Extrair ou preservar um dente?

Quanto tempo depois de extrair um dente posso colocar implante?

Extrair ou preservar um dente requer uma avaliação criteriosa e detalhada do dentista, já que essa decisão pode ajudar ou afetar toda a arcada dentária do paciente. Um dente ausente certamente pode trazer repercussões negativas para funcionalidade e para a estética do sorriso.

São por exemplo os problemas que podem afetar os dentes: cáries extensas com envolvimento da região furca (espaço entre as raízes dentárias), fratura dentária, doença periodontal avançada, indicação ortodôntica (aparelhos), abcessos em que não há possibilidade de salvar o dente, patologias associadas ao dente (cistos) ou algum outro problema que não permita que o dente permaneça na cavidade dentária.

Existem alternativas para manter um dente?

Para tratar esses males, o dentista pode optar pela extração ou realizar tratamentos endodônticos, como o canal, que remove os microorganismos localizados no interior do canal, posteriormente o preenchimento do canal radicular com um material biocompatível, ocupando o espaço que antes era da polpa (nervo) do dente.

Com esse procedimento, quase sempre é possível salvar e manter o dente. O maior problema em extrair o dente é que ele possui um papel na arcada. Todos são indispensáveis para uma boa saúde bucal, uma mordida correta assim como para a realização de qualquer atividade do dia-a-dia.

Consequências da perda dentária sem reposição.

Quando o dente é perdido ou retirado, o local fica muito tempo exposto acontece a reabsorção óssea (o osso daquela região é reabsorvido pelo organismo), promovendo uma perda de volume ósseo. Se a reposição deste dente demorar muito para acontecer, os dentes vizinhos podem então se deslocar para tentar ocupar o espaço vazio.

Na maioria dos casos, os dentes acabam se inclinando na tentativa de preencher o espaço e consequentemente recebem uma força mastigatória inadequada, causando um desequilíbrio na oclusão dentária. Outro problema que pode surgir é a movimentação do dente oposto. Por exemplo: o paciente perde um dente posterior na arcada inferior e não o repõe.

O dente oposto da arcada superior tende a descer para preencher o espaço vazio. Esse fenômeno chama-se extrusão dentária. Vale ressaltar que a má oclusão dentária pode facilitar o aparecimento de problemas dentários, como acúmulo de placa, cáries, problemas ortodônticos bem como problemas de ATM (articulação têmporo mandibular).

Quando não é possível preservar o dente, o implante dentário é a melhor alternativa.

Quando a extração é inevitável, a melhor forma de repor um dente perdido é a colocação de implante dentário. O pino de implante tem função semelhantemente à raiz dentária. Sobre o implante é colocado uma coroa protética que imita forma, cor e função de uma coroa dentária.

Quando antes for realizada a colocação do implante após a extração, melhor é para a saúde bucal. A colocação do implante impede a reabsorção óssea. O local é reabilitado com a colocação de implante dentário trazendo vantagens estéticas e permitindo que o paciente tenha uma vida normal.

Em todos os casos, o dentista precisa realizar uma avaliação minuciosa para determinar qual é o melhor tratamento para preservar ou extrair um dente, levando em conta os possíveis resultados e os objetivos do paciente. Se você ficou com alguma dúvida, entre em contato conosco ou agende uma consulta com a nossa equipe.

antes, arcada, canal, colocação, dentária, dente, dentes, dentista, espaço, extração, extrair, implante, melhor, não, paciente, para, pode, problema, problemas, quando

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Copyright ImplArt Odontologia 2009 - 2020

CRO-SP 9993 

 

R. Cincinato Braga, 37 - conj. 112

Bela Vista - São Paulo-SP - Brasil

CEP 01333-011