• Início

O que é periodontia

Definição e visão geral da Periodontia

A periodontia é uma especialidade odontológica que envolve diferentes estruturas orais, especialmente gengivas, dentes e ossos. Um cirurgião-dentista especializado em periodontia é chamada periodontista. Um periodontista é frequentemente confundido com endodontista (especialista em canal) ou um cirurgião-dentista generalista.

Espera-se que um cirurgião-dentista clínico geral tenha certas habilidades e conhecimentos sobre causas, fatores de risco, e tratamentos semelhantes a um periodontista, principalmente porque gengivas, dentes e ossos são inter-relacionados e interdependentes. No entanto, quando o problema gengival progride e se torna mais complexo, o dentista geralmente encaminha o paciente para o periodontista.

Fases do avanço da Periodontia

Qual a diferença entre periodontia e endodontia

Qual a diferença entre Periodontia e endodontia. Por outro lado, um endodontista trabalha com raízes, canais e câmara pulpar dos dentes (nervo). Um dos serviços mais populares do endodontista é o tratamento de canal (tratamento endodôntico). O tratamento de canal é realizado quando a polpa, que contém os nervos de um dente, fica inflamada.

Para evitar causar mais danos à saúde dental, a polpa é removida de sua câmara enquanto a câmara é desinfetada e preenchida. O dente pode continuar a sobreviver sem os nervos. Para se tornar um periodontista, é necessário concluir um curso de graduação de quatro anos e prosseguir mais dois anos para obter um diploma de especialista em periodontia.

Somente após a conclusão da especialização em periodontia é que o dentista poderá obter uma certificação do conselho para praticar periodontia. Um periodontista precisa passar por cursos de aperfeiçoamento continuamente pois as técnicas de periodontia estão em contínua evolução.

Periodontistas trabalham em estreita colaboração com técnicos de radiologia, clínicos gerais e outros especialistas, como os implantodontistas e endodontistas, para ajudar os pacientes a obter um sorriso bonito e uma ótima saúde bucal. Na Clínica ImplArt temos especialistas em diversas áreas da Odontologia como a Periodontia, Implantodontia, Endodontia, Buco-maxilo facial, Ortodontia, Prótese Dentária.

Quando devo cuidar da periodontite

Os pacientes precisam se consultar para periodontia se:

  • Foram encaminhados por seus dentistas – muitas vezes, os pacientes se consultam para periodontia desde que foram encaminhados por seus dentistas clínicos gerais. O encaminhamento pode ocorrer porque o problema, como uma doença gengival, já se tornou muito grave ou muito técnico.
  • Estão procurando uma segunda opinião – muitos dentistas gerais são treinados para diagnosticar doenças gengivais, que também se enquadram no escopo dos periodontistas. No entanto, se o paciente não concordar com o programa de diagnóstico e tratamento do dentista geral ou se precisar de mais informações, ele ou ela podem se dirigir diretamente a um periodontista.

É comum que um paciente, ao receber um prognóstico ruim para algum dente, desejar salvar um dente a todo custo. Embora em alguns casos seja possível salvar um dente com estruturas periodontais comprometidas, na maioria das vezes um profissional experiente estará correto na sua indicação de extração.

Algumas terapias alternativas como enxertos, laser, raspagens podem não ter efeitos sugeridos, sendo inóquas. Como consequência de tratamentos paliativos inócuos, ou da demora em procurar a ajuda de um dentista que entenda de periodontia poderá haver o agravamento das lesões com perda óssea adicional que poderá comprometer o tratamento reabilitador com próteses dentárias maiores, enxertos ósseos adicionais e implantes dentais.

Dentes com sinais clássicos de doença periodontal: retração gengival, tártaros brancos aderidos, inflamação e sangramento gengival, mobilidade.

Outras razões para o tratamento periodontal

  • Precisam de limpeza completa – a doença periodontal se desenvolve devido ao acúmulo regular de placa nos dentes. O tártaro se forma quando os depósitos se tornam calcificados. Os tártaros podem danificar os dentes, causando a penetração de bactérias que pode levar à cárie dentária. Na limpeza profunda (raspagem dentária), o periodontista realiza procedimentos de descontaminação e alisamento radicular. No tratamento de raspagem radicular, as bolsas periodontais, que podem ser um sinal de agravamento da doença gengival, também são limpas para evitar o desenvolvimento de bactérias.
  • Precisam receber um implante dentárioum implante dentário é uma das melhores maneiras de oferecer suporte à estrutura dentária. Um paciente pode sofrer perda óssea quando o osso não tem nada para sustentar, como quando o dente já está extraído. Para evitar isso, um implante dentário, geralmente feito de titânio, é adicionado e deixado fundir com o osso. Pacientes periodontais podem receber implantes normalmente desde que exista estrutura óssea remanescente. Há maneiras de evitar que o implante se contamine por infecções que podem causar uma doença peri-implantar.

Clique e assista a um vídeo sobre a relação entre implantes e periodontia

  • Foram diagnosticados com periodontite – a periodontite é a inflamação da gengiva ou das gengivas. Ela se desenvolve quando as gengivas ficam irritadas pelo acúmulo consistente de tártaro e placa bacteriana nos dentes. Quando isso acontece, as gengivas ficam inflamadas e infectadas. Se isso não for tratado muito em breve, os problemas gengivais podem afetar os ossos e o dente pode se soltar. Embora muitos fatores possam causar ou desencadear periodontite, geralmente ocorre quando o paciente tem uma higiene dental precária, como não usar fio dental todos os dias ou não consultar um dentista pelo menos uma vez por ano.

Doenças sistêmicas e a periodontia

  • Em receptores de transplante – os transplantes de órgãos salvaram milhares de vidas, mas também podem ser arriscados mesmo depois que os pacientes já receberam os órgãos doados. A qualquer momento, o corpo pode apenas atacar e danificar o órgão recém-transplantado. Para diminuir o risco, os médicos administram medicamentos imunossupressores aos pacientes. Devido à supressão da imunidade do corpo, no entanto, diferentes problemas dentários ou doenças podem ocorrer. Geralmente, os dentistas encaminham os pacientes transplantados para periodontistas antes e após o procedimento para garantir que a boca esteja saudável.
  • Em cardiopatas – pacientes cardiopatas ou que estão em tratamentos do coração não podem ter bactérias na boca. Sabemos hoje que muitas bactérias passarão da boca ao coração ou mesmo a outros órgãos. O cardiologista muitas vezes pede ao dentista que elimine os focos dentários de infecções. Isto significa muitas vezes remover rapidamente vários dentes, logo antes de um tratamento importante como um cateterismo, um stent, ponte de safena, transplante cardíaco ou cirurgias das válvulas do coração.

Agende sua consulta

Tratamentos para a perda óssea dentária

O que causa a perda óssea?

A perda óssea é uma consequência comum da perda de dentes e da periodontite crônica. No caso da periodontite, a bactéria devora gradualmente o osso maxilar subjacente e os ligamentos periodontais que conectam o dente ao osso. A causa mais comum de perda óssea é a perda dentária não substituída, principalmente dentes múltiplos.

O maxilar é preservado através da pressão e estímulo da mastigação. Quando isso é removido pela perda dentária, o osso reabsorve no corpo. No primeiro ano após a extração dentária, 25% dos ossos são perdidos e essa perda óssea continua.

Perda óssea

Essa perda óssea ocorre no osso circundante e de sustentação do dente, conhecido como osso alveolar. O osso alveolar forma as cristas nas quais os dentes estão inseridos. Esses sulcos se atrofiam na vertical e na horizontal. Substituir dentes por dentaduras totais ou parciais não resolve o problema, pois as dentaduras exercem uma quantidade muito pequena de pressão de mastigação no osso em comparação com os dentes naturais, tão baixa quanto 10% ou menos. A remoção dos molares na mandíbula superior pode causar reabsorção adicional do osso devido à expansão da cavidade sinusal. Sem dentes no lugar, a pressão do ar na cavidade sinusal pode então causar reabsorção do osso que reveste os seios.

Outras causas de perda óssea

  • A perda óssea também pode ser causada por dentes desalinhados, criando dessa forma uma situação em que a mastigação normal não ocorre, causando a perda do estímulo necessário para o osso.
  • Os ossos podem ser perdidos através de infecções que danificam o osso.
  • Um tumor grande na face pode exigir a remoção do tumor e parte da mandíbula.

Perda óssea e dentaduras

As dentaduras podem acelerar a perda óssea, desgastando as cristas ósseas em que são colocadas. Toda vez que você morde ou cerra os dentes, coloca pressão na crista, resultando em sua reabsorção. Esta é a principal causa de problemas contínuos na adaptação das dentaduras, de pontos doloridos e mastigação difícil ou dolorosa.

Pessoas que usam dentaduras podem sofrer outra conseqüência grave da perda óssea: colapso do terço inferior do rosto. A perda do osso da crista aproxima o queixo do nariz, fazendo com que a mandíbula se sobressaia e o nariz pareça sobressair ainda mais porque o lábio superior se enrugou. Rugas profundas aparecem ao redor da boca e as bochechas desenvolvem “mandíbulas” – pele flácida. Esse colapso facial pode parecer envelhecê-lo por muitos anos!

Prevenção da perda óssea

A perda óssea pode ser evitada dando ao maxilar um dente de substituição com uma raiz que possa exercer a mesma pressão ou similar aos dentes naturais. Isso é feito imediatamente após a extração, substituindo os dentes individuais por implantes dentários ou usando uma ponte ou prótese fixa suportada por implante.

Um implante de dente único ou uma ponte dentária com três a quatro dentes apoiados por dois implantes fornecem um poder de mastigação de 99% da força natural da mordida. Uma prótese protegida com implantes dentários, como o procedimento de dentes no mesmo dia, fornece cerca de 70% a 80% da força de mordida normal e ajuda consideravelmente na prevenção da perda óssea.

E quanto à perda de densidade óssea?

Quando os ossos perdem densidade, ficam mais porosos. A perda de densidade é muito menos comum que a perda de volume ósseo, mas é algo que precisamos observar. Os ossos podem perder densidade devido a uma variedade de fatores, incluindo dieta, desequilíbrio hormonal, doença, estilo de vida e até perda de dentes.

Podemos detectar ossos de baixa densidade antes do tempo usando o nosso scanner de TC de feixe cônico 3D para capturar imagens 3D. Quanto mais branca a cor do osso no raio X, mais densa é. Podemos então evitar essas áreas de baixa densidade ou tomar precauções usando implantes especiais com uma superfície que atraia o osso para ele, o que cria ossos mais densos ao redor do implante.

E quanto à perda de densidade óssea?

Quando os ossos perdem densidade, ficam mais porosos. A perda de densidade é muito menos comum que a perda de volume ósseo, mas é algo que precisamos observar. Os ossos podem perder densidade devido a uma variedade de fatores, incluindo dieta, desequilíbrio hormonal, doença, estilo de vida e até perda de dentes.

Podemos detectar ossos de baixa densidade antes do tempo usando o nosso scanner de TC de feixe cônico 3D para capturar imagens 3D. Quanto mais branca a cor do osso no raio X, mais densa é. Podemos então evitar essas áreas de baixa densidade ou tomar precauções usando implantes especiais com uma superfície que atraia o osso para ele, o que cria ossos mais densos ao redor do implante.

Enxerto ósseo

Nos casos em que o osso já foi perdido, pode ser necessário enxerto ósseo para fornecer osso suficiente para a colocação do implante dentário. Precisamos de altura suficiente da crista para substituir dentes por implantes e, ao substituir os dentes posteriores (molares), também precisamos de largura suficiente. Também usamos enxerto ósseo para reparar ossos danificados e perdidos ao redor de dentes que sofreram de doença gengival grave.

Um enxerto ósseo não apenas substitui o osso perdido, mas também estimula o crescimento da mandíbula e, eventualmente, substitui o enxerto ósseo pelo osso saudável do próprio paciente. Utilizamos uma variedade de tipos diferentes de material para enxerto ósseo, dependendo do paciente, incluindo novos materiais de ponta que requerem menos tempo de cicatrização.

Minimamente invasivo

Explicamos os benefícios dos implantes dentários minimamente invasivos e como eles podem impedir a perda óssea. Geralmente podemos colocar o enxerto ósseo ao mesmo tempo que o implante, a menos que a perda óssea seja severa; nesse caso, pode ser necessário realizar um procedimento separado. Eles usam métodos minimamente invasivos, incluindo um laser suave.

Levantamento de seio maxilar – Sinus Lift

Quando os dentes superiores das costas são removidos, o osso da crista reabsorve e a cavidade sinusal se expande, de modo que, eventualmente, o osso que separa a cavidade sinusal e a cavidade oral é muito fino. Os implantes dentários não podem ser colocados em ossos tão finos e, nesses casos, faremos um levantamento sinusal.

O seio é levantado empurrando suavemente a membrana que reveste o seio da mandíbula e colocando material de enxerto ósseo no espaço onde estava a cavidade do seio. Depois que o material do enxerto ósseo estiver totalmente integrado ao maxilar, podemos colocar seus implantes.

Quando a perda óssea não precisa de enxerto ósseo ou elevação dos seios nasais

Nosso tomógrafo computadorizado de feixe cônico 3D é uma ferramenta vital para avaliação da densidade óssea na mandíbula e nas estruturas ósseas circundantes. A boa notícia é que podemos ajudar muitos pacientes a obter implantes sem nenhum tipo de enxerto ósseo através do uso do nosso scanner de TC de feixe cônico 3D.

Essa tecnologia inovadora nos permite ver os dentes, mandíbula e estruturas relacionadas em uma visão completa de 360º. Podemos medir a largura e a altura exatas de suas cristas e avaliar quanto é realmente necessário o enxerto ósseo, se houver. Em muitos casos, podemos encontrar osso suficiente para usar nos implantes. O scanner 3D também nos permite realizar procedimentos como a substituição de dentes de boca cheia, o que pode ser feito usando apenas quatro implantes por arco, onde podemos tirar proveito do osso disponível.

Por que estou com dentes sensíveis ao frio?

Você pode desfrutar de uma boa bebida gelada ou sorvete em um dia quente de verão. Mas se seus dentes são sensíveis ao frio, entrar em contato com esses alimentos e bebidas pode ser uma experiência dolorosa. A sensibilidade dos dentes ao frio não é incomum. De fato, milhões de adultos no Brasil experimentam algum tipo de sensibilidade dentária. Compreender as causas potenciais de dentes sensíveis ao frio é a chave para aliviar a dor. Se não tratada, a sensibilidade pode piorar e progredir até o ponto em que você evita certos alimentos e bebidas.

Quais são os sintomas de sensibilidade nos dentes?

O principal sintoma da sensibilidade dentária é o desconforto depois de comer ou beber algo frio. Essa dor (semelhantemente a choquinhos nos dentes) pode ocorrer repentinamente e o grau de sensibilidade pode ser leve, moderado ou intenso.

Algumas pessoas com sensibilidade dentária também sentem dor ao escovar ou usar fio dental, por isso é importante encontrar uma causa e iniciar o tratamento. Sentir dor ao escovar ou usar fio dental pode por consequência levar a uma falta de higiene dental adequada. Isso pode desencadear outros problemas dentários, como doenças gengivais e cáries.

Causas de sensibilidade dentária

A sensibilidade dentária pode ser menor ou indicar um problema dentário grave. Você pode sentir, mas não diagnosticar a sensibilidade dos dentes. Se você tiver alguma sensibilidade ao frio (ou calor), é importante procurar o dentista. Um exame dentário pode ajudar a determinar a causa subjacente, bem como o tratamento mais apropriado para eliminar dor e desconfortos. As causas da sensibilidade do dente ao frio podem incluir:

Escovação forte pode tirar o recobrimento de gengiva

Escovar vigorosamente os dentes com uma escova de cerdas duras pode desgastar gradualmente o esmalte dos dentes. Esta é a camada externa do dente que protege a camada interna (dentina). Dessa maneira o esmalte dentário desgastado pode gradualmente expor a camada de dentina dos dentes, que é a segunda camada onde estão as terminações nervosas. Beber ou comer algo frio pode irritar os nervos e causar dor aguda e intermitente na boca.

Alimentos ácidos provocam sensibilidade nos dentes

Alimentos ácidos também podem desgastar o esmalte dos dentes e expor terminações nervosas. Por exemplo: alimentos ácidos incluem limão, laranja, abacaxi, entre outros. Consuma alimentos ácidos com moderação, especialmente se você desenvolver sensibilidade.

Creme dental branqueador pode deixar os dentes doloridos

A pasta de dente branqueadora pode dar um sorriso mais brilhante, mas você pode ser sensível aos produtos químicos desses agentes branqueadores. No entanto o uso regular de clareadores pode causar desconforto e sensibilidade. Enxaguantes bucais contendo álcool também podem tornar os dentes sensíveis ao frio.

Gengivite pode deixar os dentes sensíveis

Escovação regular, uso do fio dental e limpezas dentárias são importantes para remover a placa bacteriana e evitar doenças gengivais. Se a placa se acumular nos dentes ou ao longo da linha da gengiva, suas gengivas podem então ficar vermelhas e inflamadas. Eventualmente, isso pode danificar o tecido gengival, fazendo com que as gengivas retraiam e exponham as terminações nervosas na raiz.

Ranger os dentes (bruxismo)

Ranger os dentes enquanto dorme também pode desgastar o esmalte dos dentes e expor a dentina. Se não for corrigido, o ranger de dentes pode causar sensibilidade sempre que você bebe ou come algo frio. Leia mais sobre tratamento de bruxismo.

Cárie dentária

Uma cavidade não tratada ou então um preenchimento dentário desgastado também pode expor terminações nervosas em um dente. E quando exposto ao frio, você pode sentir dor ou sensibilidade no dente afetado.

Você não precisa conviver com dentes sensíveis ao frio

Estão disponíveis opções diferentes para eliminar completamente a sensibilidade. O tratamento depende da causa da sensibilidade, e é por isso que você deve conversar com o dentista e fazer um exame dentário. Os tratamentos para interromper a dor e a sensibilidade podem incluir:

Tratamento com flúor

Um tratamento com flúor pode fortalecer o esmalte dentário. Você também pode receber uma pasta de flúor de prescrição e então uma aplicação de flúor no consultório.

Mudanças na dieta

Além dos tratamentos com flúor, a eliminação da sensibilidade dentária pode exigir mudanças na dieta. Isso inclui a eliminação de alimentos ácidos da sua dieta, que podem enfraquecer o esmalte dos dentes.

Hábitos de escovação mais saudáveis

Mudar a maneira como você escova os dentes também pode controlar dentes sensíveis ao frio. Alterne de uma escova de cerdas duras para uma de cerdas macias e sobretudo não escove com muita força. Seja gentil e varie o movimento da sua escova de dentes. O sangramento leve durante a escovação pode ser um sinal de escovação muito forte.

Controle do bruxismo

Os sinais de ranger os dentes durante o sono incluem dores no rosto, dores de cabeça, dor de ouvido e uma mandíbula rígida. Converse com o dentista para ver se você precisa de um protetor bucal. Um protetor bucal impede que você ranger e cerrar os dentes. Se seu esmalte estiver desgastado, o dentista também poderá recomendar tratamentos com flúor ou uma pasta de flúor para dessa maneira fortalecer o esmalte.

Procedimentos dentários

Certos procedimentos dentários também podem aliviar a sensibilidade do dente. Nos casos de terminações nervosas expostas, o dentista pode aplicar uma resina especial para cobrir a dentina sensível e exposta e controlar sua dor. Se você tem doença gengival e recessão gengival, um enxerto cirúrgico de gengiva também pode proteger ou cobrir as raízes expostas.

Um enxerto de gengiva alivia a dor removendo o tecido da gengiva de outra parte da boca e anexando-o a uma área exposta. O dentista também pode eliminar a sensibilidade preenchendo uma cavidade ou realizando um canal radicular para remover cáries ou infecções de dentro de um dente problemático.

Desde que eu coloquei uma coroa permanente, fiquei com dentes sensíveis ao frio. Por que?

O dente pode ficar sensível ao frio devido a:

  • A mordida está alta
  • Ranger ou apertamento
  • Cimento excessivo
  • Ligeira recessão do tecido gengival expondo a borda da raiz
  • Dano no nervo

Se durar mais de algumas semanas, então você deve consultá-lo pelo seu dentista. O tratamento pode te livrar completamente da sensibilidade dentária ao frio. Converse com a nossa equipe de dentistas para principalmente chegar à raiz do problema antes de pensar nas opções de tratamento. Lembre-se de que a sensibilidade dentária pode retornar se você não modificar seus hábitos dentários.

Prótese dentária fixa com gengiva artificial – Foto

A prótese dentária fixa com gengiva artificial é indicada para reposição de dentes perdidos. Entretanto, quando uma pessoa perde um ou mais dentes, nem sempre isso ocorre de forma programada, como por exemplo, o dente pode ser perdido em um acidente ou quando por algum motivo há avançada deterioração dos tecidos.

Nestes casos, pode haver uma deformação óssea e bem como da gengiva, e por consequência disso o planejamento da prótese dentária tem que considerar a reprodução de uma gengiva artificial, principalmente com o intuito de oferecer um resultado mais harmonioso.

Este é por exemplo um caso de prótese dentária fixa com gengiva artificial, composta por três elementos dentários de porcelana dental estética. O paciente sofreu um acidente, perda dentária, fratura óssea e grande retração da gengiva. Portanto os arcos gengivais precisaram ser reproduzidos com uma camada, igualmente de porcelana.

Quais os materiais indicados para a prótese fixa em porcelana?

A prótese fixa de porcelana sobre dentes com camada de gengiva artificial (também pode ser feita em zircônia, cerâmica ou cerômero), consegue reproduzir diversos tons naturais da gengiva, conseguindo acompanhar o visual dos dentes e tecidos gengivais remanescentes.

A prótese com gengiva artificial também é uma alternativa ao paciente que não tem indicação para receber enxerto de tecido gengival, ou então que deseja um tratamento mais ágil.

Gostaria que minha prótese não tivesse gengiva artificial, é possível?

Em geral, para um paciente que sofreu perda óssea e grande remodelamento gengival, não é possível fazer uma prótese sem a camada de gengiva, principalmente porque a gengiva oferece volume ao lábio e sem ela sua boca pareceria murcha (envelhecida).

Além disso, os dentes ficariam com aparência mais alongada que um dente natural, pois a gengiva retraída é alta em virtude de atrofia óssea. Antes de mais nada, podemos realizar testes de qual tipo de prótese ficaria melhor, investindo tempo na fase de prótese provisória.

Prótese em zircônia com camada de gengiva artificial

Neste caso acima, utilizamos materiais de extrema qualidade estética para obter um resultado natural. Trata-se de uma prótese sem metais em sua composição, o que a torna mais bonita e mais natural, sem perder a resistência.

Em nossa clínica especializada realizamos o projeto digital da prótese através de sistemas computadorizados, inclusive em casos de implante da boca toda (implante total). Conheça nosso laboratório de prótese digital.

Em caso de dúvidas sobre tratamentos protéticos, tratamentos gengivais ou valores, agende uma consulta ou então entre em contato conosco. Ficaremos felizes em atendê-lo.

Copyright ImplArt Odontologia 2009 - 2020

CRO-SP 9993 

 

R. Cincinato Braga, 37 - conj. 112 CEP 01333-011

Bela Vista - São Paulo-SP -  Brasil