Tag: espessura

Lente de contato dental: passo a passo do tratamento

Lente de contato dental: passo a passo do tratamento 

O que é lente de contato dental?

A lente de contato dental é um conjunto de lâminas de porcelana extremamente finas (dissilicato de lítio), concebidas em computador por sistema computadorizado cad/cam e executadas por impressoras 3D. Elas são coladas na frente dos dentes, individualmente, e servem para corrigir alguns problemas estéticos, como nos casos de dentes desalinhados, dentes manchados, dentes pigmentados, dentes trincados, dente com formato inadequado, dor com indesejada, dente com tamanho irregular, correção da posição dos dentes. São coladas na frente dos dentes, individualmente, com o intuito de corrigir alguns problemas estéticos.

São os casos de dentes desalinhados, dentes manchados, pigmentados, dentes trincados, formato inadequado, cor indesejada, dente com tamanho irregular, correção da posição dos dentes. Não são recomendadas para dentes não saudáveis, como dentes cariados ou com doença periodontal. As lentes de contato para os dentes são capazes de revolucionar a estética do sorriso. Atualmente vemos muitos famosos do mundo das celebridades que passaram pelo tratamento e sem dúvida tiveram seus sorrisos transformados. 

Indicação da lente de contato dental?

O tratamento com lentes de contato envolve o uso de tecnologia odontológica avançada. Inicia com a retirada de um molde dos dentes. A moldagem digital é realizada através de um scanner intraoral que capta imagens dos dentes e gengivas e cria um modelo tridimensional na tela do computador. De acordo com essas imagens, o dentista utiliza um software que projeta as lentes de contato dentais com formatos e tonalidades personalizados para cada paciente.

Planejamento

O projeto pode ser para um único dente ou mais. O projeto computadorizado aprovado então é enviado para o laboratório de prótese digital para confecção das lentes dentais. Um bloco de porcelana é colocado na impressora 3D e inicia-se o processo de fresagem até que o bloco adquira o formato das lentes dentais projetadas. As lentes de contato dental possuem espessura de aproximadamente 0,2mm. Essa espessura ultrafina não exige o desgaste da superfície dental para que as lentes sejam aplicadas, portanto elas se diferenciam das facetas de porcelana.

Aplicação

A aplicação é feita depois da preparação do dente, o que envolve uma limpeza profissional para remoção de possíveis focos com acúmulo de placa e tártaro. Logo depois a colagem das lentes é feita com cimento especifico para uso odontológico, sem dor e necessidade de aplicar anestésico. É um tratamento rápido, inclusive pode ser realizado em Day Clinic .

A durabilidade das lentes de contato dentais é indeterminada. A porcelana é um material bastante resistente e possui características muito parecidas com as dos dentes naturais. Sua superfície é resistente às manchas e não exige que o paciente seja cauteloso com alimentos e bebidas muito pigmentadas, como beterraba, cenoura, vinho, café, chás, etc. 

Essa espessura ultrafina não exige o desgaste da superfície dental para que as lentes sejam aplicadas, portanto elas se diferenciam das facetas de porcelana. A aplicação é feita depois da preparação do dente, o que envolve uma limpeza profissional para remoção de possíveis focos com acúmulo de placa e tártaro. A colagem das lentes é feita com cimento especifico para uso odontológico, sem dor e necessidade de aplicar anestésico. 

É um tratamento rápido que, inclusive em alguns casos, pode ser realizado em Day Clinic. A durabilidade das lentes de contato dentais é indeterminada. A porcelana é um material bastante resistente e sobretudo possui características muito parecidas com as dos dentes naturais. Sua superfície é resistente às manchas e não exige que o paciente seja cauteloso com alimentos e bebidas muito pigmentadas, como beterraba, cenoura, vinho, café, chás, por exemplo. 

Lente de contato dental preço │ Lente de contato valores

O preço médio das lentes de contato dentais só pode ser fornecido em consulta odontológica, pois depende de um exame clínico presencial, além do que o Conselho Federal de Odontologia proíbe consultas não presenciais. Se você ficou com alguma dúvida, então entre em contato conosco através de um dos canais de atendimento.

Agende sua Consulta na ImplArt

Enxerto em bloco x enxerto em pó (particulado)

A equipe da ImplArt Odontologia possui extensa experiência em técnicas de enxerto ósseo

A técnica viabiliza a colocação de implantes em pessoas com pouca espessura ou altura óssea. Muitas pessoas têm medo em pensar na utilização de um enxerto ósseo, entretanto em alguns casos trata-se de um procedimento muito simples, que inclusive pode ser realizado sob sedação. Saiba em quais casos são utilizados enxerto em bloco ou enxerto em pó.

Quando uma pessoa perde um ou mais dentes, seja por extrações, doença periodontal ou acidentes, com o passar do tempo há uma reabsorção óssea e atrofia local, causando deformação e fazendo com que não haja espessura e/ou altura óssea suficiente para colocação de implantes. Como solução para esses casos, pode ser indicado um enxerto ósseo para reconstruir a estrutura óssea e assim viabilizar a colocação do implante.

Enxerto em pó (particulado)

Em casos em que a atrofia óssea no local do dente perdido é menor, o problema pode então ser solucionado com enxerto ósseo em pó. Os materiais disponíveis para esse fim podem ser:

  • Osso bovino liofilizado em pó
  • Osso triturado do próprio paciente
  • Precursor ósseo (Hidroxiapatita Sintética)
  • Osso humano de banco de tecidos (transplante ósseo)

Qual dos materiais para enxerto em pó é melhor?

Em geral os materiais para enxertos em pó se aplicam aos mesmos casos, como pequenos defeitos ósseos, e sua aplicação depende da preferência do dentista pela facilidade de manipulação e a finalidade do enxerto. Por exemplo, os materiais apresentam diferentes tempos de absorção pelo organismo e em caso de necessidade de preenchimento estético somente, pode-se então optar por materiais de lenta reabsorção como o osso bovino. Se for necessária a formação rápida de osso, pode-se optar ou por osso proveniente do banco de tecidos ou osso do próprio paciente.

Indicações mais comuns do enxerto em pó

  • Como complementação de volume durante a colocação do implante, ou seja, o paciente já tem osso suficiente para a instalação do implante.
  • Logo após extração dentária (em alvéolos de exodontia).
  • Na cirurgia de levantamento do seio maxilar (quando não há osso suficiente na parte posterior do maxilar superior). Na cirurgia de levantamento do seio maxilar, o espaço que sobra é preenchido com o material de preferência do dentista para regeneração. Com o passar de alguns meses, esse pó deve se integrar ao osso do paciente e criar novamente a altura suficiente para colocação do implante dentário.
  • Enxerto ósseo estético – outro uso do enxerto em pó é para preenchimento e prevenção de perda de volume nos dentes anteriores, logo após extração, para evitar a diminuição da espessura da gengiva e consequente mudança da estética após a cicatrização.

Limitações dos enxerto em pó

  • Têm chance de insucesso para enxertos para dentes com doença periodontal.
  • Não possibilitam ganho expressivo em espessura ou altura (para esse fim se usam enxertos em blocos).
  • Aumentam um pouco o volume gengival na região, mas não necessariamente retomam o volume original (de antes da perda do dente).

Os enxerto em pó é seguro?

  • Os enxertos em pó são muito seguros em relação à infecção.
  • Possuem um alto índice de sucesso em pequenos defeitos para implantes.
  • São de aplicação simples.
  • É necessário aguardar entre 6 e 9 meses para a transformação do material em osso vital.
Enxerto em bloco

Em casos em que a atrofia óssea é maior ou quando houve uma perda óssea acentuada por infecção, pode ser necessário aumento de espessura e altura para permitir a colocação do implante. Nesses casos o enxerto deve ser feito com blocos de osso. A origem do enxerto ósseo em bloco pode ser:

  • Osso retirado de outra parte do corpo do próprio paciente (transplante autógeno) – pode ser retirado da parte inferior da boca para casos menores ou da bacia/calota craniana para casos mais extensos.
  • Banco de ossos humanos (transplante alogênico).
  • Osso de origem animal (transplante xenógeno) – osso liofilizado bovino GenOx.

A escolha do material adequado é feita depois de uma criteriosa avaliação de cada caso feita pela nossa equipe. Assim que o bloco é fixado no osso do paciente, é necessário aguardar entre 6 e 9 meses para a completa incorporação óssea. Somente depois desse período é realizada a colocação do implante no paciente, que a partir daí deve aguardar mais 3 meses para colocação de prótese definitiva. Em casos mais simples, o enxerto pode ser feito em consultório com anestesia local. Porém em casos mais extensos, a cirurgia é realizada em ambiente hospitalar por equipe multidisciplinar, inclusive com uso de anestesia geral.

Indicações mais comuns dos enxertos em bloco

  • Defeitos ósseos em espessura localizados.
  • Defeitos verticais de osso localizados.
  • Reconstrução óssea do maxilar superior completo (para pacientes que usam prótese há muito tempo e apresentam grande atrofia do osso).

Limitações dos enxertos em blocos

  • Possuem maior chance de contaminação, quando comparados aos enxertos em pó.
  • Apresentam maior chance de rejeição do que enxertos em pó.
  • O tempo de tratamento é longo, sendo que o resultado final só pode ser verificado após 12 meses.
  • O ganho em altura no osso é limitado. O ganho em espessura é mais fácil de ser obtido.
  • Aumentam o volume gengival na região, mas não necessariamente retomam o volume original (de antes da perda do dente).

Todos os procedimentos para enxerto ósseo são realizados com amparo de exames de imagem, como radiografia panorâmica ou até mesmo tomografia computadorizada. Eles auxiliam no diagnóstico para medição do volume ósseo existente e no acompanhamento da regeneração óssea ao longo dos meses após a cirurgia.

Os exames podem ser realizados no centro radiológico digital da ImplArt. A ImplArt Odontologia é pioneira em técnicas avançadas com implantes dentários e enxerto ósseo em pó e em bloco, com milhares de implantes instalados. Possui equipe especializada que utiliza as técnicas mais modernas no assunto. Entre em contato conosco e agende uma avaliação. Ficaremos felizes em atendê-lo.

Retração gengival, cuidados e tratamentos

A retração gengival acontece quando o tecido gengival se retrai, deixando a raiz do dente exposta e causar sensibilidade dentária. Esse problema pode surgir devido à escovação inadequada, que é quando a pessoa aplica muita força contra os dentes e usa escovas com cerdas duras. Isso causa a remodelação mecânica do tecido gengival.

Existem dois tipos de gengiva. A inserida, que possui um tecido rosa e espesso, que circunda o dente e é aderido pelo tecido ósseo. Também existe a gengiva não inserida (mucosa), um tecido fino, macio e com grande mobilidade que compõe a parte interna das bochechas e dos lábios.

Dentes apinhados, inflamações por causa de placa bacteriana, movimentos ortodônticos errados, posição alta dos freios labial são algumas das causas da retração gengival. Pouca espessura do osso que recobre a raiz, restaurações desajustadas na região gengival e trauma dental são outras. A hereditariedade e o mau posicionamento dentário também são fatores de risco.

Retração gengival: tratamento

Para tratar a retração gengival, o dentista especializado em periodontia fará uma limpeza profissional, ajuste oclusal, removendo o excesso de materiais restauradores até corrigir o dente. Essa correção é feita com o uso de aparelho ortodôntico. Em casos mais sérios, uma cirurgia gengival pode ser indicada.

Trata-se do reposicionamento da gengiva para recobrir a porção da raiz dentária exposta ou utilizar a técnica de enxerto gengival com parte da mucosa retirada do palato (céu da boca). Outros procedimentos também ajudam a criar mais gengiva inserida para prevenir a progressão da retração e ajudar na regeneração e restabelecimento da cobertura da raiz.

O sucesso da cirurgia depende da gravidade do problema. Assim como da idade da pessoa, capacidade de cicatrização, espessura da gengiva, e outros fatores como o consumo de cigarro e hábitos de higiene oral. Mas, ações simples do dia-a-dia podem evitar esse problema.

As principais dicas para evitar a retração gengival são: fazer visitas periódicas ao dentista, não escovar os dentes em excesso ou com muita força, usar uma escova com cerdas macias assim como usar o fio dental regularmente.

Para manter essa rotina dental, o paciente precisa ser disciplinado e se lembrar de que pequenos atos hoje podem influenciar o futuro de sua saúde bucal.

Copyright ImplArt Odontologia 2009 - 2020

CRO-SP 9993 

 

R. Cincinato Braga, 37 - conj. 112 CEP 01333-011

Bela Vista - São Paulo-SP -  Brasil