Skip to main content

Odontologia Biológica e uso de metais em tratamentos dentários

A odontologia biológica é uma corrente dentro da odontologia, e da implantodontia, especificamente, que, entre outros conceitos, pretende evitar o uso de certos materiais em tratamentos dentários, como por exemplo metais e produtos químicos. Mas afinal, o uso de metais e outros elementos em tratamentos dentários traz algum risco para a saúde? E para tratamentos com implantes dentarios?

Nessa linha, atualmente há tipos de implante dentario sem metal, o implante ceramico, disponível pela marca Straumann, e também pela Neodent. A ausência de metais na sua composição, caracterizam este implante como uma alternativa estética nos casos em que o paciente apresenta gengiva muito fina ou atrofiada, principalmente quando essas condições ocorrem na região anterior (parte mais visível da arcada).

Do ponto de vista das próteses, é possível um tratamento livre de metais com a Zirconia Pura, e a Porcelana Pura. Ambos materiais utilizam sistema computadorizado, empregando a mais moderna tecnologia para oferecer os resultados estéticos mais naturais e duradouros. Para quem quer um tratamento livre de metais com implantes dentarios, a combinação perfeita são os tipos de implantes ceramicos e a prótese Zirconia ou Porcelana Pura.

Certamente nesta linha de tratamento entra a opção de realizar a troca das antigas restaurações em amálgama para materiais livres de metal, como resina ou Onlay de Porcelana.

Em caso de necessidade de tratamento ortodôntico, com alinhamento dental, nesta linha de Odontologia biológica está o Invisalign.

O que é Odontologia Biológica e o que fala sobre uso de metais em tratamentos dentários

A corrente da Odontologia Biológica acredita que saúde bucal e corpo estão conectados, e que o uso de certos materiais durante o tratamento traria algum prejuízo para o organismo em geral, e eventualmente aceleraria o envelhecimento das estruturas dentais. Outros conceitos que a Odontologia Biológica preconiza são:

  • Cuidar da saúde bucal de forma preventiva
  • Concentrar-se na saúde de todo o corpo, não apenas na boca
  • Cuidar da nutrição, incluindo dieta alcalinizante e alimentos anti-inflamatórios
  • Evitar o estresse, pois ele afeta o sistema imunológico e por consequência, piora a saúde bucal em casos infecciosos, como por exemplo, gengivites e periodontites
  • Praticar exercícios melhora a saúde do corpo, e por consequência, a saúde bucal
  • Optar por tratamentos conservadores, evitando a realização de cirurgias e procedimentos invasivos
  • Abolir o uso de metais e materiais químicos, inclusive o flúor, por acreditar que estes geram efeitos colaterais
  • Realizar testes de biocompatibilidade para materiais odontológicos
  • Realizar tratamento com recursos mais naturais e de maneira menos invasiva
  • Evitar tratamentos de canais
  • Utilização da terapia alternativa com ozônio

Por que ainda existem tratamentos com metais na Odontologia?

A ImplArt Odontologia acredita e pratica em parte os conceitos de Odontologia Biológica. Graças aos avanços tecnológicos, hoje temos um portfólio de materiais muito mais amplo, que inclui implantes e componentes cerâmicos com ausência total de metais em sua composição. Isso nos permite atender casos de pacientes, que por exemplo, tem algum histórico de alergia a metais.

Entretanto, é necessário salientar que grande parte dos implantes dentários e componentes protéticos metálicos é fabricado com liga de titânio, que é há anos é amplamente utilizado cirurgias ortopédicas e traumatológicas nas formas de próteses, placas e parafusos.

Existem muitos estudos que comprovam que o titânio é comprovadamente inerte e não prejudicial por ser bio-compatível com o organismo. Não é tóxico, não possui potencial alérgeno, e também não é corrosivo.

A ImplArt sempre busca se manter atualizada com as novidades tecnológicas da Odontologia. O que temos de disponível hoje no mercado em termos de materiais cerâmicos são frutos de muita pesquisa que precisavam certificar de que o material não seja apenas biocompatível, mas também confiável.

Na clinica dentaria ImplArt procuramos oferecer aos pacientes os mais modernos tratamentos “metal free”, ou seja, livres de metais. Os estudos neste sentido avançam constantemente, nos permitindo cada vez mais atender todas as demandas.

É possível realizar reabilitação com implantes dentários e prótese sem metais?

Sim, e a ImplArt Odontologia é expert no quesito de protocolo cerâmico. Esta opção tem sido buscada cada vez mais por pacientes que desejam eliminar o uso de metais em seu tratamento, seja por preferência, ou mesmo por restrição médica.

Os implantes dentários de cerâmica Straumann são fabricados em zircônia de alto desempenho, sem qualquer tipo de metal na composição. Além de ser uma ótima opção para quem não quer, ou não pode realizar um tratamento com metal, os implantes cerâmicos favorecem resultados estéticos superiores.

Não apenas os implantes, mas componentes de interface protética são fabricados em cerâmica de zircônia.

implante pure ceramic pilar zirconia 50kb
Implante dentário e componentes fabricados de cerâmica de zircônia

Coroas e próteses dentárias sem metais são construídas com zircônia e cerâmica. O protocolo cerâmico em próteses dentárias varia entre estrutura em zircônia com aplicação estética de cerâmica, e zircônia pura, sendo o primeiro mais utilizado.

Atualmente conseguimos realizar prótese protocolo em Zirconia Monolítica, ou Zircônia Translúcida, e com estrutura em Zirconia e exterior em Porcelana, excelentes opções para quem procura um tratamento de tipo protocolo sem metal. São as chamadas próteses protocolo completo em zirconia.

protese total zirconia aplicada 50kb
Odontologia Biológica: Prótese total cerâmico metal free: estrutura interna em zircônia, e a seguir a prótese finalizada com aplicação cerâmica que confere à peça todas as características dos dentes naturais.

O tratamento com protocolo cerâmico sobre implantes é totalmente inovador, porque as peças são fabricadas por meio de sistemas computadorizados, e os materiais utilizados foram exclusivamente concebidos para esse tipo de produção.

Resultado: tratamentos mais rápidos e precisos, com melhor previsibilidade e o melhor: resultado estético incomparável.

E os metais utilizados em tratamentos ortodônticos?

Os aparelhos ortodônticos convencionais e autoligados fabricados com metais são compostos em geral por aço inoxidável (liga composta por cromo, níquel, cobre e nióbio) e cromo níquel para bráquetes, e liga de níquel titânio para arcos.

O níquel, cobalto e o cromo são os metais que tem potencial de causar reação em pessoas alérgicas. Para outras pessoas, esses metais são inofensivos. Por certo, para pessoas alérgicas a metais, temos opção de tratamento ortodôntico isento de metais, como os alinhadores transparentes e aparelhos ortodônticos autoligados estéticos.

Outras dúvidas comuns em pacientes que querem entender o conceito de Odontologia Biológica:

É perigoso fazer obturação com metal (amalgama)?

R: algumas ligas usadas no passado poderiam conter mercúrio e existem estudos que demonstram que em certas circunstancias essas restaurações são tóxicas.

Felizmente, hoje em dia esse tipo de material praticamente não é mais utilizado em restaurações. Hoje realizamos restaurações em resina composta e cerâmica, que além de seguros, são muito mais estéticos por serem da mesma cor do dente.

Se você já tiver obturações de amalgama, agende uma consulta com a nossa equipe para avaliar os prós e contras de fazer a remoção e substituição por e uma restauração estética.

Também podemos realizar o procedimento de troca segura de amálgama por resina ou porcelana em nossa clínica para minimizar a contaminação pelo mercúrio durante o procedimento.

O flúor faz mal à saúde?

R: O flúor pode sim ser tóxico, porém quando usado em quantidade acima do necessário, especialmente se for ingerido.

É comprovado que o flúor é fundamental para tratar e prevenir a cárie dentária. A aplicação feita no consultório é segura, pois controla não apenas para dosagem, como também a ingestão.

E o tratamento de canal, traz algum risco?

R: Essa talvez seja a maior controvérsia difundida em relação a Odontologia nos últimos tempos. Dessa forma, algumas pessoas creem que o tratamento de canal é um procedimento invasivo, que pode deixar para trás a infecção, sendo um foco de infecção com bactérias que podem migrar para outra parte do organismo.

Entretanto, a prática da Endodontia é baseada em literatura desde aproximadamente os anos 40, e o tratamento de canal é muitas vezes a única maneira de manter um dente na boca e evitar extrações.

Como evitar náuseas ou enjoo no dentista?

Muitas pessoas sentem náusea, ânsia ou enjoo no dentista quando é necessário tocar em sua boca, especialmente quando algo encosta na língua. Esse é, inclusive, um argumento que leva um individuo a evitar a ida ao dentista para cuidar da saúde bucal. E dessa forma, um procedimento que poderia ser simples, pode se agravar pela demora em procurar atendimento, inclusive ocasionando a perda dentária e necessidade de implante dentário. Por isso, é importante que você saiba quais são os recursos que a ImplArt utiliza para reduzir este desconforto.

Além disso, é primordial que o paciente saiba que a equipe da Clínica ImplArt realiza atendimento humanizado, ou seja, respeitando os limites de cada paciente, de forma que ele possa se sentir acolhido. Isto vale tanto para procedimentos mais simples como profilaxia e restaurações, tratamento de canal e até mesmo os cirúrgicos com enxerto ósseo ou implantes dentarios.

Sentir enjoo no dentista é normal, mas não pode atrapalhar os cuidados com a saúde bucal

A sensação de enjoo, náusea ou então ânsia é uma característica muito presente na população. Trata-se de um reflexo involuntário, que não tem causa muito bem definida, mas pode ser explicada pela presença de alguns nervos na região. É muito frequente a sensação de enjoo durante a higienização oral, principalmente ao escovar os dentes e a língua em casa no dia a dia.

No consultório, o simples toque na boca pode ser extremamente incomodo ao realizar um tratamento dentário ou durante a limpeza profissional. Tem pessoas que chegam a vomitar. A situação pode piorar quando o dentista precisa retirar um molde dos dentes com alginatos ou silicona (popularmente conhecidas por massas de moldagem).

moldagem tradicional com massa 50kb

Pelo fato de necessitar de uma considerável abertura da boca para inserção da moldeira, e a massa tocar áreas sensíveis da boca, a moldagem com massa é uma experiência bastante incômoda para quem tem uma tendência a enjoar.

Além de desestimular a ida ao consultório dentário para realizar procedimentos essenciais para tratamento ou prevenção de problemas bucais, o enjoo no dentista é constrangedor ao paciente, especialmente se houver vômito. Isso também poderá atrasar o andamento do tratamento.

Como minimizar essas sensações? O que fazer para não enjoar no dentista?

Existem alguns recursos para minimizar os desconfortos aos nossos pacientes. Um deles é o uso de uma solução para bochecho com anestésico tópico para reduzir a sensibilidade temporariamente. Em casos mais severos, a anestesia injetável local ou a sedação endovenosa podem ser indicadas. Outros recursos que podem ser recomendados são, por exemplo:

  • Beber água gelada antes da consulta ou da moldagem
  • Para algumas pessoas, ir à consulta no primeiro horário e em jejum ajuda a evitar o enjoo no dentista
  • O dentista pode prescrever medicação para enjoo antes de chegar à consulta
  • Utilizamos alginatos e siliconas de alta qualidade e eficiência para evitar repetições e demora na obtenção das impressões dentais.
  • Na maioria dos casos, realizamos moldagens digitais por meio de scanners intraorais, que é um recurso mais confortável e rápido.
scan trios 3shape escaneamento ontraoral 49kb
  • Nossos profissionais são treinados para acolher e dar instruções especificas aos pacientes com tendencia a sentir enjoo e náuseas. Durante o procedimento é importante o paciente ficar em uma posição confortável, inspirando e expirando pelo nariz.
  • A sedação endovenosa é conduzida por um médico anestesiologista que administra a medicação e monitora os sinais do paciente durante todo o atendimento realizado pelo cirurgião dentista. Este procedimento pode ser utilizado na realização inclusive de cirurgia de implantes. Saiba mais sobre sedação no dentista.

Não deixe que as sensações de enjoo no dentista te impeçam de cuidar da saúde bucal. Problemas como por exemplo, cáries, gengivite, periodontite e perda dentária precisam ser tratadas para evitar consequências mais graves e dolorosas.

Se você ficou com alguma dúvida, entre em contato com a nossa equipe ou então agende uma consulta clicando no botão abaixo. Ficaremos felizes em atendê-lo!