• Início
  • Implantodontia . Conheça as novas técnicas e tipos de materiais

Dente artificial para o dente da frente fica bom ?

Umas das situações mais constrangedoras dentre todos os problemas que podem ocorrer com os dentes, sem dúvida nenhuma é a perda de um ou mais dentes na parte da frente e a necessidade de ter um dente artificial.

Por se tratar da parte mais visível, essa é uma das situações que exige ação rápida para solucionar o problema e a pessoa sofrer o menor tempo possível.

Por quais motivos se perde o dente da frente?

A falta de dentes da frente está quase sempre relacionada com acidentes, cáries, doenças gengivais e problemas endodônticos (canal).

A destruição do dente pode também ser caracterizada como completa ou incompleta. Dependendo da situação haverá uma conduta diferente para a reconstrução do dente com uma prótese artificial.

O que fazer quando se perde um dente da frente?

É normal que haja uma preocupação excessiva nessa ocasião, levando a pessoa a pensar: perdi o dente da frente e agora, como resolver isso rápido?

Exemplo de prótese dentária projetada em 3D no computador, elaborada em nosso laboratório de prótese dentária interno.

Primeiramente, é preciso avaliar cada caso, observando-se a extensão do problema.

Por exemplo se o dente se fraturou abaixo do nível ósseo e gengival, em geral não há reconstrução possível.

Para reconstruir um dente precisamos um apoio forte para colocar uma coroa (dente artificial).

Entretanto em casos que indiquem a extração precisamos analisar ainda o estado da região ao redor.

Precisamos saber por exemplo se há fratura ou defeito ósseo, a quantidade de gengiva e como estão os dentes vizinhos, para dessa forma indicar o tratamento mais adequado.

A partir do diagnóstico, as opções vão desde ponte fixa ou ponte móvel (alternativas mais econômicas), ou até tratamentos mais eficientes como implante dentário com coroa fixa artificial.

A perda de dentes na frente pode levar pessoas a procurar por um disfarce provisório improvisado para falta de dente, mas isso não é adequado, além de trazer outros problemas a longo prazo, como por exemplo a perda óssea e prejuízo da estética.

A melhor conduta é procurar uma clínica odontológica com aparato que possibilita a resolução rápida e bem planejada desses casos.

A ImplArt Odontologia possui estrutura completa para planejar e tratar rapidamente a falta de dentes da frente. Você realiza o exame radiológico, o implante dentário e a coroa definitiva em um mesmo lugar.

Quais são as melhores coroas para dentes da frente?

Existem algumas opções de coroas artificiais para dentes da frente, e a indicação de cada modelo está condicionada ao estado dos tecidos.

Dente artificial colado sobre a raiz.

Uma das situações é: meu dente caiu e ficou a raiz, o que fazer? Nesse caso, será avaliada a resistência estrutural e a integridade dessa raiz.

Caso a raiz seja resistente, pode-se realizar um tratamento de canal e instalar um pino em seu interior (núcleo dentário), e cimentar a coroa no pino. O núcleo dental pode ser um pino de metal ou em versões mais estéticas, já oferecemos o pino de zircônia ou pino de fibra de vidro.

Para que serve afinal o pino no dente? Para dar sustentação à coroa cimentada.

Exemplo de uma coroa cimentada sobre pino. O Dente suporte que receberá a coroa deverá ser restaurado antes da colocação da coroa dentária

A coroa dentária também pode ser cimentada sobre o remanescente de um dente que foi parcialmente deteriorado ou fraturado, popularmente conhecido como jaqueta dental (pivô, pivot, coroa).

Neste caso é feito um preparo do dente e a coroa é cimentada sobre ela (sem tratar o canal). O encaixe da coroa é perfeito, pois realizamos um escaneamento do dente preparado e a coroa é fabricada em impressora 3D com base nesta moldagem digital.

Moldagem digital de dente preparado para cimentação de coroa, uma facilidade que você encontra na ImplArt Odontologia

Dente artificial com implante

Meu dente caiu inteiro/ quebrou muito, o que fazer? A melhor solução, sem dúvida é a colocação de um implante dentário e fixar uma coroa sobre ele. Esse modelo é o que mais se aproxima de um dente natural.

Conceito de uma coroa fixa sobre implante

Na clínica odontológica ImplArt em muitos conseguimos realizar esse procedimento completo de implante dentário e coroa em um dia, pois trabalhamos com implantes de alta tecnologia para cicatrização rápida e fabricamos coroas por métodos computadorizados, o que torna tudo muito mais rápido. Essa possibilidade precisa ser avaliada caso a caso.

Os materiais estéticos são as melhores escolhas para materiais artificiais nessa região

A parte frontal das arcadas é a mais visível, por isso quando há perda de alguns dentes nesta região, é essencial realizar trabalhos refinados para obtermos os melhores resultados possíveis.

Dentes artificiais para a região frontal em cerâmicas puras e translúcidas estão disponíveis em nossa clínica
Coroas de porcelana para fixar em implantes dentários e repor dentes da frente com boa estética

A escolha por materiais sem metais em sua composição é então uma questão a ser considerada. Hoje temos materiais altamente estéticos sem metais (metal free), como por exemplo os implantes de cerâmica pura que são implantes brancos, pinos de reforço feitos em zircônia ou fibra de vidro (materiais brancos), e coroas de porcelana e pilar zircônia livre de metal.

A reposição de dentes na frente quase sempre é feito com implantes de titânio e o resultado normalmente é bem satisfatório, no entanto implante de cerâmica pura e pilar branco são opções modernas para casos de alta necessidade estética.

Leia sobre implantes dos dentes da frente

Implante de cerâmica pura e componentes protéticos brancos trazem melhor estética e menor possibilidade de alergias
Planejamento computadorizado das coroas para dentes da frente

Perdi um dente permanente e não quero fazer implante, existe alternativa?

Neste caso, existe prótese dentária de um dente adesivo em resina, um dente artificial com aletas em ambos os lados.

As aletas são fixadas com resina nos dentes vizinhos, ao lado do espaço na boca. Esse método não exige preparo ou desgaste dos dentes laterais, ao contrário de uma ponte tradicional.

Se comparado ao implante e coroa fixa, a prótese adesiva possui algumas desvantagens, como por exemplo:

  • Pode se soltar em algum momento, pois o meio de retenção não é tão eficiente quanto de uma coroa fixa sobe implante.
  • A resina é um material menos resistente do que a porcelana, além disso pode arranhar e manchar ao longo do tempo.
  • A prótese adesiva não é capaz de impedir as modificações ósseas e gengivais que normalmente ocorrem depois de perder um dente. Isso significa que, em algum momento, poderá haver um comprometimento estético e funcional desta prótese, levando a necessidade de realizar sua troca.

Tratamento de canal: quando, como e porque fazer

Quando o cirurgião dentista indica um tratamento de canal, é normal que o paciente tenha receio e muitas dúvidas, principalmente porque esse tratamento está quase sempre associado a um tratamento que dói e é incomodo.

Esses são mitos muito presentes no inconsciente coletivo, mas o fato é que em muitos casos, o tratamento de canal, quando bem realizado por um profissional especializado, acaba sendo o melhor recurso para salvar o dente e mantê-lo na sua boca.

Para demonstrar que o tratamento de canal é mais tranquilo do que se imagina, reunimos logo a seguir algumas questões muito comuns acerca do tratamento de canal.

1 – Quando é necessário fazer tratamento de canal?

O tratamento de canal é geralmente indicado para os casos em que a polpa dentária está doente ou morta, quase sempre por causa de cárie (buraco no dente) que permitiu a entrada de bactérias nessa região tão sensível que deveria estar protegida pelo esmalte e pela dentina íntegros.

Observe que na cárie moderada, há alguma exposição da dentina e nesta fase o paciente já sente dor e sensibilidade. Na fase de cárie profunda, há exposição da polpa, migração de bactérias, infecção e inflamação. Por ser uma área composta por terminações nervosas e vascularização, a dor de dente se torna mais frequente nesses quadros.

Outros problemas que afetam a saúde da polpa dentária são traumas no dente ou dente quebrado.

2 – Sintomas de dente com canal inflamado

Dor de dente e sensibilidade ao toque são os sintomas mais comuns, mas ainda podem ocorrer vermelhidão na região, supuração (formação de pus), abcesso, mau hálito, dificuldade para abrir a boca, desconforto para mastigar, inchaço de gânglios do pescoço, escurecimento do dente e febre.

4 – Como é feito um tratamento de canal?

Tratamento de canal passo a passo:

Antes de mais nada, muitas pessoas perguntam se precisa de anestesia para fazer canal? Sim, todo o procedimento é feito sob anestesia. O local é cuidadosamente anestesiado para que o paciente não sinta desconforto durante o procedimento.

O cirurgião dentista realiza uma abertura na coroa do dente para acessar a polpa dentária.

Por meio dessa abertura é retirada toda a polpa danificada, infeccionada ou morta, os canais são cuidadosamente limpos e alargados com uma lima endodôntica muito fina.

Após a limpeza e preparo, a abertura do dente é fechada com uma restauração temporária para proteger a região até a próxima consulta.

A última sessão do tratamento se dá com o preenchimento dos canais e da câmara pulpar, e da retirada da restauração provisória por uma restauração definitiva.

O preenchimento dos canais (obturação) é feito com pontas de Guta, mas quando há necessidade de reforço pode-se colocar pinos de metal ou pinos plásticos.

Após a completa obturação dos canais, é fundamental restaurar o formato e a cor do dente para obter um resultado natural e harmonioso.

A restauração do dente pode ser alcançada com a instalação de um onlay, inlay ou uma coroa completa quando o dente está seriamente destruído.

Na ImplArt Odontologia conseguimos realizar todas essas restaurações em porcelana em sistema CAD/CAM, o que favorece mais agilidade ao tratamento e o resultado estético

A coroa é cimentada sobre o dente para restabelecer sua forma natural. Entretanto, se o dente estiver fraturado ou muito comprometido, pode ser necessário colocar um pino no canal para dar reforço e sustentação à coroa.

6 – Quantas sessões para fazer um canal ou tratamento de canal completo?

A quantidade de sessões até a finalização do tratamento varia de caso para caso, dependendo da extensão da lesão, do grau de comprometimento da polpa e da quantidade de canais e raízes do dente.

O tratamento de canal é normalmente realizado em algumas etapas e exige que o compareça ao consultório em dias diferentes. Mas em alguns casos, a realização do tratamento de canal em uma sessão apenas pode ser considerada pelo regime em Day Clinic. Essa possibilidade precisa avaliada caso a caso.

5 – O que é melhor extrair o dente ou fazer canal? É possível fazer canal em um dia ou canal em sessão única?

Depende de cada caso. Em consulta é realizada uma avaliação clínica e também radiológica do dente para determinar a extensão do problema e se há condições de manter o dente realizando um tratamento de canal.

Quando a extração do dente é inevitável, não há motivo para desespero, pois existe a alternativa de extrair o dente e repor com implante dentário no mesmo dia.

7 – Tratamento de canal dói?

Tratamento de canal dói após primeira sessão? Essa é uma questão que preocupa as pessoas com indicação do procedimento. A resposta é que o dentista toma todos os cuidados para diminuir qualquer desconforto durante e após o procedimento.

Após a realização de tratamento de canal, o paciente não deve mais sentir dor ou sensibilidade neste dente porque com a remoção da polpa, também são retiradas as terminações nervosas e circulação sanguínea.

Se você acredita que o dente com canal tratado está doendo ou está com o dente com canal pulsando é preciso consultar o dentista para avaliar o que está ocorrendo.

8 – Quanto tempo demora para sarar um canal?

É esperado que em poucos dias, normalmente a partir de 3 dias, haja melhora dos sintomas.  A duração depende da extensão da lesão no dente. Em alguns casos, a recuperação pode demorar mais ou menos. É fundamental tomar a medicação prescrita de acordo com a orientação do dentista.

9 – Tratamento de canal especialidade

A especialidade odontológica que realiza o tratamento de canal é a Endodontia. Embora todos os dentistas possam realizar tratamentos de canais, sempre será melhor fazê-lo com um profissional especialista. A Clínica odontológica ImplArt possui experientes endodontistas para atendê-lo.

10 – Qual a durabilidade de um canal dentário?

Os dentes com canais tratados podem durar a vida toda, quando bem realizado por um profissional especializado. Entretanto, é importante ter consciência de que este dente ainda pode ser acometido por cárie, e para evitar problemas é preciso manter uma boa higiene bucal e realizar consultas regulares ao dentista.

11 – O dente com canal tratado é um dente mais fraco?

Sim, o dente com tratamento de canal tem mais probabilidade de quebrar ou fraturar do que um dente normal. Isso ocorre pela falta de hidratação, antes suprida pela polpa, e também porque a espessura do dente e das raízes são desgastadas durante o preparo do tratamento de canal.

Por esse motivo deve-se ter cautela ao mastigar alimentos ou objetos muito duros na área do dente tratado.

12 – Curativo de canal dura quanto tempo?

A duração do curativo colocado após o tratamento de canal é de aproximadamente 2 semanas. Acontece que algumas pessoas acham que o curativo (restauração provisória) é de longa duração, postergando o retorno ao consultório para finalizar o tratamento, e algumas vezes o paciente não volta para substituir o curativo pela restauração ou coroa dentária definitiva.

O material utilizado na restauração provisória não possui resistência de longo prazo e deixar de troca-lo no tempo certo pode levar a entrada de bactérias e reinfecção dos canais. Consequentemente isto leva à perda do tratamento de canais. Em casos mais longos ainda como meses ou anos, o dente pode ser pedido por cárie interna.

13 – Qual o melhor tratamento após o canal para fechar o dente?

De uma forma geral, o dente com canal precisa ser primeiro reforçado com um pino interno chamado núcleo dentário, e posteriormente reconstruído.

A estratégia final e reconstrução vai depender do volume de dente perdido, podendo ser usado um bloco dentário (onlay), ou uma coroa dentária de porcelana.

Não é aconselhado usar restaurações comuns sobre dentes com canais pois são pouco resistentes, se infiltram com facilidade, tem baixa durabilidade e favorecem a fratura da raiz do dente.

14 – Tratamento de canal preço / Qual o valor de um tratamento de canal / Quanto custa o tratamento de canal?

Valores de tratamento odontológicos só podem ser fornecidos em consulta presencial com o dentista. É necessário avaliar cada caso para traçar um plano de tratamento, as especialidades envolvidas, os materiais que serão utilizados, etc.

A prótese de porcelana é mais pesada que a resina?

Alguns dentistas afirmam que a próteses dentárias de porcelana seriam pesadas e que, portanto, seriam pouco indicada para implantes dentários. Este conceito é antigo e já está ultrapassado, na verdade as porcelanas são os melhores materiais para próteses dentárias fixas para implantes dentários. Confira conosco os motivos:

Sua prótese dentária de porcelana pode ser leve e resistente

Quando se fala em porcelana dental, é comum que venha à nossa mente a percepção de um material mais pesado do que uma resina (plástico das dentaduras), pois associamos sua densidade a de objetos de porcelana que temos em casa.

O fato é que a porcelana dental é um material completamente diferente da porcelana que habitualmente conhecemos. Além disso, a prótese dentária de porcelana sobre implantes não é 100% composta por esse material. Vamos entender melhor a seguir.

A prótese dentária de porcelana para implantes é concebida basicamente de duas formas: a com estrutura metálica e dentes de porcelana, e a de estrutura de zircônia com dentes de porcelana.

90 % dos nossos trabalhos são de próteses dentárias de porcelana e de zircônia

Temos milhares de próteses dentárias em experiência na seleção do material ideal, realização e acompanhamento.

Prótese fixa de porcelana com estrutura metálica

Também conhecida como prótese metalocerâmica, é uma modalidade de prótese dentária em que os dentes de porcelana são aplicados sobre uma estrutura metálica de sustentação.

O material metálico utilizado como reforço no protocolo cerâmico é uma liga de cromo cobalto, que apresenta alta resistência.

Além disso uma prótese dentária protocolo cerâmico apresenta inúmeras vantagem à sua concorrente a protocolo de branemark como estética, brilho, durabilidade, eficiente mastigatória.

Observe o caso abaixo de uma prótese total superior sobre implantes dentários. Este tratamento foi realizado na Clínica ImplArt Odontologia, e a primeira imagem representa a fase de prova da estrutura metálica, em que a ela é fixada aos implantes cicatrizados para verificar o perfeito encaixe.

A segunda imagem demonstra a finalização do tratamento, já com a aplicação dos dentes de porcelana e uma camada de gengiva artificial caracterizada com a tonalidade idêntica à mucosa natural da paciente. O resultado é uma prótese bonita, confortável por ser fixa em implantes e com céu da boca livre.

Prótese de porcelana com estrutura de zircônia

A prótese dentária fixa com dentes de porcelana aplicados sobre uma estrutura de zircônia fresada é altamente resistente e possui grandes vantagens estéticas (translucidez, gradiente de cores).

O peso da zircônia é praticamente o mesmo de uma prótese com estrutura metálica, mas a vantagem estética é um diferencial bastante atrativo, pois torna q prótese dentária mais translúcida e natural.

Além disso, a zircônia é uma opção para pessoas alérgicas a metais.

Esta é prótese que foi realizada com auxílio de sistemas computadorizados na ImplArt Odontologia. A primeira imagem mostra a prova da estrutura de zircônia sobre os implantes cicatrizados, e a segunda mostra a prótese finalizada com os dentes de porcelana e discreta caracterização de gengiva.

Porque o peso da prótese é relevante ou irrelevante?

Mas com essas estruturas internas de metal ou zircônia, a prótese não vai ficar pesada?

De fato uma prótese em metalocerâmica pesa por volta de 35 gramas, enquanto que uma prótese de resina (protocolo de branemark) pesa por volta de 20 gramas e também contém metal como estruturação.

Para comparação, um pão de queijo inteiro pesa 20 gramas, o mesmo peso de um pãozinho infantil (bisnaguinha), e nem por isso ficamos com a cabeça pesada ao comê-los.

Uma diferença de 15 gramas entre os dois modelos de próteses não interfere na funcionalidade da boca, nem deixa a boca pesada. Os músculos da boca e face rapidamente se acomodarão a qualquer prótese instalada na boca do paciente.

Outro fator importante a se saber é que cada pino de implante é capaz de suportar por volta de 100kg de força sobre eles, ou seja em ordem de grandeza o peso da prótese instalada é insignificante e nem é sentido pelo implante, e por isso a prótese em si não lhe faz mal algum.

O que sim pode fazer mal a implantes são sobrecargas de forças como em pacientes com bruxismo ou em implantes com carga imediata. Essas situações transferem forças muito elevadas aos implantes e podem prejudicar-los no longo prazo.

Outro mito difundido pelos dentistas mais antigos é de que a prótese de porcelana vai fazer barulho ao mastigar. Na prática isto ocorre somente quando a oclusão (mordida) fica desalinhada, enquanto que em uma mordida normal não há ruídos anormais.

Por que as pessoas acreditam que a prótese de porcelana é pesada e que prejudicaria os implantes?

Algumas pessoas, e até mesmo alguns profissionais dentistas, acreditam que porcelana é um material muito mais pesado em relação à resina, e que isso incidiria mais força sobre os implantes, prejudicando sua cicatrização ou fixação no osso.

Acreditamos que estes conceitos vem de épocas nas quais as próteses disponíveis eram apenas removíveis e nesse caso sim o peso importava. Uma prótese pesada seria mais instável na boca do paciente e poderia cair ou se soltar.

Porém isto não ocorre com as próteses dentárias para implantes que são aparafusadas e portanto não tem a menor chance de se soltarem

O avanço tecnológico de materiais para produção em CAD/CAM nos oferece muitas opções de alto desempenho, combinando resistência e leveza. Ao mesmo tempo, aumenta a versatilidade e a facilidade na resolução de casos que antes apresentavam dificuldades.

Se você gostaria de colocar implantes dentários para utilizar uma prótese fixa que é mais confortável e bonita, agende uma consulta com a nossa equipe especializada para saber qual é o tratamento mais indicado para o seu caso.

Estudo sugere associação entre periodontite e complicações da COVID‐19

A doença gengival – periodontal pode estar associada a um aumento no risco de complicações em pessoas com COVID‐19 (vírus SARS-CoV-2). É o que revela um estudo recém publicado pela Journal of Clinical Periodontology realizado em Doha, no Qatar.

Qual a relação entre doença gengival e Covid?

O estudo avaliou 568 pacientes com diagnostico confirmado para COVID‐19. Ao final, concluiu-se que a periodontite estava associada a complicações da doença, incluindo morte, internações em UTI bem como a necessidade de ventilação assistida.

Da mesma forma, os níveis de alguns marcadores sanguíneos que indicam agravamento do quadro de COVID‐19. Por exemplo leucócitos, Dímero D (marcador para trombose venosa profunda) e PCR (proteína C reativa que indica inflamação ou infecção) foram significativamente mais elevados em pacientes com periodontite e diagnosticados com COVID-19.

Leia mais: É seguro ir ao dentista durante a pandemia de Coronavírus?

Os pacientes de COVID‐19 com periodontite que foram avaliados apresentaram níveis séricos de leucócitos e PCR significativamente mais elevados em contraste com pessoas sem periodontite. Isso poderia indicar uma possível ligação desta associação por meio de inflamação sistêmica.

Pacientes com quadro grave de COVID‐19 geralmente apresentam uma resposta imune exacerbada. Ela é caracterizada por níveis excessivos de citocinas pró-inflamatórias (tempestade de citocinas) e dano generalizado aos tecidos.

Dentes com doença periodontal podem precisar de remoção e substituição por implantes dentários

Em outros estudos, a mortalidade por COVID‐19 já foi associada a níveis elevados de interleucina‐6, PCR, Dímero D e Ferritina. Isso sugere uma ligação clara entre a gravidade da doença e uma hiper inflamação.

Ao mesmo tempo, a gravidade da infecção por COVID‐19 também está associada a comorbidades. Por exemplo, hipertensão, diabetes, doenças cardiovasculares, idade avançada e obesidade, algumas delas que já foram relacionadas com a periodontite.

Leia mais: Como o uso da Odontologia Digital auxilia na prevenção do COVID‐19

Como a periodontite interfere na saúde sistêmica?

A periodontite é uma das doenças inflamatórias crônicas não transmissíveis mais prevalentes na população. É caracterizada pela destruição de tecidos de suporte dos dentes causada por ação de bactérias presentes no biofilme bucal.

A periodontite, se não tratada, leva à perda de dentes, à inflamação crônica – que frequentemente leva à inflamação sistêmica de baixo grau. Também ao aumento dos níveis de citocinas, impactando a saúde sistêmica. Aumentaria, portanto, o risco para doenças cardiovasculares, diabetes, hipertensão, doença renal crônica, pneumonia e câncer.

Durante a epidemia de COVID você pode realizar uma pré consulta conosco por videoconferência

A doença também está associada com outros fatores de risco, como o tabagismo, estresse, dieta não saudável, controle glicêmico ou determinantes genéticos e socioeconômicos.

Existem vários estudos relatando a associação da periodontite com aumento do risco de mortalidade, especificamente relacionadas com doenças cardiovasculares, câncer, doença coronariana e doenças cerebrovasculares.

Importância do controle e tratamento da periodontite

Há evidências de que o tratamento periodontal leva à melhora do controle glicêmico em pacientes com diabetes tipo 2 e síndrome metabólica, bem como melhora da função renal associada ao diabetes. Também há melhora do equilíbrio do metabolismo de lipídeos e glicose e biomarcadores associados à aterosclerose.

O tratamento bem-sucedido da periodontite também já demonstrou melhorar os marcadores séricos de inflamação sistêmica (PCR, IL-6), bem como o controle metabólico sistêmico.

Portanto o controle e tratamento da periodontite é extremamente benéfico para a saúde em geral, permitindo que o organismo esteja saudável e pronto para combater qualquer tipo de infecção, inclusive por COVID-19.

Outras hipóteses sobre a relação entre periodontite e agravamento dos casos de COVID‐19 :

  • A aspiração de bactérias periodontopáticas pode agravar COVID‐19 induzindo a expressão da enzima conversora de angiotensina 2, um receptor para SARS‐CoV‐2 e citocinas inflamatórias no trato respiratório inferior.
  • Bactérias periodontopáticas podem aumentar a virulência do SARS-CoV-2 clivando suas glicoproteínas S e que a cavidade oral, especialmente as bolsas periodontais, poderiam atuar como reservatórios virais.
  • A produção de armadilha extracelular de neutrófilos está envolvida na patogênese de ambas as doenças, e que a forte resposta de células Th17 na periodontite grave pode exacerbar a tempestade de citocinas em COVID-19.

Artigo publicado em: https://onlinelibrary.wiley.com/doi/10.1111/jcpe.13435

Mantenha sua saúde bucal em dia. O diagnóstico e o tratamento da doença periodontal é importantíssimo para evitar problemas mais sérios, perda dos dentes, com necessidade de implantes dentais e problemas para a saúde em geral. Agende sua consulta em nossa clínica odontológica e conheça a nossa equipe.

R. Cincinato Braga, 37 - conj. 112

Bela Vista - São Paulo-SP - Brasil

CEP 01333-011

Copyright ImplArt Odontologia 2009 - 2020

CRO-SP 9993 

Resp. Tec. Dr. Roberto A Markarian CRO-SP 73.583