Tag: inflamação

Os maiores riscos para quem faz implante dentário

O implante dentário é uma alternativa mais atual para a reposição dentária do que uma prótese fixa, ou uma prótese removível, mas podem oferecer riscos. O implante é usado ​​para repor a raiz de um dente perdido e servirá de apoio para um dente artificial chamado de prótese ou coroa. 

A prótese sobre implante é feita para se assemelhar aos demais dentes naturais da pessoa e também oferecer força de mastigação semelhante. Uma reabilitação oral com implantes dentários, normalmente é a melhor opção mas em poucos casos, podem haver alguns riscos com os implantes dentários. Conheça então os 5 maiores riscos do implante dentário : 

1 – Risco de quebra do implante

Pacientes que rangem apertam os dentes (bruxismo) podem exercer muita força nos implantes, com aumento nas chances de quebras ou fraturas nos implantes ou nas peças que compõe as próteses sobre implante. 

Nos pacientes que tem bruxismo também aumentam os riscos de soltura de parafusos que fixam a coroa do implante. Quando isso acontece, o paciente relata que o implante está “mole”. Porém não podemos confundir a prótese ficando solta, com o pino do implante se soltando do osso (que é algo muito mais grave). 

O mais comum é que quando o problema é só do dente do implante solto, o paciente não sinta dor, enquanto que na perda do implante sempre há dor. Se o implante se fraturar ou se soltar do osso, deve ser feito novamente, recomeçando o processo de implante dentário do zero. 

A culpa do meu implante ter fraturado é do dentista?

Há vários fatores a considerar, alguns deles seriam o material da prótese, o número e posicionamento dos implantes, técnica cirurgia correta, material do implante dentário, tipo de componentes protético escolhido, tipo de conexão protética escolhida. Imaginando que os profissionais trabalham tentando fazer o seu melhor, é raro que exista uma negligência nesse sentido. Por isso o que vale mesmo é a boa vontade do paciente e do profissional em recomeçarem, talvez tentando melhorar ou aperfeiçoar alguma das estratégias.

Apresentação das partes do implante dentário: implante (no osso), pilar + coroa dental (dente artificial)  

2 – Inflamação nos implantes e riscos

Podem ocorrer inflamações em um implante dentário, que se manifestam como dor, inchaço, dor ao mastigar, sangramento, e até a formação de pús no implante. Observe que em qualquer área da medicina em que se utilize uma peça artificial dentro do corpo humano pode haver uma reação adversa de rejeição. Esse fenômeno de rejeição pode ocorrer em relação ao implante dental ou a um material que se utilizou associado como um enxerto ósseo ou uma membrana protetora. Também pode ocorrer uma infecção bacteriana nos implantes que podem até impedir a integração óssea (união ao osso). 

Por esse motivo todos os tratamentos na ImplArt começam com uma limpeza oral completa, além da remoção de qualquer doença infecciosa como cáries e doença periodontal. O paciente só vai realizar a cirurgia de implante se estiver com sua boca limpa e saúde oral boa. Isto é possível mesmo que o paciente ainda não tenha todos os dentes. Com o término das próteses sobre implantes, ensinamos o paciente a higienizar corretamente o implante dentário.

Inflamações nos implantes levam a problemas estéticos, gengivais e ósseos

3 – Riscos de lesões nos nervos da face

A lesão no nervo da mandíbula pode acontecer na cirurgia do implante dentário. Na região do fundo da boca na arcada de baixo  existe um nervo, chamado que pode estar muito superficial, especialmente se o paciente está sem os dentes por muitos anos. Em pacientes com doença periodontal avançada a perda de osso pode também colocar em risco o nervo devido a sua proximidade. 

Para diminuir os riscos de lesões ao nervo e parestesia, o dentista especialista em implantes irá  realizar os exames de imagem. O exame mais pedido é a radiografia panorâmica mas uma tomografia computadorizada de feixe cônico ajuda a medir o osso e planejar o implante. 

Cirurgia guiada por computador

Para minimizar ainda mais os riscos podemos executar a cirurgia de implante total ou parcial guiada por computador, que oferece pouca invasividade e permite um perfeito posicionamento do implante, sem margem a erros. Implantes tortos ou mal posicionados podem apresentar má integração óssea ou mesmo rejeição. Não é em todos os casos que conseguimos recuperar o paciente da lesão do nervo bucal ou de implantes mal colocados. 

A depender da gravidade do problema, uma lesão no nervo da mandíbula poderá acarretar em sequelas como uma dormência no queixo ou a perda de sensibilidade na língua ou à sensação de sabores (gustação). Na ImplArt 100% dos casos são operados com tomografia computadorizada que poderá ser feita em nosso centro de radiologia próprio

Cirurgia Guiada para implante diminui os riscos de erros no posicionamento do implante dental

4 – Riscos no osso ao redor dos implantes

A perda óssea pode acontecer em um implante que sofreu infecção enquanto cicatrizava no osso. Além disso, em casos nos quais é feita a carga imediata, ou seja um dente provisório ou definitivo é colocado em posição logo após a cirurgia há mais risco de perda óssea e também do implante. Isto ocorre pois o implante recém colocado ainda não tem uma fixação ao osso madura e precisa depender exclusivamente de seu travamento mecânico no osso para se fixar. 

Na maioria das vezes, se a indicação e a técnica estão corretos a carga imediata funciona bem, mas nos casos de falha na carga imediata a consequência pode ser grave como por exemplo acarretando uma grande perda óssea na região. Existem modelos de implante dentário mais avançados que possuem melhorias para o encaixe do dente e também no química da superfície para que a cicatrização no osso ocorra mais rápido e mais eficientemente.  

Hoje temos implantes dentários que permitem a realização de um dente definitivo em 1 mês ! Conheça os modelos de implantes dentários que apresentam as melhores avanços como os Implantes Straumann, Implantes cone-morse Neodent (nacional), Implantes SIN (nacional) 

Os formatos e os modelos de implante tem a ver com as indicações clínicas

5 – Aumento nos fatores de risco – saúde e hábitos do paciente

Existem riscos para o sucesso do tratamento com implantes que não dependem do profissional nem dos materiais utilizados mas sim de fatores do paciente. Falhas na limpeza dos dentes, o hábito de fumar, a existência de diabetes aumentam a chance de problemas com o implante dental. Nesta matéria, discutimos apenas os RISCOS em implantes dentários, entretanto as taxas de sucesso do implante dentário são muito altas principalmente para as técnicas atuais da Implantodontia executada por um especialista em implante dentário. O implante dentário é um tratamento excelente, mediante boa indicação, planejamento e execução.

Venha conhecer nosso trabalho! A Clínica ImplArt tem 18 anos dedicados à implantodontia e reabilitação oral.

Implante pega doença periodontal?

Os implantes dentários podem sofrer com doença periodontal (periimplantite), e ela ocorre na maioria das vezes por causa de uma higienização oral inadequada. A doença periodontal é uma doença crônica de origem bacteriana que manifesta uma série de condições inflamatórias que afetam os tecidos gengival e ósseo que torno dos dentes.

Os implantes dentários com prótese fixa são indicados para suprir a ausência dentes, sendo capazes de devolver a estética e a capacidade mastigatória. No entanto, o paciente que passa por uma reabilitação com implantes dentários deve adotar algumas condutas para mante-los saudáveis e firmes ao longo dos anos, sendo as principais o cuidado com a higiene oral e as visitas regulares ao consultório dentário.

O que é doença periodontal?

As bactérias presentes na placa acumulada na superfície dentária é a responsável pela inflamação dos tecidos. Inicialmente ela causa inflamação das gengivas (gengivite), em casos moderados há o surgimentos de bolsas periodontais, que é quando a gengiva perde aderência e adquire o formato de bolsa.

As bolsas periodontais abrem espaço para atividade bacteriana na região abaixo da gengiva, causando inflamação e deterioração progressiva do tecido ósseo responsável pela sustentação do implantes. Essa condição quase sempre leva a mobilidade e perda do implante dentário.

Vale ressaltar que a periimplantite nem sempre é causada por problemas de higienização oral inadequada, portanto é essencial que o o paciente retorne ao consultório para avaliações periódicas dos implantes. Ela deve ocorrer cerca de uma vez por ano ou a critério do dentista. Em muitos casos, somente o olhar profissional do dentista é capaz de identificar problemas com os implantes ainda em fase inicial.

Paciente com história desta doença pode receber implantes dentários?

Nesses casos, os implantes são indicados com bastante critério. Antes de pensar na cirurgia da colocação de implantes dentários, o cirurgião implantodontista, junto com o periodontista, se concentram em paralisar a infecção. A região afetada por doença periodontal é previamente preparada com uma limpeza profissional.

Esse procedimento não traz desconforto ao paciente, porque é realizado sob anestesia local. Também pode ser prescritos antibióticos para controle e prevenção de infecções. Conheça a ImplArt Odontologia com estrutura e equipe especializada em implantes dentários. Agende uma consulta, ficaremos felizes em recebê-lo!

Fatores de risco para periodontite

A periodontite é a principal causa de perda de dentes em adultos

A periodontite é uma doença crônica de origem bacteriana que manifesta uma série de condições inflamatórias que afetam os tecidos gengival e ósseo que torno dos dentes. É a principal causa de perda dentária, principalmente em adultos.

As bactérias presentes na placa que se acumula na superfície dentária são responsáveis pela inflamação dos tecidos. Inicialmente causam inflamação das gengivas (gengivite). Em casos moderados surgem bolsas periodontais, que é quando a gengiva perde aderência e adquire o formato de bolsa.

As bolsas periodontais abrem espaço para atividade bacteriana na região abaixo da gengiva causando inflamação assim como deterioração dos tecidos de sustentação dos dentes (cemento, ligamento periodontal e osso).

Essa condição quase sempre leva à mobilidade e perda dos dentes. Existem alguns fatores de risco para o surgimento e agravamentos dessas doenças, por exemplo:

Acúmulo de placa bacteriana e tártaro piora a periodontite

A placa bacteriana é um filme viscoso e transparente que se forma nos dentes, próximo à linha da gengiva. As toxinas liberadas pelas bactérias inflamam e irritam a gengiva, que pode ficar vermelha e sangrar. O tártaro é quando essa placa se torna endurecida (cálculo de cor amarelado ou esbranquiçado) e só pode ser removida por profissional. Quando a gengiva fica frouxa, expõe a raiz e poderá haver acúmulo de cálculo nessa região. A atividade bacteriana nessa região leva a deterioração gradual do osso em torno do dente.

Medicamentos

Alguns medicamentos podem interferir na saúde bucal e favorecer o surgimento de doença periodontal ou dificultar a sua cura. As principais classes desses medicamentos são: anticoncepcionais, antidepressivos, anticonvulsivos, anti-hipertensivo, alguns utilizados para tratamentos de problemas cardiovasculares e medicamentos para evitar rejeição de órgãos em transplantados. É importante que o paciente comunique ao dentista qualquer medicamento que esteja tomando.

Baixa imunidade

O paciente nessa condição, na maioria dos casos em decorrência da AIDS ou da quimioterapia, tem mais dificuldade de responder a processos infecciosos e dessa maneira são mais suscetível ao avanço da doença periodontal.

Diabetes e periodontite

O diabetes pode causar dificuldade de cicatrização, alterações da circulação sanguínea e a queda da imunidade. O paciente diabético tem mais chance de sofrer com periodontite do que o não portador da doença.

Saiba mais sobre substituição de dentes com doença periodontal por implantes

Maus hábitos e condições funcionais

Fumo – o fumo diminui a vascularização e consequentemente a oxigenação das células. Essa condição dificulta a resposta que o organismo deve ter sobre qualquer foco de infecção. Além disso, dificulta processos cicatriciais e reduz a salivação (fundamental para remover e combater bactérias nos dentes). Leia mais sobre os males do cigarro para os dentes e saúde bucal.

Nutrição deficiente – a falta de ingestão de variados nutrientes, como a vitamina C, pode diminuir a resistência imunológica e favorecer infecções orais.

Higienização oral precária – a correta escovação é a melhor forma de remover resíduos alimentares que eventualmente ficam aderidos aos dentes e gengivas. O acúmulo desses resíduos serve de “alimento” para as bactérias. Alem da correta escovação, é recomendado o uso do fio dental e enxaguantes antissépticos.

Deixar de visitar o consultório odontológico regularmente – as visitas são fundamentais para identificação de problemas em estágio inicial e para realização de limpeza profissional profilática.

Bruxismo – o hábito de ranger e apertar os dentes podem acelerar o processo de destruição das estruturas óssea e gengivais com doença periodontal ativa.

Má oclusão e dentes tortos – condições que podem favorecer o acúmulo de resíduos alimentares nos dentes e dessa forma dificultar a sua remoção.

Causas emocionais

Estresse – O indivíduo estressado pode ter alteração na resposta imunológica diante de quadros infecciosos. A tensão também pode favorecer o bruxismo.

Fatores genéticos

Existem pessoas que tem predisposição genética a ter doença periodontal, ainda que mantenha bons hábitos de higiene oral e visitando regularmente o dentista. É possível fazer um teste para encontrar o marcador genético que influencia a periodontite.

Fatores hormonais

Gravidez – Durante a gravidez há alteração hormonal intensa e o organismo da mulher pode demorar a responder diante de quadros infecciosos. Além disso, existem estudos que demonstram que periodontite podem influenciar num parto prematuro.

Puberdade e menopausa – Como ocorre por exemplo na gravidez, a puberdade e a menopausa são fases de intensas mudanças hormonais que podem deixar o organismo mais suscetível a infecções.

Periodontite deve ser tratada e controlada

Então conheça a ImplArt Odontologia com estrutura e equipe especializada. Agende uma consulta, ficaremos felizes em recebê-lo!

Copyright ImplArt Odontologia 2009 - 2020

CRO-SP 9993 

 

R. Cincinato Braga, 37 - conj. 112

Bela Vista - São Paulo-SP - Brasil

CEP 01333-011