?

Ou para cuidados de pessoas idosas / portadores de necessidades especiais com dificuldade de locomoção, ou então para pessoas que necessitam realizar seu tratamento completo com suporte clínico-cirúrgico em ambiente hospitalar, de maneira mais rápida, pelo regime intensivo em Day Clinic (com alta no mesmo dia ou internação por uma noite). Veja alguns procedimentos simples ou complexos que podem ser realizados pela nossa equipe no Hospital Oswaldo Cruz:

  • Cuidados profiláticos em pessoas com dificuldade motora ou com impossibilidade de realizar sua habitual higienização bucal
  • Profilaxia pré operatória e pós-operatório de cirurgia médica, como por exemplo em pacientes em tratamento radioterápico e/ou quimioterápico
  • Controle da dor, sangramento e infecção bucal
  • Atenção a pacientes com doenças sistêmicas que apresentem alguma complicação bucal (como por exemplo raízes residuais, periodontite)
  • Cirurgias na área de BucoMaxilar
  • Extração de dente, implante dentário e enxerto ósseo
  • Casos que precisam de intervenção integrada médica-odontológica, como por exemplo, cirurgia sob anestesia geral ou com participação de equipe multidisciplinar.
  • Cirurgias faciais, por exemplo, cirurgias ortognáticas, correção de fraturas decorrentes de traumas em face, entre outros.
  • Fobias de dentista em graus muito extremos
  • Enjôos incontroláveis com o trabalho do dentista

Se necessário, a ImplArt planeja o tratamento de casos especiais com suporte hospitalar no Hospital Oswaldo Cruz. Para saber mais detalhes, entre em contato pelo e-mail: contato@implart.com.br ou então agende uma consulta conosco.

ImplArt Odontologia

R. Cincinato Braga, 37 – Conj. 112 – Bela Vista – São Paulo/SP CEP: 01333-011

Hospital Alemão Oswaldo Cruz

R. Treze de Maio, 1815 – Bela Vista – São Paulo/SP CEP: 01327-001

O que é periodontia

Definição e visão geral da Periodontia

A periodontia é uma especialidade odontológica que envolve diferentes estruturas orais, especialmente gengivas, dentes e ossos. Um cirurgião-dentista especializado em periodontia é chamada periodontista. Um periodontista é frequentemente confundido com endodontista (especialista em canal) ou um cirurgião-dentista generalista.

Espera-se que um cirurgião-dentista clínico geral tenha certas habilidades e conhecimentos sobre causas, fatores de risco, e tratamentos semelhantes a um periodontista, principalmente porque gengivas, dentes e ossos são inter-relacionados e interdependentes. No entanto, quando o problema gengival progride e se torna mais complexo, o dentista geralmente encaminha o paciente para o periodontista.

Fases do avanço da Periodontia

Qual a diferença entre periodontia e endodontia

Qual a diferença entre Periodontia e endodontia. Por outro lado, um endodontista trabalha com raízes, canais e câmara pulpar dos dentes (nervo). Um dos serviços mais populares do endodontista é o tratamento de canal (tratamento endodôntico). O tratamento de canal é realizado quando a polpa, que contém os nervos de um dente, fica inflamada.

Para evitar causar mais danos à saúde dental, a polpa é removida de sua câmara enquanto a câmara é desinfetada e preenchida. O dente pode continuar a sobreviver sem os nervos. Para se tornar um periodontista, é necessário concluir um curso de graduação de quatro anos e prosseguir mais dois anos para obter um diploma de especialista em periodontia.

Somente após a conclusão da especialização em periodontia é que o dentista poderá obter uma certificação do conselho para praticar periodontia. Um periodontista precisa passar por cursos de aperfeiçoamento continuamente pois as técnicas de periodontia estão em contínua evolução.

Periodontistas trabalham em estreita colaboração com técnicos de radiologia, clínicos gerais e outros especialistas, como os implantodontistas e endodontistas, para ajudar os pacientes a obter um sorriso bonito e uma ótima saúde bucal. Na Clínica ImplArt temos especialistas em diversas áreas da Odontologia como a Periodontia, Implantodontia, Endodontia, Buco-maxilo facial, Ortodontia, Prótese Dentária.

Quando devo cuidar da periodontite

Os pacientes precisam se consultar para periodontia se:

  • Foram encaminhados por seus dentistas – muitas vezes, os pacientes se consultam para periodontia desde que foram encaminhados por seus dentistas clínicos gerais. O encaminhamento pode ocorrer porque o problema, como uma doença gengival, já se tornou muito grave ou muito técnico.
  • Estão procurando uma segunda opinião – muitos dentistas gerais são treinados para diagnosticar doenças gengivais, que também se enquadram no escopo dos periodontistas. No entanto, se o paciente não concordar com o programa de diagnóstico e tratamento do dentista geral ou se precisar de mais informações, ele ou ela podem se dirigir diretamente a um periodontista.

É comum que um paciente, ao receber um prognóstico ruim para algum dente, desejar salvar um dente a todo custo. Embora em alguns casos seja possível salvar um dente com estruturas periodontais comprometidas, na maioria das vezes um profissional experiente estará correto na sua indicação de extração.

Algumas terapias alternativas como enxertos, laser, raspagens podem não ter efeitos sugeridos, sendo inóquas. Como consequência de tratamentos paliativos inócuos, ou da demora em procurar a ajuda de um dentista que entenda de periodontia poderá haver o agravamento das lesões com perda óssea adicional que poderá comprometer o tratamento reabilitador com próteses dentárias maiores, enxertos ósseos adicionais e implantes dentais.

Dentes com sinais clássicos de doença periodontal: retração gengival, tártaros brancos aderidos, inflamação e sangramento gengival, mobilidade.

Outras razões para o tratamento periodontal

  • Precisam de limpeza completa – a doença periodontal se desenvolve devido ao acúmulo regular de placa nos dentes. O tártaro se forma quando os depósitos se tornam calcificados. Os tártaros podem danificar os dentes, causando a penetração de bactérias que pode levar à cárie dentária. Na limpeza profunda (raspagem dentária), o periodontista realiza procedimentos de descontaminação e alisamento radicular. No tratamento de raspagem radicular, as bolsas periodontais, que podem ser um sinal de agravamento da doença gengival, também são limpas para evitar o desenvolvimento de bactérias.
  • Precisam receber um implante dentárioum implante dentário é uma das melhores maneiras de oferecer suporte à estrutura dentária. Um paciente pode sofrer perda óssea quando o osso não tem nada para sustentar, como quando o dente já está extraído. Para evitar isso, um implante dentário, geralmente feito de titânio, é adicionado e deixado fundir com o osso. Pacientes periodontais podem receber implantes normalmente desde que exista estrutura óssea remanescente. Há maneiras de evitar que o implante se contamine por infecções que podem causar uma doença peri-implantar.

Clique e assista a um vídeo sobre a relação entre implantes e periodontia

  • Foram diagnosticados com periodontite – a periodontite é a inflamação da gengiva ou das gengivas. Ela se desenvolve quando as gengivas ficam irritadas pelo acúmulo consistente de tártaro e placa bacteriana nos dentes. Quando isso acontece, as gengivas ficam inflamadas e infectadas. Se isso não for tratado muito em breve, os problemas gengivais podem afetar os ossos e o dente pode se soltar. Embora muitos fatores possam causar ou desencadear periodontite, geralmente ocorre quando o paciente tem uma higiene dental precária, como não usar fio dental todos os dias ou não consultar um dentista pelo menos uma vez por ano.

Doenças sistêmicas e a periodontia

  • Em receptores de transplante – os transplantes de órgãos salvaram milhares de vidas, mas também podem ser arriscados mesmo depois que os pacientes já receberam os órgãos doados. A qualquer momento, o corpo pode apenas atacar e danificar o órgão recém-transplantado. Para diminuir o risco, os médicos administram medicamentos imunossupressores aos pacientes. Devido à supressão da imunidade do corpo, no entanto, diferentes problemas dentários ou doenças podem ocorrer. Geralmente, os dentistas encaminham os pacientes transplantados para periodontistas antes e após o procedimento para garantir que a boca esteja saudável.
  • Em cardiopatas – pacientes cardiopatas ou que estão em tratamentos do coração não podem ter bactérias na boca. Sabemos hoje que muitas bactérias passarão da boca ao coração ou mesmo a outros órgãos. O cardiologista muitas vezes pede ao dentista que elimine os focos dentários de infecções. Isto significa muitas vezes remover rapidamente vários dentes, logo antes de um tratamento importante como um cateterismo, um stent, ponte de safena, transplante cardíaco ou cirurgias das válvulas do coração.

Agende sua consulta

Por que estou com dentes sensíveis ao frio?

Você pode desfrutar de uma boa bebida gelada ou sorvete em um dia quente de verão. Mas se seus dentes são sensíveis ao frio, entrar em contato com esses alimentos e bebidas pode ser uma experiência dolorosa. A sensibilidade dos dentes ao frio não é incomum. De fato, milhões de adultos no Brasil experimentam algum tipo de sensibilidade dentária. Compreender as causas potenciais de dentes sensíveis ao frio é a chave para aliviar a dor. Se não tratada, a sensibilidade pode piorar e progredir até o ponto em que você evita certos alimentos e bebidas.

Quais são os sintomas de sensibilidade nos dentes?

O principal sintoma da sensibilidade dentária é o desconforto depois de comer ou beber algo frio. Essa dor (semelhantemente a choquinhos nos dentes) pode ocorrer repentinamente e o grau de sensibilidade pode ser leve, moderado ou intenso.

Algumas pessoas com sensibilidade dentária também sentem dor ao escovar ou usar fio dental, por isso é importante encontrar uma causa e iniciar o tratamento. Sentir dor ao escovar ou usar fio dental pode por consequência levar a uma falta de higiene dental adequada. Isso pode desencadear outros problemas dentários, como doenças gengivais e cáries.

Causas de sensibilidade dentária

A sensibilidade dentária pode ser menor ou indicar um problema dentário grave. Você pode sentir, mas não diagnosticar a sensibilidade dos dentes. Se você tiver alguma sensibilidade ao frio (ou calor), é importante procurar o dentista. Um exame dentário pode ajudar a determinar a causa subjacente, bem como o tratamento mais apropriado para eliminar dor e desconfortos. As causas da sensibilidade do dente ao frio podem incluir:

Escovação forte pode tirar o recobrimento de gengiva

Escovar vigorosamente os dentes com uma escova de cerdas duras pode desgastar gradualmente o esmalte dos dentes. Esta é a camada externa do dente que protege a camada interna (dentina). Dessa maneira o esmalte dentário desgastado pode gradualmente expor a camada de dentina dos dentes, que é a segunda camada onde estão as terminações nervosas. Beber ou comer algo frio pode irritar os nervos e causar dor aguda e intermitente na boca.

Alimentos ácidos provocam sensibilidade nos dentes

Alimentos ácidos também podem desgastar o esmalte dos dentes e expor terminações nervosas. Por exemplo: alimentos ácidos incluem limão, laranja, abacaxi, entre outros. Consuma alimentos ácidos com moderação, especialmente se você desenvolver sensibilidade.

Creme dental branqueador pode deixar os dentes doloridos

A pasta de dente branqueadora pode dar um sorriso mais brilhante, mas você pode ser sensível aos produtos químicos desses agentes branqueadores. No entanto o uso regular de clareadores pode causar desconforto e sensibilidade. Enxaguantes bucais contendo álcool também podem tornar os dentes sensíveis ao frio.

Gengivite pode deixar os dentes sensíveis

Escovação regular, uso do fio dental e limpezas dentárias são importantes para remover a placa bacteriana e evitar doenças gengivais. Se a placa se acumular nos dentes ou ao longo da linha da gengiva, suas gengivas podem então ficar vermelhas e inflamadas. Eventualmente, isso pode danificar o tecido gengival, fazendo com que as gengivas retraiam e exponham as terminações nervosas na raiz.

Ranger os dentes (bruxismo)

Ranger os dentes enquanto dorme também pode desgastar o esmalte dos dentes e expor a dentina. Se não for corrigido, o ranger de dentes pode causar sensibilidade sempre que você bebe ou come algo frio. Leia mais sobre tratamento de bruxismo.

Cárie dentária

Uma cavidade não tratada ou então um preenchimento dentário desgastado também pode expor terminações nervosas em um dente. E quando exposto ao frio, você pode sentir dor ou sensibilidade no dente afetado.

Você não precisa conviver com dentes sensíveis ao frio

Estão disponíveis opções diferentes para eliminar completamente a sensibilidade. O tratamento depende da causa da sensibilidade, e é por isso que você deve conversar com o dentista e fazer um exame dentário. Os tratamentos para interromper a dor e a sensibilidade podem incluir:

Tratamento com flúor

Um tratamento com flúor pode fortalecer o esmalte dentário. Você também pode receber uma pasta de flúor de prescrição e então uma aplicação de flúor no consultório.

Mudanças na dieta

Além dos tratamentos com flúor, a eliminação da sensibilidade dentária pode exigir mudanças na dieta. Isso inclui a eliminação de alimentos ácidos da sua dieta, que podem enfraquecer o esmalte dos dentes.

Hábitos de escovação mais saudáveis

Mudar a maneira como você escova os dentes também pode controlar dentes sensíveis ao frio. Alterne de uma escova de cerdas duras para uma de cerdas macias e sobretudo não escove com muita força. Seja gentil e varie o movimento da sua escova de dentes. O sangramento leve durante a escovação pode ser um sinal de escovação muito forte.

Controle do bruxismo

Os sinais de ranger os dentes durante o sono incluem dores no rosto, dores de cabeça, dor de ouvido e uma mandíbula rígida. Converse com o dentista para ver se você precisa de um protetor bucal. Um protetor bucal impede que você ranger e cerrar os dentes. Se seu esmalte estiver desgastado, o dentista também poderá recomendar tratamentos com flúor ou uma pasta de flúor para dessa maneira fortalecer o esmalte.

Procedimentos dentários

Certos procedimentos dentários também podem aliviar a sensibilidade do dente. Nos casos de terminações nervosas expostas, o dentista pode aplicar uma resina especial para cobrir a dentina sensível e exposta e controlar sua dor. Se você tem doença gengival e recessão gengival, um enxerto cirúrgico de gengiva também pode proteger ou cobrir as raízes expostas.

Um enxerto de gengiva alivia a dor removendo o tecido da gengiva de outra parte da boca e anexando-o a uma área exposta. O dentista também pode eliminar a sensibilidade preenchendo uma cavidade ou realizando um canal radicular para remover cáries ou infecções de dentro de um dente problemático.

Desde que eu coloquei uma coroa permanente, fiquei com dentes sensíveis ao frio. Por que?

O dente pode ficar sensível ao frio devido a:

  • A mordida está alta
  • Ranger ou apertamento
  • Cimento excessivo
  • Ligeira recessão do tecido gengival expondo a borda da raiz
  • Dano no nervo

Se durar mais de algumas semanas, então você deve consultá-lo pelo seu dentista. O tratamento pode te livrar completamente da sensibilidade dentária ao frio. Converse com a nossa equipe de dentistas para principalmente chegar à raiz do problema antes de pensar nas opções de tratamento. Lembre-se de que a sensibilidade dentária pode retornar se você não modificar seus hábitos dentários.

Copyright ImplArt Odontologia 2009 - 2020

CRO-SP 9993 

 

R. Cincinato Braga, 37 - conj. 112

Bela Vista - São Paulo-SP - Brasil

CEP 01333-011