Tag: gengival

Nova técnica evita a remoção de enxerto de gengiva do céu da boca

Mucoderm é um material que substitui o enxerto de gengiva da empresa suíça Straumann.

Trata-se de uma opção de enxerto de gengiva com muitas vantagens, principalmente com objetivo de evitar a necessidade de pré cirurgia de remoção de mucosa do palato (céu da boca do próprio paciente) como área doadora para procedimentos que necessitam de enxerto de gengiva. Ou seja, é uma alternativa viável e mais confortável ao tecido próprio do paciente em determinadas indicações. O enxerto de tecido mole com colágeno tridimensional de derme porcina, promove uma revascularização rápida e integração dos tecidos moles, incluindo cor e textura. 

A desvantagem do enxerto de gengiva do céu da boca.

Em muitas situações nas quais é necessário um aumento no volume gengival, o enxerto de gengiva pode então ser feito removendo um pequeno pedaço de gengiva de outra região da boca e posicionando no local que precisa de reparos. O local mais comum que serve de doador desse tecido é o céu da boca. O céu da boca parece ser rígido e formado por osso, no entanto contém uma espessura bastante grande de uma gengiva fibrosa que é favorável para a utilização em cirurgias de enxertos gengivais. 

Indicações para o enxerto de gengiva.

  • Recobrimento de raízes expostas
  • Aumento na espessura de gengiva para implantes dentários
  • Formação de gengiva mais rígida (gengiva inserida), para áreas inflamadas com gengiva flácida
  • Aumento na altura de gengiva (em algumas situações)
  • Recobrimento de implantes muito expostos. 

Características e vantagens do Mucoderm:

  • Material biosseguro
  • Evita a morbidade e possíveis dores em decorrência da remoção do tecido no local doador (gengiva do céu da boca)
  • Reduz o tempo de tratamento cirúrgico bem como sua recuperação
  • Remodelação completa no tecido do próprio paciente no espaço de 6–9 meses
  • Sua elevada resistência à tensão permite que o enxerto seja moldado e usado em todas as técnicas cirúrgicas de tecidos moles
  • Indicado para aumento/espessamento dos tecidos moles, cobertura de raízes, correção de resseção gengival e outras deficiências em tecidos moles.

Chances de sucesso para o enxerto gengival

Os enxertos gengivais são procedimentos com grande dificuldade na odontologia. Suas chances de sucesso são boas porém nem todos os casos podem receber enxertos de gengivas. Converse conosco sobre a avaliação de seu caso e sobre a análise da indicação correta para um aumento de gengiva. A Straumann é pioneira em pesquisa e desenvolvimento de implantes dentários de alta tecnologia, instrumentos cirúrgicos, componentes de prótese bem como biomateriais para regeneração dos tecidos orais desde 1974. 

Essa excelência certamente permite oferecer tratamentos menos traumáticos, menos invasivos e com resultados mais previsíveis a longo prazo. O Dr. Roberto Markarian, coordenador científico da ImplArt, é membro da ITI – International Team for Implantology, uma entidade ligada à Straumann que congrega os melhores especialistas mundiais para o desenvolvimento de novos produtos e técnicas. Se você ficou com alguma dúvida, entre em contato conosco ou agende uma consulta.

estética gengival

Estética Gengival

Estética gengival – Importância para o Sorriso

O sorriso gengival é caracterizado pelo tamanho ou exposição exagerada das gengivas em relação ao tamanho dos dentes. Não representa risco para a saúde, contudo pode comprometer a estética do sorriso, de tal forma que deixa algumas pessoas retraídas ao sorrir e falar, e em alguns casos é provável que atrapalhe até mesmo seu relacionamento social. Existem algumas causas do sorriso gengival, por exemplo:

  • Hereditariedade
  • Lábio curto
  • Inflamações da gengiva
  • Problemas no processo da erupção dentária
  • Freio labial denso
  • Musculatura facial deficiente
  • Excesso de tecido gengival sobre a coroa dentária
  • Face alongada 

Tratamentos para o Sorriso Gengival

A escolha do tratamento do sorriso gengival é de acordo com o grau e causa do problema. Em casos mais leves, a condição pode ser facilmente solucionada com a técnica da gengivectomia, que consiste na retirada cirúrgica do excesso de tecido gengival sobre os dentes. A cirurgia é realizada com anestesia local e a recuperação é relativamente tranquila. A cicatrização ocorre normalmente entre 7 e 14 dias e a colaboração do paciente nesse período é bastante importante.

Outro recurso é a realização do recontorno dos dentes com resina com o propósito de torná-los mais proporcionais em relação ao tamanho da gengivaEm alguns casos, a toxina botulínica (botox) pode ser indicada para diminuir a contração muscular e reduzir a exposição da gengiva quando o paciente sorri. No entanto, a aplicação da toxina precisa ser repetida periodicamente para que o efeito seja mantido.

Apenas em casos em que o sorriso gengival é causado por problemas ósseos (considerado mais complexo), não apenas a gengivectomia pode ser indicada, como também a realização de uma cirurgia ortognática.

melhora da estética gengival depois do tratamento para sorriso gengival

1-Aspecto do sorriso gengival e dentes curtos, 2-Resultado após uma gengivectomia e recontorno dos dentes com resina. Este é um exemplo de tratamento proposto, porém cada caso deve ser avaliado individualmente em consulta com o dentista. 

Peeling gengival 

A ImplArt Odontologia realiza tratamento para remoção de manchas na gengiva com a técnica de peeling gengival. As manchas na gengiva, tecnicamente conhecida por pigmentação melânica gengival, são caracterizadas por excesso de melanina (células que dão cor à pele) no tecido gengival. Podem ser de tonalidade acastanhada, acinzentada ou preta e são mais comuns em pessoas negras e asiáticas. Mas outras manchas podem surgir na gengiva por conseqüência do fumo ou do contato da gengiva com metais utilizados em alguns tipos de próteses dentárias.

Essa técnica para estética gengival é chamada de Melanoplastia e consiste na abrasão superficial do epitélio pigmentado com o auxílio de instrumentos. O procedimento é indolor, porque é aplicada sob anestesia local e também há pouco de sangramento. O peeling promove uma descamação epitelial da área pigmentada e dentro de 72 horas é esperada a formação de novo tecido com coloração mais rosada.

Em sete dias, a cicatrização será completa e a tonalidade da gengiva se tornará bem mais uniforme. O efeito do peeling gengival pode durar por anos, porém alguns pacientes podem precisar repetir o procedimento, já que a pigmentação pode retornar (principalmente se eles forem fumantes). Algumas recomendações pós-cirúrgica: 

  • Evitar a ingestão de alimentos muito ácidos, salgados, quentes ou duros nos primeiros dias;
  • Fazer assepsia com solução à base de clorexidina (bochechos três vezes ao dia, durante sete dias);
  • Utilizar uma escova dental com cerdas macias;
  • Tomar a medicação prescrita;
  • Não fumar;
  • Ser cauteloso para evitar doenças contagiosas, principalmente nos primeiros dias, já que a gengiva em processo de cicatrização pode ser uma porta de entrada para vírus e bactérias. 

Agende uma consulta e conheça a ImplArt Odontologia e a nossa equipe especializada em estética gengival. Ficaremos felizes em atendê-lo! 

Tratamento periodontal – limpeza profunda

Tratamento periodontal – limpeza profunda

Saiba mais sobre o tratamento periodontal, uma doença de origem bacteriana caracterizada por apresentar um conjunto de sintomas inflamatórios que afetam os tecidos de suporte dos dentes. Em primeiro lugar atinge a gengiva. Nos casos mais avançados, leva à destruição do tecido ósseo e outras estruturas importantes de suporte dos dentes. Em suma, a doença periodontal é a causa mais frequente da perda dos dentes em adultos.

Os microrganismos responsáveis por gerar esses sintomas estão presentes no biofilme dental (placa bacteriana). As bactérias impregnadas nos dentes deixam a gengiva avermelhada, inchada e sangrando. Sem tratamento, a gengiva fica frouxa (bolsa periodontal) e por conseqüência permite a entrada desses agentes e resíduos alimentares no interior da gengiva.

A atividade bacteriana nesta região é muito prejudicial, pois causa inflamação e destruição progressiva do osso de suporte dos dentes, de tal forma que ficam amolecidos e em casos avançados caem. Porém, alterações na gengiva podem estar associadas a causas emocionais, medicamentos, bem como imunidade baixa.

Somente um dentista pode avaliar o paciente e determinar se o caso é doença periodontal. No entanto as pessoas podem observar alguns detalhes que são indícios da doença.

Veja quais são os sintomas de doença periodontal:

  • Gengiva sangrando, vermelha ou inchada;
  • Placa bacteriana acumulada perto da borda gengival (é uma massa amarelada aderida no esmalte dentário);
  • Retração gengival (mudança no posicionamento, formato ou no volume da gengiva)
  • Retenção de alimentos entre os dentes;
  • Mau hálito;
  • Gengiva frouxa;
  • Alteração da posição dos dentes;
  • Sensibilidade nos dentes;
  • Exposição de parte da raiz dentária, que deveria estar coberta pela gengiva;
  • Um ou mais dentes moles.

O tratamento para este caso é primordialmente a remoção da placa, somente assim o problema pode ser controlado. Uma das medidas é a limpeza profunda para doença periodontal. É uma conduta com o propósito de remover focos infecciosos e paralisar a atividade bacteriana no interior da gengiva e no tecido ósseo.

Esse procedimento também é conhecido como alisamento radicular ou raspagem radicular. Na prática, é a remoção mecânica de tártaro e placa bacteriana aderidos não apenas nos dentes, como também abaixo da linha da gengiva (nas raízes dentárias). Para realizar o tratamento, o paciente deve se dirigir ao dentista que vai remover a placa através de raspagem e alisamento das raízes dos dentes.

A cirurgia periodontal pode ser indicada caso os procedimentos citados não atinjam toda a área da raiz comprometida. Mesmo com o tratamento adequado, podem haver sequelas como deslocamento na posição do dente e retração gengival. Para diminuir esses efeitos existem procedimentos cirúrgicos e protéticos.

Leia mais sobre implantes e doença periodontal.

Como é feita a limpeza profunda? A raspagem periodontal dói?

Muitas pessoas pensam: raspagem da raiz? dentro da gengiva? É provável que esse procedimento dói muito! A realidade é que o dentista segue protocolos para realizar esse procedimento da forma mais confortável possível. O paciente com doença periodontal já está naturalmente com muita sensibilidade nos dentes e gengivas. Desse modo, todo o procedimento é realizado sob anestesia local.

Os movimentos são cuidadosos e o paciente é estimulado a manifestar qualquer incomodo que esteja sentindo ao longo do procedimento. O procedimento começa com um exame clínico e radiológico de toda a boca, com a sondagem de bolsas periodontais para medir suas profundidades.

Em princípio, a raspagem radicular pode é feita manualmente e/ou com aparelho de ultrassom. A placa bacteriana bem como o tártaro acumulados nos dentes e raízes são removidos com uma ponta vibratória. A remoção manual é feita de forma cuidadosa, através de instrumento específico.

As áreas irregulares então são alisadas para por fim impedir o acumulo de mais placa. Em alguns casos é necessário realizar mais de uma sessão para concluir a limpeza completa. É muito importante que, por mais que o paciente realize esses procedimentos, ele assuma um compromisso com as boas práticas de higiene oral diária, visitar regularmente o dentista e abandonar maus hábitos, como por exemplo o tabagismo, pois a doença periodontal é um mal que pode ser evitado ou controlado.

Como dito anteriormente, a doença periodontal é a maior causa de perda dentária em adultos. Quanto mais tarde é a busca do tratamento, mais difícil é o restabelecimento da saúde e da estética dental.

Integração entre ortodontia e periodontia

É muito comum que as duas especialidades odontológicas trabalhem juntas, principalmente no planejamento e execução de tratamentos ortodônticos. A integração entre ortodontia e periodontia é bastante comum. A ortodontia corrige a posição dos dentes e ossos maxilares mal posicionados, enquanto que periodontia é responsável pelo controle e tratamento de doenças que acometem as estruturas de suporte dos dentes (osso alveolar e gengiva). São as doenças periodontais (acúmulo de placa bacteriana, tártaro, gengivites e periodontites).

Algumas ocasiões em ortodontia e periodontia podem trabalhar juntas:

  • A integração entre as duas especialidades é importante para traçar um planejamento do tratamento ortodôntico não só com o objetivo de alcançar a estética e a funcionalidade, mas sem prejudicar a saúde e aos tecidos.
  • Antes de tudo, para iniciar um tratamento ortodôntico, é importante avaliar as características da má oclusão e as condições dos tecidos periodontais.
  • O paciente com doença periodontal já instalada e que procura o tratamento ortodôntico, deve primeiro passar por um tratamento para restabelecer a saúde dos dentes e tecidos ósseo e gengival antes de colocar aparelhos, pois se o tratamento ortodôntico for feito com doença ativa, poderá haver comprometimento dos tecidos de suporte dos dentes.
  • A ortodontia pode ser requisitada pelo periodontista, se este avaliar que doenças periodontais surgiram em consequência de dentes mal posicionados que dificultam a higienização oral.
  • A periodontia age no controle da hiperplasia gengival, lesão associada ao acumulo de placa bacteriana e ao uso de aparelho ortodôntico fixo.
  • O tratamento ortodôntico necessita de um cuidado redobrado do paciente com relação à correta higienização oral. Quando ela é negligenciada, pode haver o acumulo de placa bacteriana nos dentes e no aparelho.
  • A periodontia age removendo a placa bacteriana para evitar problemas mais sérios.
  • É importante que a doença periodontal seja controlada, principalmente com a raspagem da placa bacteriana, alisamento radicular e em alguns casos, a gengivoplastia para recuperação da forma gengival.
  • A integração entre as duas especialidades é importante para evitar a recessão gengival enquanto ocorre a movimentação dentária. Uma avaliação do periodontista antes de iniciar o tratamento ortodôntico pode prever alterações que podem ocorrer na gengiva.
  • O periodontista avalia as condições dos tecidos depois de finalizado o tratamento ortodôntico.

Leia mais sobre doença periodontal

Visite a galeria de fotos de implantes, estética e reabilitação oral

Como vimos, são muitas as situações em que as duas especialidades trabalham juntas. A integração ortodontia e periodontia acontece no antes, durante e depois de finalizado o tratamento ortodôntico. Essa integração é necessária para trazer ao paciente o bem estar, a estética e a autoestima, mantendo a saúde e integridade dos tecidos bucais.

Estrutura completa da ImplArt

A ImplArt Odontologia é composta por uma equipe multidisciplinar, inclusive ortodontia e periodontia, para que o seu tratamento seja feito com segurança e tranquilidade. Se você ficou com alguma dúvida, entre em contato conosco através de um dos canais abaixo ou agende uma consulta. Ficaremos felizes em atendê-lo.

Copyright ImplArt Odontologia 2009 - 2020

CRO-SP 9993 

 

R. Cincinato Braga, 37 - conj. 112 CEP 01333-011

Bela Vista - São Paulo-SP -  Brasil