Skip to main content
admin ajax.php?action=kernel&p=image&src=file%3Dwp content%252Fuploads%252F2015%252F01%252Fperiimplantite 50kb

Peri-implantite: a temida infecção no implante dentário

Certamente a reabilitação com implantes dentários é a melhor forma de repor dentes perdidos. Entretanto, a terceira dentição, assim como a dentição natural, está sujeita a ter problemas, como por exemplo a infecção no implante dentário, caso não haja cuidados diários de higiene e hábitos saudáveis, assim como falta de manutenção profissional periódica.

A infecção peri-implantar, ou simplesmente peri-implantite, são manifestações patológicas dos tecidos em torno do implante dentario causada por microrganismos. Inicialmente, a peri-implantite se manifesta por um processo inflamatório destrutivo que afeta tecido mole (gengiva) e osso ao redor do implante. Com a destruição gradual dos tecidos, ocorre perda óssea e de suporte do implante, que pode ficar com mobilidade e até cair.

Os primeiros sinais clínicos de que pode indicar que pode estar acontecendo uma peri-implantite são: mucosite (inflamação e ulceração gengival localizada em torno do implante). Visualmente, a gengiva se mostra vermelha e inchada. Sangramento a sondagem (procedimento em que o cirurgião dentista, implantodontista, insere a ponta de uma sonda no espaço ente gengiva e implante) também é um sinal.

Em uma condição mais avançada, a peri-implantite apresenta outros sinais mais preocupantes: defeito ósseo em forma de cratera, como também sangramento e/ou supuração (saída de pus) e profundidade superior a 4mm durante o exame de sondagem.

sondagem de implante com periimplantite 50kb
Mucosite: Sondagem de implante com sinais sugestivos de peri-implantite: sangramento, gengiva inchada, avermelhada e retraída.
periimplantite 50kb
Radiografia de implantes evidencia um defeito ósseo em forma de cratera e torno de um implante. Junto com outros sinais clínicos, pode sugerir quadro de peri-implantite. A perda óssea ocorreu em metade da área de rosca de um dos implantes e se avançar, certamente colocará a estabilidade do implante em risco.

Condutas em caso de peri-implantite: é possível realizar enxerto para repor osso e gengiva?

Primeiramente quando a pessoa recebe a notícia de que seu implante está com peri-implantite, é comum que haja muita preocupação e surjam questionamentos, como por exemplo, se haveria um tratamento para recomposição do volume ósseo perdido ou se a perda óssea e gengival poderia ser regenerada por enxertos ósseos.

O plano de tratamento da peri-implantite é condicionado conforme o estado da perda óssea. Em geral, o tratamento consiste em retirar toda placa e tártaro da superfície do implante, fazer uma limpeza de modo que a superfície fique totalmente desinfectada.

Esse procedimento é essencial não apenas para prevenir a progressão do problema, como também para preparar a região do defeito para os procedimentos regenerativos, quando há indicação.

O procedimento para tentativa de regeneração da região peri-implante consiste na descontaminação da superfície do implante dentário, e medicações anti-inflamatórias e antibiótica quando necessários. Após este preparo, o enxerto ósseo pode ser realizado. Entretanto, pelo fato do histórico infeccioso, a pessoa com enxerto precisará de avaliação sistemática.

O preenchedor mais indicado para esses casos é o enxerto ósseo liofilizado em pó combinado com uma membrana de matriz de colágeno suíno que ajuda na regeneração de tecidos moles.

Fique tranquilo: os materiais para enxerto osseo, citados acimas são seguros para uso no organismo humano, pois são preparados por alta tecnologia, e esterilizados por raios gama, resultando em biomateriais livres de qualquer agente contaminante.

Quais são as perspectivas de sucesso do enxerto para tratamento da peri-implantite?

O paciente que é acometido por peri-implantite precisa de tratamento rápido e acompanhamento profissional por meio de consultas frequentes ao dentista. Nesse sentido, deve seguir as orientações do cirurgião dentista, e principalmente, se empenhar na rotina diária de higiene oral, e abandonar hábitos nocivos a saúde bucal, como por exemplo o tabagismo, o procedimento de enxerto para peri-implantite tem grandes chances de serem mantidos. Observe abaixo um caso em que foram utilizados biomateriais Geistlich (ósseo e membrana de colágeno).

enxerto peri implantite periimplantite50kb
Defeito ósseo gengival, procedimento de enxerto e volume ósseo estável após 6 anos. Imagens radiográficas mostram a regeneração óssea (Prof. Giovanni Salvi – Berna, Suíça)

Quais são as causas e como evitar a peri-implantite?

O risco de desenvolver peri-implantite é maior em:

As melhores formas de evitar a peri-implantite são:

  • Adotar práticas de boa higienização, inclusive para quem usa prótese protocolo com limpeza profissional com a remoção da prótese fixa sobre implantes. E inclusive o uso de escova interdental.
  • Comparecer as consultas periódicas
  • Ter atenção máxima aos possíveis sinais de problemas, como gengiva inchada, sangrando com facilidade, mau cheiro, supuração (saída de pus), etc.
  • Abandonar hábitos nocivos à saúde bucal, como por exemplo o fumo. As substancias do cigarro e outros fumos prejudicam a circulação e a resposta imunológica em quadros de infecção.

Entre em contato com a Clinica Odontologica ImplArt e faça o agendamento de sua consulta para acompanhamento de seus implantes. Somos uma Clínica dentária especializada em implantes, que utiliza muito conhecimento e as mais modernas técnicas para realizar seu tratamento com muita dedicação e responsabilidade.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *