Tag: problemas

Placa miorrelaxante para bruxismo

Placa para bruxismo / Placa miorrelaxante / Placa de mordida / Placa interoclusal

A placa miorrelaxante é um dispositivo móvel para encaixar nos dentes. É indicado como coadjuvante no tratamento do bruxismo, principalmente para minimizar os efeitos negativos do distúrbio sobre os dentes e suas estruturas. O bruxismo é um distúrbio neuromuscular em que a pessoa inconscientemente aperta ou range os dentes durante o sono e até mesmo durante o dia. Isso gera uma atividade exagerada dos músculos faciais.

Sem o devido tratamento, o bruxismo pode levar ao desgaste dos dentes ou fraturas, problemas ósseos, gengivais e articulares (disfunção de ATM). Os sintomas de bruxismo mais comuns são dores de cabeça e pescoço, dores orofaciais, tensão e cansaço muscular, dores ou zumbido no ouvido, e em alguns casos dificuldade para abrir a boca por travamento da mandíbula. As crises estão bastante relacionadas com momentos de estresse e ansiedade.

Então a placa miorrelaxante tem o papel de restringir os movimentos dos músculos faciais e reduzir o atrito dos dentes e a força entre as arcadas, estabilizar as articulações, e dessa forma aliviar as dores e preservar os dentes e suas estruturas.

Dentes desgastados devido ao bruxismo

Tipos de placa para bruxismo

A escolha do tipo e do material da placa miorrelaxante para tratamento do bruxismo é bastante criteriosa, antes de mais nada com o propósito de melhorar os sintomas e principalmente para não haver piorar do distúrbio. 

Placa miorrelaxante rígida

Fabricada em acrílico transparente rígido com acabamento externo liso. É considerada a mais eficaz para o tratamento de bruxismo cêntrico (em que a pessoa não apresenta movimentos que desgastam os dentes) bem como bruxismo excêntrico (em que a pessoa apresenta movimentação lateral da mandíbula que causa desgaste dos dentes).

Elas possuem um espaçamento que impede que a boca se feche e induz o relaxamento dos músculos da mandíbula. Tem a função de proteger os dentes, diminuir a retração da mandíbula por meio do afastamento dos dentes e ajudar a desprogramar a ação neuromuscular. Também pode ser indicada para pessoas com dores esporádicas e para tratamento de DTM – disfunção têmporo mandibular que não apresente dores. 

Placa miorrelaxante macia

Fabricada em silicone transparente flexível. A indicação desse tipo de placa de mordida quase sempre é apenas para alivio de sintomas relacionados a problemas de ATM (articulação temporomandibular) decorrente do bruxismo, mas não indicada para quem tem bruxismo e não apresenta disfunções de ATM. Apesar do seu uso ser considerado mais confortável do que a placa acrílica, pode trazer problemas se for utilizada de forma inadequada.

A característica macia da placa pode levar o paciente inconscientemente a mastiga-la, ocasionando aumento da força muscular na mastigação, ou seja, dessa forma haveria uma piora do bruxismo e aceleração do desgaste dos dentes e estruturas se a placa macia for usada por tempo prolongado. Outra desvantagem é que o silicone é um material poroso e portanto tem mais propensão para favorecer microrganismos e bactérias. 

Como é feita a placa para bruxismo e qual é a melhor

Antes de mais nada, a placa miorrelaxante deve ser indicada apenas por um dentista após a avaliação clínica de cada pessoa. Apenas um dentista pode selecionar o material adequado para cada caso. Em geral, se for necessário usar a placa por mais de 30 dias, ela de deve ser do tipo rígida e bem ajustada. O dentista retira um molde das arcadas. Na ImplArt Odontologia o molde é digital, obtido por scanners intraorais. A placa então é confeccionada de acordo com o molde, inclusive atualmente já podem ser fabricadas por impressoras 3D.

Por quanto tempo deve ser utilizada?

O tempo de utilização depende do diagnóstico. Na maioria dos casos, deve ser usada durante todo o sono e em todas as noites. Em casos mais sérios e nos períodos de crise, pode haver indicação para utiliza-la até mesmo de dia. A pessoa recebe todas as orientações na consulta.

Duração da placa miorrelaxante – ela deve ser trocada?

A duração depende de cada caso, pois da mesma forma que a força do bruxismo tem a capacidade de destruir os dentes, também pode deteriorar a placa. Em média, a placa deve ser trocada a cada 6 a 12 meses.

Higienização – como limpar a placa miorrelaxante?

A higienização deve ser diária e sempre que não estiver em uso deve ser guardada seca e limpa para evitar proliferação de microrganismos. Para limpeza, basta usar uma escova de dentes macia exclusiva para esse fim, já que a lavagem deve ser feita com detergente neutro e não com pasta de dente (esta contém partículas micro abrasivas que arranham o aparelho).

Placa miorrelaxante vendida na internet

Não é difícil encontrar pela internet lojas virtuais que vendem aparelhos para bruxismo, no entanto é muito importante que esse tratamento seja não apenas indicado como acompanhado por um dentista. Como já dito anteriormente, o uso inadequado de uma placa de mordida pode levar a piora do distúrbio e acelerar o desgaste dos dentes e estruturas.

Leia mais: substituição de dentes perdidos por implantes dentários

Placa miorrelaxante preço

Valores de tratamentos odontológicos só podem ser passados em consulta presencial. Existem três principais razões para isso: 

  • O Código de Ética do Conselho Federal de Odontologia proíbe que dentistas realizem consultas de forma não presencial.
  • Tratamentos odontológicos só podem ser indicados depois de uma avaliação criteriosa do paciente.

Existem inúmeros fatores que influenciam no planejamento de um tratamento. Também existem diversas opções de materiais e técnicas que influenciam na composição de um orçamento. Além disso, um tratamento que pode ser indicado para uma pessoa, para outra pode não ser o mais adequado.

  • A importância de ser avaliado por um profissional dentista. Muitas vezes a pessoa acredita que está com um determinado problema, mas na realidade pode ser outro.

O cirurgião dentista é o profissional que está habilitado a olhar a saúde bucal em geral, além de dar as recomendações necessárias para manter os dentes bonitos e saudáveis ao longo da vida.

Os maiores riscos para quem faz implante dentário

O implante dentário é uma alternativa mais atual para a reposição dentária do que uma prótese fixa, ou uma prótese removível, mas podem oferecer riscos. O implante é usado ​​para repor a raiz de um dente perdido e servirá de apoio para um dente artificial chamado de prótese ou coroa. 

A prótese sobre implante é feita para se assemelhar aos demais dentes naturais da pessoa e também oferecer força de mastigação semelhante. Uma reabilitação oral com implantes dentários, normalmente é a melhor opção mas em poucos casos, podem haver alguns riscos com os implantes dentários. Conheça então os 5 maiores riscos do implante dentário : 

1 – Risco de quebra do implante

Pacientes que rangem apertam os dentes (bruxismo) podem exercer muita força nos implantes, com aumento nas chances de quebras ou fraturas nos implantes ou nas peças que compõe as próteses sobre implante. 

Nos pacientes que tem bruxismo também aumentam os riscos de soltura de parafusos que fixam a coroa do implante. Quando isso acontece, o paciente relata que o implante está “mole”. Porém não podemos confundir a prótese ficando solta, com o pino do implante se soltando do osso (que é algo muito mais grave). 

O mais comum é que quando o problema é só do dente do implante solto, o paciente não sinta dor, enquanto que na perda do implante sempre há dor. Se o implante se fraturar ou se soltar do osso, deve ser feito novamente, recomeçando o processo de implante dentário do zero. 

A culpa do meu implante ter fraturado é do dentista?

Há vários fatores a considerar, alguns deles seriam o material da prótese, o número e posicionamento dos implantes, técnica cirurgia correta, material do implante dentário, tipo de componentes protético escolhido, tipo de conexão protética escolhida. Imaginando que os profissionais trabalham tentando fazer o seu melhor, é raro que exista uma negligência nesse sentido. Por isso o que vale mesmo é a boa vontade do paciente e do profissional em recomeçarem, talvez tentando melhorar ou aperfeiçoar alguma das estratégias.

Apresentação das partes do implante dentário: implante (no osso), pilar + coroa dental (dente artificial)  

2 – Inflamação nos implantes e riscos

Podem ocorrer inflamações em um implante dentário, que se manifestam como dor, inchaço, dor ao mastigar, sangramento, e até a formação de pús no implante. Observe que em qualquer área da medicina em que se utilize uma peça artificial dentro do corpo humano pode haver uma reação adversa de rejeição. Esse fenômeno de rejeição pode ocorrer em relação ao implante dental ou a um material que se utilizou associado como um enxerto ósseo ou uma membrana protetora. Também pode ocorrer uma infecção bacteriana nos implantes que podem até impedir a integração óssea (união ao osso). 

Por esse motivo todos os tratamentos na ImplArt começam com uma limpeza oral completa, além da remoção de qualquer doença infecciosa como cáries e doença periodontal. O paciente só vai realizar a cirurgia de implante se estiver com sua boca limpa e saúde oral boa. Isto é possível mesmo que o paciente ainda não tenha todos os dentes. Com o término das próteses sobre implantes, ensinamos o paciente a higienizar corretamente o implante dentário.

Inflamações nos implantes levam a problemas estéticos, gengivais e ósseos

3 – Riscos de lesões nos nervos da face

A lesão no nervo da mandíbula pode acontecer na cirurgia do implante dentário. Na região do fundo da boca na arcada de baixo  existe um nervo, chamado que pode estar muito superficial, especialmente se o paciente está sem os dentes por muitos anos. Em pacientes com doença periodontal avançada a perda de osso pode também colocar em risco o nervo devido a sua proximidade. 

Para diminuir os riscos de lesões ao nervo e parestesia, o dentista especialista em implantes irá  realizar os exames de imagem. O exame mais pedido é a radiografia panorâmica mas uma tomografia computadorizada de feixe cônico ajuda a medir o osso e planejar o implante. 

Cirurgia guiada por computador

Para minimizar ainda mais os riscos podemos executar a cirurgia de implante total ou parcial guiada por computador, que oferece pouca invasividade e permite um perfeito posicionamento do implante, sem margem a erros. Implantes tortos ou mal posicionados podem apresentar má integração óssea ou mesmo rejeição. Não é em todos os casos que conseguimos recuperar o paciente da lesão do nervo bucal ou de implantes mal colocados. 

A depender da gravidade do problema, uma lesão no nervo da mandíbula poderá acarretar em sequelas como uma dormência no queixo ou a perda de sensibilidade na língua ou à sensação de sabores (gustação). Na ImplArt 100% dos casos são operados com tomografia computadorizada que poderá ser feita em nosso centro de radiologia próprio

Cirurgia Guiada para implante diminui os riscos de erros no posicionamento do implante dental

4 – Riscos no osso ao redor dos implantes

A perda óssea pode acontecer em um implante que sofreu infecção enquanto cicatrizava no osso. Além disso, em casos nos quais é feita a carga imediata, ou seja um dente provisório ou definitivo é colocado em posição logo após a cirurgia há mais risco de perda óssea e também do implante. Isto ocorre pois o implante recém colocado ainda não tem uma fixação ao osso madura e precisa depender exclusivamente de seu travamento mecânico no osso para se fixar. 

Na maioria das vezes, se a indicação e a técnica estão corretos a carga imediata funciona bem, mas nos casos de falha na carga imediata a consequência pode ser grave como por exemplo acarretando uma grande perda óssea na região. Existem modelos de implante dentário mais avançados que possuem melhorias para o encaixe do dente e também no química da superfície para que a cicatrização no osso ocorra mais rápido e mais eficientemente.  

Hoje temos implantes dentários que permitem a realização de um dente definitivo em 1 mês ! Conheça os modelos de implantes dentários que apresentam as melhores avanços como os Implantes Straumann, Implantes cone-morse Neodent (nacional), Implantes SIN (nacional) 

Os formatos e os modelos de implante tem a ver com as indicações clínicas

5 – Aumento nos fatores de risco – saúde e hábitos do paciente

Existem riscos para o sucesso do tratamento com implantes que não dependem do profissional nem dos materiais utilizados mas sim de fatores do paciente. Falhas na limpeza dos dentes, o hábito de fumar, a existência de diabetes aumentam a chance de problemas com o implante dental. Nesta matéria, discutimos apenas os RISCOS em implantes dentários, entretanto as taxas de sucesso do implante dentário são muito altas principalmente para as técnicas atuais da Implantodontia executada por um especialista em implante dentário. O implante dentário é um tratamento excelente, mediante boa indicação, planejamento e execução.

Venha conhecer nosso trabalho! A Clínica ImplArt tem 18 anos dedicados à implantodontia e reabilitação oral.

estética gengival

Estética Gengival

Estética gengival – Importância para o Sorriso

O sorriso gengival é caracterizado pelo tamanho ou exposição exagerada das gengivas em relação ao tamanho dos dentes. Não representa risco para a saúde, contudo pode comprometer a estética do sorriso, de tal forma que deixa algumas pessoas retraídas ao sorrir e falar, e em alguns casos é provável que atrapalhe até mesmo seu relacionamento social. Existem algumas causas do sorriso gengival, por exemplo:

  • Hereditariedade
  • Lábio curto
  • Inflamações da gengiva
  • Problemas no processo da erupção dentária
  • Freio labial denso
  • Musculatura facial deficiente
  • Excesso de tecido gengival sobre a coroa dentária
  • Face alongada 

Tratamentos para o Sorriso Gengival

A escolha do tratamento do sorriso gengival é de acordo com o grau e causa do problema. Em casos mais leves, a condição pode ser facilmente solucionada com a técnica da gengivectomia, que consiste na retirada cirúrgica do excesso de tecido gengival sobre os dentes. A cirurgia é realizada com anestesia local e a recuperação é relativamente tranquila. A cicatrização ocorre normalmente entre 7 e 14 dias e a colaboração do paciente nesse período é bastante importante.

Outro recurso é a realização do recontorno dos dentes com resina com o propósito de torná-los mais proporcionais em relação ao tamanho da gengivaEm alguns casos, a toxina botulínica (botox) pode ser indicada para diminuir a contração muscular e reduzir a exposição da gengiva quando o paciente sorri. No entanto, a aplicação da toxina precisa ser repetida periodicamente para que o efeito seja mantido.

Apenas em casos em que o sorriso gengival é causado por problemas ósseos (considerado mais complexo), não apenas a gengivectomia pode ser indicada, como também a realização de uma cirurgia ortognática.

melhora da estética gengival depois do tratamento para sorriso gengival

1-Aspecto do sorriso gengival e dentes curtos, 2-Resultado após uma gengivectomia e recontorno dos dentes com resina. Este é um exemplo de tratamento proposto, porém cada caso deve ser avaliado individualmente em consulta com o dentista. 

Peeling gengival 

A ImplArt Odontologia realiza tratamento para remoção de manchas na gengiva com a técnica de peeling gengival. As manchas na gengiva, tecnicamente conhecida por pigmentação melânica gengival, são caracterizadas por excesso de melanina (células que dão cor à pele) no tecido gengival. Podem ser de tonalidade acastanhada, acinzentada ou preta e são mais comuns em pessoas negras e asiáticas. Mas outras manchas podem surgir na gengiva por conseqüência do fumo ou do contato da gengiva com metais utilizados em alguns tipos de próteses dentárias.

Essa técnica para estética gengival é chamada de Melanoplastia e consiste na abrasão superficial do epitélio pigmentado com o auxílio de instrumentos. O procedimento é indolor, porque é aplicada sob anestesia local e também há pouco de sangramento. O peeling promove uma descamação epitelial da área pigmentada e dentro de 72 horas é esperada a formação de novo tecido com coloração mais rosada.

Em sete dias, a cicatrização será completa e a tonalidade da gengiva se tornará bem mais uniforme. O efeito do peeling gengival pode durar por anos, porém alguns pacientes podem precisar repetir o procedimento, já que a pigmentação pode retornar (principalmente se eles forem fumantes). Algumas recomendações pós-cirúrgica: 

  • Evitar a ingestão de alimentos muito ácidos, salgados, quentes ou duros nos primeiros dias;
  • Fazer assepsia com solução à base de clorexidina (bochechos três vezes ao dia, durante sete dias);
  • Utilizar uma escova dental com cerdas macias;
  • Tomar a medicação prescrita;
  • Não fumar;
  • Ser cauteloso para evitar doenças contagiosas, principalmente nos primeiros dias, já que a gengiva em processo de cicatrização pode ser uma porta de entrada para vírus e bactérias. 

Agende uma consulta e conheça a ImplArt Odontologia e a nossa equipe especializada em estética gengival. Ficaremos felizes em atendê-lo! 

estética gengival

Falta de dentes do fundo e mastigação

Quais são os principais problemas que a falta de dentes do fundo pode trazer?

Além de causar prejuízo para a estética do sorriso, a ausência dos dentes do fundo também pode afetar a qualidade de vida, na saúde bucal e em geral. Nosso organismo é como uma máquina, e que na ausência de uma peça importante, pode ter seu funcionamento comprometido. A perda de dentes se deve principalmente por cáries e doença periodontal, mas também pode ocorrer por acidentes e fraturas. A falta de dentes do fundo gera dificuldade para mastigar entre outros problemas e desequilíbrios em toda saúde bucal. Veja alguns:

Função mastigatória

Uma arcada completa, com todos os dentes, é em suma importante para o processo de digestão dos alimentos. A mastigação adequada prepara os alimentos para a digestão e chegar em partes reduzidas e o estômago continuar o processo digestório. Inclusive cada dente tem uma função nesse processo. Os incisivos cortam, os caninos rasgam e os pré-molares e molares trituram e amassam.

Certos tipos de alimentos exigem mais esforço mastigatório e os dentes do fundo quase sempre são os mais utilizados nesta tarefa. A ausência de dentes do fundo pode fazer com que os alimentos não cheguem adequadamente reduzidos ao estomago, dificultando a digestão e consequentemente a absorção de nutrientes importantes para a saúde.

Falta de dentes consequências

Você sabia que a falta de um único dente pode causar um desequilíbrio na oclusão dentária, e consequentemente na mastigação? Quando um dente é perdido e não reposto, o organismo reabsorve o osso que até então servia de suporte para este dente. Esse processo acontece gradativamente e leva à uma perda óssea. A falta de dentes permanentes faz com que os dentes vizinhos desloquem lateralmente para preencher o espaço vazio.

O mesmo ocorre com o dente de cima no caso de falta de dentes inferiores. Por conseqüência da ausência do elemento inferior, o dente superior que fazia o contato com ele tende a se movimentar verticalmente para preencher o espaço (o dente desce). Esse desalinhamento dentário causa desequilíbrio na oclusão dentária e consequentemente na mastigação, assimetria facial e causa uma sobrecarga em um dos lados da mandíbula.

Prejudica a mastigação, a fala, em alguns casos a respiração e dores nas articulações temporomandibulares (falta de dente causa dor no maxilar e mandíbula), além do comprometimento da estética do sorriso e facial.

Falta de dentes o que fazer?

Para evitar a perda óssea, o desalinhamento dos dentes e o desequilíbrio de oclusão, é recomendado que a reposição dos dentes do fundo extraído com implantes dentários o quanto antes possível, mesmo que seja apenas a falta de um dente. Este é o único método capaz de paralisar a perda óssea e ajudar na distribuição da carga mastigatória, e portanto, manter o equilíbrio da saúde e estética bucal. Se você ficou com alguma dúvida, entre em contato conosco.

Copyright ImplArt Odontologia 2009 - 2020

CRO-SP 9993 

 

R. Cincinato Braga, 37 - conj. 112

Bela Vista - São Paulo-SP - Brasil

CEP 01333-011