Tag: espaço

Integração ortodontia e implantes

Ortodontia e Implantodontia

Todo tratamento odontológico deve ser planejado de forma completa, para que, dentro do possível. Os melhores resultados funcionais e estéticos sejam alcançados. Por esse motivo quase todo planejamento odontológico envolve o trabalho conjunto de diferentes especialidades. Um exemplo é a integração ortodontia e implantes. A primeira responsável por corrigir problemas de oclusão dentária e a segunda por substituir/suprir elementos dentários ausentes através de implantes e prótese dentária fixa).

Durante um tratamento ortodôntico, os dentes são movimentados de forma que a oclusão seja melhorada. Espaços são fechados e em alguns casos poderá ser até necessário extrair um ou mais dentes para abrir espaço para movimentação. Com a finalização do tratamento ortodôntico, o paciente pode ser então avaliado pelo implantodontista para verificar a necessidade de preencher algum espaço que não pode ser fechado com a movimentação dentária e indicar a colocação de implante dentário.

Exemplos de casos em que essa integração pode ser necessária:

O tratamento ortodôntico pode ser indicado para abrir espaço suficiente para que se coloque um implante dentário no local de um dente ausente. Nossa equipe faz uma avaliação das condições bucais do paciente antes de indicar os implantes dentários. Em alguns casos, o espaço para colocação do implante pode não ser o ideal por conta da inclinação dos dentes vizinhos.

O tratamento ortodôntico pode ser realizado para movimentar os dentes e obter o espaço ideal para posicionamento do implante dentário com prótese e para que esse conjunto fique em harmonia com os dentes. Em alguns casos em que há espaços exagerados entre dentes, apenas a movimentação dentária com tratamento ortodôntico pode não ser indicada para fecha-los. Então os implantes dentários podem ser indicados para preencher esses espaços.

Em tratamentos ortodônticos eventualmente pode ser necessária a colocação de mini-implantes para ajudar na movimentação de alguns dentes. Existem dentes que não respondem bem à movimentação ortodôntica e podem sobrar espaços. Nesses casos, a colocação de implante dentário pode ser indicada para fechá-lo. Nem sempre há a necessidade de realizar o tratamento pelas duas especialidades odontológicas. Esse é um fator que só será determinado após uma criteriosa avaliação da nossa equipe.

ImplArt e equipe multiespecializada para integração ortodontia e implantes

Aos pacientes que se sentem incomodados e preocupados com o visual quando recebem indicação profissional de tratamento com aparelho ortodôntico, a ImplArt oferece soluções estéticas com aparelhos quase invisíveis ou aparelhos com bráquetes transparentes sem borrachinhas. Consulte a nossa equipe. Agende uma consulta e conheça a ImplArt Odontologia e a nossa equipe multiespecialista, incluindo especialistas em ortodontia e implantes. Ficaremos felizes em atendê-lo!

Extrair ou preservar um dente?

Quanto tempo depois de extrair um dente posso colocar implante?

Extrair ou preservar um dente requer uma avaliação criteriosa e detalhada do dentista, já que essa decisão pode ajudar ou afetar toda a arcada dentária do paciente. Um dente ausente certamente pode trazer repercussões negativas para funcionalidade e para a estética do sorriso.

São por exemplo os problemas que podem afetar os dentes: cáries extensas com envolvimento da região furca (espaço entre as raízes dentárias), fratura dentária, doença periodontal avançada, indicação ortodôntica (aparelhos), abcessos em que não há possibilidade de salvar o dente, patologias associadas ao dente (cistos) ou algum outro problema que não permita que o dente permaneça na cavidade dentária.

Existem alternativas para manter um dente?

Para tratar esses males, o dentista pode optar pela extração ou realizar tratamentos endodônticos, como o canal, que remove os microorganismos localizados no interior do canal, posteriormente o preenchimento do canal radicular com um material biocompatível, ocupando o espaço que antes era da polpa (nervo) do dente.

Com esse procedimento, quase sempre é possível salvar e manter o dente. O maior problema em extrair o dente é que ele possui um papel na arcada. Todos são indispensáveis para uma boa saúde bucal, uma mordida correta assim como para a realização de qualquer atividade do dia-a-dia.

Consequências da perda dentária sem reposição.

Quando o dente é perdido ou retirado, o local fica muito tempo exposto acontece a reabsorção óssea (o osso daquela região é reabsorvido pelo organismo), promovendo uma perda de volume ósseo. Se a reposição deste dente demorar muito para acontecer, os dentes vizinhos podem então se deslocar para tentar ocupar o espaço vazio.

Na maioria dos casos, os dentes acabam se inclinando na tentativa de preencher o espaço e consequentemente recebem uma força mastigatória inadequada, causando um desequilíbrio na oclusão dentária. Outro problema que pode surgir é a movimentação do dente oposto. Por exemplo: o paciente perde um dente posterior na arcada inferior e não o repõe.

O dente oposto da arcada superior tende a descer para preencher o espaço vazio. Esse fenômeno chama-se extrusão dentária. Vale ressaltar que a má oclusão dentária pode facilitar o aparecimento de problemas dentários, como acúmulo de placa, cáries, problemas ortodônticos bem como problemas de ATM (articulação têmporo mandibular).

Quando não é possível preservar o dente, o implante dentário é a melhor alternativa.

Quando a extração é inevitável, a melhor forma de repor um dente perdido é a colocação de implante dentário. O pino de implante tem função semelhantemente à raiz dentária. Sobre o implante é colocado uma coroa protética que imita forma, cor e função de uma coroa dentária.

Quando antes for realizada a colocação do implante após a extração, melhor é para a saúde bucal. A colocação do implante impede a reabsorção óssea. O local é reabilitado com a colocação de implante dentário trazendo vantagens estéticas e permitindo que o paciente tenha uma vida normal.

Em todos os casos, o dentista precisa realizar uma avaliação minuciosa para determinar qual é o melhor tratamento para preservar ou extrair um dente, levando em conta os possíveis resultados e os objetivos do paciente. Se você ficou com alguma dúvida, entre em contato conosco ou agende uma consulta com a nossa equipe.

Dentes impactados: como tratar?

Os dentes impactados são aqueles que não conseguiram atingir a cavidade bucal por falta de força de irrupção ou por não romperem a camada fibrosa. Também conhecido como dente encravado ou incluso, eles também podem ter estágios intermediários como semi impactados ou semi inclusos, em que eles não estão parados no osso, mas também não tiveram forças para nascer.

Normalmente esse problema ocorre por causa da falta de espaço na arcada dentária, que pode acontecer devido à perda prematura dos dentes de leite ou por deficiência de crescimento ósseo. Os terceiros molares, inferiores e superiores, e os caninos superiores são os dentes que mais sofrem com essa situação.

A imperfeição pode afetar a saúde bucal do paciente quando diagnosticada tardiamente. A mordida pode ficar desalinhada por causa do dente impactado e ele também pode empurrar os outros dentes. Outro possível problema é a reabsorção da raiz do dente que está mais próximo a ele.

Uma vez que o dentista identifica a condição do paciente, o início do tratamento deve ser rápido e eficaz para evitar que outros dentes sejam afetados. Quando não é possível salvar o dente impactado, o primeiro passo é removê-lo. Quanto antes a cirurgia for feita melhor, para evitar que novas complicações afetem o procedimento.

Em seguida, o espaço que seria ocupado por esse dente pode receber um implante dentário. Ele vai realizar as mesmas atividades que o dente impactado teria que fazer. Em todos os casos, o especialista vai determinar qual a melhor conduta e o cronograma do tratamento.

Copyright ImplArt Odontologia 2009 - 2020

CRO-SP 9993 

 

R. Cincinato Braga, 37 - conj. 112

Bela Vista - São Paulo-SP - Brasil

CEP 01333-011