Câncer bucal: como lidar?

O câncer bucal é aquele que afeta lábios e o interior da cavidade oral, o que inclui gengivas, mucosa das bochechas, mucosa do palato duro (céu da boca) e língua (principalmente as bordas), assoalho (região embaixo da língua). O surgimento de câncer em outras regiões da boca acontece princialmente em tabagistas.

O câncer bucal é mais frequente em homens acima dos 40 anos, sendo o quarto tumor mais frequente no sexo masculino na região Sudeste. Infelizmente muitos casos são diagnosticados em estágios avançados.

Números do câncer bucal no Brasil

  • Estimativa de novos casos: 14.700, sendo 11.200 homens e 3.500 mulheres (2018)
  • Números de mortes: 5.898, sendo 4.672 homens e 1.226 mulheres (2015)

Fonte: INCA – Instituto Nacional de Câncer

Fatores de risco para o surgimento de câncer bucal

  • Tabagismo: pessoas que fumam cigarro ou outros produtos derivados do tabaco, como por exemplo, cigarro de palha, de Bali, de cravo ou kreteks, fumo de rolo, tabaco mascado, charutos, cachimbos e narguilé, entre outros, tem risco muito maior de desenvolver câncer de boca e de faringe do que não fumantes. Quanto maior o número de cigarros fumados, maior o risco de câncer.
  • Consumo regular de bebidas alcoólicas.
  • Exposição ao sol sem proteção representa risco importante para o câncer de lábios.
  • Excesso de gordura corporal aumenta o risco de câncer de boca.
  • Infecção pelo vírus HPV está relacionado a alguns casos de câncer de orofaringe.
  • Exposição a determinados produtos químicos: óleo de corte, amianto, poeira de madeira, poeira de couro, poeira de cimento, de cereais, têxtil e couro, amianto, formaldeído, sílica, fuligem de carvão, solventes orgânicos e agrotóxico.
  • Maus hábitos de higiene bucal e o uso de próteses dentárias mal ajustadas também são fatores que ajudam no desenvolvimento do câncer.

Sinais de câncer bucal e tratamento

  • O principal sintoma é o aparecimento de ferida na boca ou lábios que não cicatriza por mais de 15 dias, ou que esteja crescendo/ sangrando
  • Ulcerações superficiais com menos de 2 cm de diâmetro, indolores, que podem ou não sangrar
  • Manchas/placas vermelhas ou esbranquiçadas na língua, gengivas, céu da boca ou bochechas
  • Nódulos (caroços) no pescoço
  • Rouquidão persistente

Quando a pessoa apresenta dificuldade para falar, mastigar e engolir, sente como se tivesse algo preso na garganta ou dificuldade para movimentar a língua, é preciso ficar atento, pois o câncer pode estar em estágio avançado. Se o câncer for diagnosticado, o paciente deve seguir as instruções do seu médico para que inicie os tratamentos mais eficazes. Entre as opções estão: cirurgia, radioterapia, esvaziamento cervical da parte comprometida e a quimioterapia.

Prevenção

Não descuide da saúde bucal. Visite regularmente o dentista, principalmente se for fumante. Muitas vezes somente o olhar profissional é capaz de identificar problemas em fase inicial e em tempo de serem revertidos. Além disso, para manter a saúde bucal é primordialmente recomendado:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Copyright ImplArt Odontologia 2009 - 2020

CRO-SP 9993 

 

R. Cincinato Braga, 37 - conj. 112

Bela Vista - São Paulo-SP - Brasil

CEP 01333-011