Tag: outros

aparelhos ortodônticos modernos e estéticos tratamento ortodôntico rápido aparelho ortodôntico estético

Aparelhos ortodônticos – Dúvidas frequentes

O que é um tratamento ortodôntico?

O tratamento com aparelhos ortodônticos tem o objetivo de corrigir ou prevenir a má oclusão dentária (causada por dentes desalinhados, apinhados, encavalados, separados em demasia, pela mordida cruzada, aberta ou fechada, entre outros), através de aparelhos fixos ou móveis, que exercem uma determinada força em cada um dos dentes a fim de posiciona-los corretamente.

Como ocorre a movimentação dentária com aparelho fixo?

O aparelho ortodôntico fixo é composto basicamente por um fio metálico que é preso a pequenas peças chamadas bráquetes, que são coladas aos dentes. Esse conjunto exerce uma determinada força sobre os dentes com o objetivo de posiciona-los corretamente. Essa força é ajustada gradualmente pelo ortodontista no consultório. Cada paciente recebe um planejamento personalizado que determina a força aplicada sobre cada um dos dentes e também a frequência de visitas que o paciente deve fazer ao consultório para realizar os ajustes.

O que se espera ao final de um tratamento ortodôntico?

A boa oclusão dentária, que não é só um fator importante para a aparência da pessoa, mas principalmente para a saúde, porque evita problemas mais sérios no futuro.

Como saber se eu preciso de um tratamento ortodôntico? Quais são os sinais?

Visualmente é fácil identificar quando uma pessoa precisa de tratamento ortodôntico, que é quando seus dentes estão desalinhados. Mas existem outros sinais que podem apontar a necessidade de um tratamento ortodôntico, como problemas para respirar, dores ou estalos de articulação temporomandibular, bruxismo, cáries e acúmulo de placa bacteriana, entre outros. Algumas dessas necessidades só podem ser identificadas pelo olhar de um profissional, por isso a importância das visitas regulares ao dentista.

Sou adulto, vou ficar com aparência de adolescente usando aparelho?

Não, se não quiser. Hoje em dia existem diversos aparelhos ortodônticos fabricados com materiais mais discretos. Vamos conhece-los melhor a seguir.

Eu vou sentir dor durante o tratamento?

Isso é relativo, pois depende do tipo de aparelho. Com aparelhos convencionais os episódios doloridos são relatados com mais frequência do que com aparelhos modernos (vamos conhecer melhor esses modelos a seguir). Porém essa sensibilidade costuma ser percebida apenas nos primeiros dias após ao ajuste executado pelo ortodontista, o que é perfeitamente normal.

A dor é um indicativo de eficiência no tratamento?

Como escrito anteriormente, sentir dor ou sensação de aperto nos primeiros dias após o ajuste é normal, isso porque o aparelho está fazendo uma pressão sobre os dentes a fim de posiciona-lo. É uma condição temporária, necessária para se obter um grande benefício para toda a vida. Portanto podemos afirmar que essa sensação é um sinal de que o trabalho está sendo eficaz.

Quais são os materiais utilizados na confecção de aparelhos ortodônticos?

Nos aparelhos ortodônticos convencionais, tanto fio, como bráquetes normalmente são confeccionados em metal. O fio é preso aos bráquetes por pequenas borrachinhas de látex. Alguns modelos de aparelhos convencionais são fabricados com materiais mais discretos, com bráquetes e borrachinhas transparentes ou com tonalidade próxima à dos dentes naturais (policarbonato, safira ou cerâmica).

Aparelho convencional metálico com borrachinhas

Aparelho convencional estético

Já os aparelhos mais modernos, os chamados aparelhos autoligados, podem ser confeccionados inteiramente em metal, ou parcialmente metálico com bráquetes estéticos de tons claros (fabricados em safira ou cerâmica).

Aparelhos autoligados metálicos

Aparelho autoligado estético

Aparelho autoligado estético-metálico

Existem também os aparelhos ortodônticos em forma de placas alinhadoras, são confeccionadas em termoplástico médico com alto grau de biocompatibilidade.

Placa alinhadora transparente

Esses materiais podem causar alergia ou algum dano ao organismo?

Aparelhos ortodônticos de procedência garantida e fornecidos por profissionais sérios são concebidos para não causarem nenhum dano à saúde do paciente, apenas benefícios, porém as pessoas alérgicas ao látex ou níquel devem informar essa condição ao ortodontista antes de iniciar o tratamento, para que o profissional verifique as alternativas disponíveis.

O que é aparelho ortodôntico convencional?

Aparelho formado por fio, bráquetes e borrachinhas de látex. Bráquetes são as pecinhas coladas aos dentes e servem para suportar o fio que faz a pressão nos dentes. As borrachinhas servem para amarrar o fio aos bráquetes.

O que é aparelho autoligado?

Aparelho composto por fio e bráquetes. Esse modelo dispensa o uso de borrachinhas, porque o fio passa por canaletas presentes nos bráquetes e fica preso por pequenas tampinhas. O tratamento com aparelho autoligado costuma ser mais rápido e mais confortável do que com aparelhos convencionais. Saiba mais clicando aqui.

O que é aparelho estético?

Aparelho ortodôntico com bráquetes, fio e/ou borrachinhas transparentes ou de tonalidade aproximada à dos dentes ou placas transparentes. Costumam ser a escolha dos pacientes adultos porque é mais discreto.

O que é placa alinhadora transparente?

Aparelho ortodôntico em forma de placa transparente e com o mesmo desenho dos dentes. O tratamento consiste no uso sequencial de placas alinhadoras com pequenos ajustes entre elas (chamados attachments), que fazem o reposicionamento gradual dos dentes.

Os bráquetes de porcelana ou de safira mancham?

Não, estes materiais são resistentes a manchas.

Como é feita a escolha do tipo de aparelho ideal?

Existe atualmente uma grande variedade de aparelhos ortodônticos que se diferenciam por materiais de composição, função e forma. A escolha do modelo nem sempre está condicionada à vontade do paciente. A indicação do aparelho ideal é feita pelo ortodontista depois de uma criteriosa avaliação da complexidade de cada caso, e somente aí é apresentado ao paciente os modelos disponíveis para escolha.

O que é contenção e porque ela é necessária ao término do tratamento ortodôntico?

A contenção é uma técnica realizada para complementação do tratamento ortodôntico. É feita com aparelho móvel ou fixo e tem objetivo de manter o resultado do tratamento ortodôntico. Isso porque os tecidos ósseos, gengivais e fibras precisam de um tempo para se readequarem a nova posição dos dentes, e se a contenção não for feita, há a tendência de os dentes retornarem à posição que estavam antes do tratamento ortodôntico.

O aparelho ortodôntico é difícil de limpar?

Depende do tipo de aparelho. Aparelhos convencionais precisam de mais atenção com relação à higiene oral, já que as borrachinhas e os bráquetes podem reter partículas de alimentos, causando mau hálito, o surgimento de placa bacteriana e até cáries. Aparelhos autoligados são mais fáceis de limpar, justamente pela ausência de borrachinhas. Já as placas alinhadoras são removíveis, portanto, permitem ao paciente que ele as retire para se alimentar e para higieniza-las.

Meus dentes ficarão manchados depois de finalizado o tratamento?

Essa é uma possibilidade e está mais condicionada à forma que o paciente realiza a sua higienização bucal durante o tratamento e se ele comparece as consultas para profilaxia preventiva. De qualquer forma, é perfeitamente possível que o paciente realize um tratamento de clareamento dental após a finalização do tratamento ortodôntico para igualar a tonalidade dos dentes (se as manchas forem amareladas). Já se o resultado são manchas brancas (que indicaria uma descalcificação), o tratamento consiste em uma remineralização dessa superfície com produtos compostos por flúor que o ortodontista pode prescrever.

Quais exames são necessários para a avaliação ortodôntica?

A documentação ortodôntica é um apanhado de exames que o paciente deve fazer antes de iniciar o tratamento ortodôntico. Normalmente são radiografias panorâmicas, teleradiografia lateral e análise cefalométrica, fotografias intra e extra bucais, moldes de gesso ou computadorizados das arcadas, e em alguns casos, até a tomografia computadorizada. Esses exames são extremamente importantes para que se conheça a real situação das estruturas que envolvem os dentes.

Quanto tempo dura o tratamento ortodôntico?

A duração do tratamento ortodôntico é bastante variável, porque depende de alguns fatores, como a complexidade do caso, o tipo de aparelho, a resposta biológica do organismo, a colaboração do paciente, entre outros. Em uma pessoa o tratamento pode durar alguns meses, enquanto com outra pode durar alguns anos.

Qualquer dentista pode conduzir um tratamento ortodôntico?

Pelas regras do Conselho Regional de Odontologia, qualquer cirurgião Dentista com registro regularizado pode realizar tratamentos ortodônticos, mas é aconselhável que o paciente procure um Ortodontista, porque este é um especialista no assunto e costuma estar atualizado com as técnicas e novidades deste campo de atuação.

Como escolher um bom ortodontista?

  • A primeira e mais importante conduta é procurar saber se o profissional está devidamente registrado e ativo no Conselho Regional de Odontologia. Essa informação pode ser encontrada no site do CRO de sua região.
  • Procurar saber se o Dentista é realmente um Ortodontista, ou seja, se ele cursou especialização em Ortodontia. Essa informação pode ser encontrada no site do CFO.
  • Perceba se o profissional parece interessado no seu caso e procura responder todos os questionamentos. O tratamento ortodôntico é um assunto sério e é perfeitamente compreensível que o paciente tenha muitas dúvidas antes de inicia-lo.
  • Verificar se o profissional pede a realização da documentação ortodôntica antes de iniciar o tratamento.

O resultado do tratamento ortodôntico é definitivo?

Espera-se que sim. O Ortodontista que é sério e tem conhecimento no assunto, trabalha para que o resultado do tratamento ortodôntico seja o mais satisfatório possível. Ainda assim, existem algumas variáveis que fogem do controle profissional, que são alguns hábitos do paciente e a resposta do organismo (que é diferente em cada indivíduo).

Quando é necessário fazer extração para tratamento ortodôntico?

Em alguns casos, o ortodontista pode identificar a necessidade de realizar a extração de um ou mais elementos dentários para abrir espaço para o reposicionamento dos dentes vizinhos. Espera-se que esses espaços das extrações sejam completamente fechados no reposicionamento. A extração de elementos dentários para ortodontia é assunto complexo que deve ser tomado com base na análise dos exames da documentação ortodôntica e com uma boa conversa entre ortodontista e paciente.

O aparelho pode causar cáries, placa, tártaro e problemas periodontais?

Sim, se o paciente for negligente com a higienização oral e não comparecer as consultas para profilaxia preventiva. Os aparelhos ortodônticos podem reter partículas alimentarem em torno dos bráquetes e borrachinhas, e se não forem muito bem limpos podem ajudar no acúmulo de placa bacteriana, causar mal hálito e em casos mais sérios, até desencadear cáries.

O que fazer se um bráquete cair ou o fio se soltar?

Procurar o mais rápido possível o profissional que está conduzindo o tratamento.

O que é um implante ortodôntico?

Os implantes ortodônticos (implantes palatinos, mini implantes e mini placas) são eventualmente instalados para ancoragem temporária nos tratamentos ortodônticos. São utilizados para intrusão de dentes anteriores, intrusão molar e verticalização de molares. A colocação é feita com anestesia local e o posicionamento é determinado através da documentação ortodôntica.

Tenho implante(s) dentário(s), posso fazer tratamento ortodôntico?

O implante dentário não pode ser movimentado por aparelho ortodôntico, pois esse não possui ligamento periodontal (estrutura necessária para movimentação dentária). Porém, o paciente que ainda tem os dentes naturais pode passar por tratamento ortodôntico, desde que não haja aplicação de força sobre o elemento do implante.

Quais são os problemas que podem surgir com o uso de aparelhos ortodônticos falsos?

Esse é um assunto importantíssimo. Nos últimos tempos, tem surgido pessoas vendendo aparelhos falsos pela internet ou em lojas que nada tem a ver com a Odontologia. As pessoas que instalam esses aparelhos falsos correm muitos riscos para a saúde bucal, como o surgimento de doenças periodontais, mal posicionamento dos dentes e até mesmo a perda dos elementos dentários, e para a saúde geral, já que esses materiais não têm procedência segura e podem ser tóxicos para o organismo.

Se você ficou com mais alguma dúvida entre em contato conosco ou agende sua consulta.

Dúvidas frequentes | Cirurgia de implantes

 

Selecionamos algumas dúvidas frequentes sobre cirurgia de implantes dentários 

O que existe de mágico no titânio?

Nada. É um material utilizado em ortopedia há muitas décadas. Simplesmente o titânio não sofre corrosão quando inserido no corpo humano e não apresenta fenômenos de rejeição imunológica, assim como outros metais da mesma família, como o nióbio por exemplo.

O sucesso da técnica é devido a um bom conjunto de fatores e estas características do titânio sem dúvida são positivas, mas por si não garantiriam o sucesso do procedimento.

O sucesso depende, em suma, do planejamento da técnica cirúrgica (que evita o super-aquecimento do osso), um período de cicatrização sem a colocação das próteses, e uma prótese adequada. Este protocolo para realização dos implantes possui minúcias que não podem ser desprezadas, e um profissional competente e bem treinado na técnica pode alcançar excelentes resultados. 

Qual a chance de um implante dar certo?

Estudos de longa duração demonstraram que certos tipos de implantes apresentam taxas de sucesso acima de 90% nos implantes colocados e taxas superiores a 97% de sucesso das próteses (porque a perda de um implante não significa necessariamente a perda da prótese, pois está apoiada em outros implantes).

Este índice de sucesso porém, é médio, e não vale igualmente para todas as regiões da boca. Os índices de falha em desdentados totais inferiores é próximo a 0% (zero por cento) e na região posterior da maxila, com osso pouco denso e após a colocação de implantes curtos (devido aos seios maxilares), a taxa pode chegar a 33%. 

Quero fazer um Implante mas tenho medo, o que fazer?

A instalação de um implante dentário é um procedimento muito simples. Em caso de um implante unitário, não deve levar mais do que 30 minutos. Em geral há apenas um desconforto leve após a colocação de um implante e você poderá trabalhar no dia seguinte.

A colocação do implante no osso, impressiona os pacientes, porém é importante dizer que no osso há pouca inervação para dor, sendo apenas a gengiva que traz a sensibilidade, que é facilmente controlada por meio de medicamentos. A sedação consciente pode ser usada para diminuir a ansiedade. 

Quais os riscos cirúrgicos do implante dentário?

Mínimos. A cirurgia é normalmente realizada com anestesia local e é muito menos traumática do que outros procedimentos cirúrgicos odontológicos, como a remoção de dentes inclusos. O pós-operatório é muito bom e a maioria dos pacientes não relata qualquer incomodo maior.

Existe, porém, um certo risco inerente a qualquer intervenção cirúrgica – como infecção pós-operatória, edema demasiado e alguns outros, mas em índices muito baixos e que não contra-indicam a técnica. 

Porque ocorrem as falhas?

A maioria porque o caso não é exatamente indicado para implantes. Tentar a colocação de implantes em casos não favoráveis deve ser uma opção consciente do profissional e do paciente, após a avaliação de todas as alternativas. Algumas falhas porém, ocorrem em casos aparentemente muito favoráveis e é praticamente impossível saber a causa real. 

E se o implante falhar, qual o melhor procedimento?

Pode acontecer, especialmente em áreas de osso pouco denso e que permitam apenas implantes curtos. É sem dúvida um risco do processo. A melhor alternativa é tentar novamente, principalmente se houver osso suficiente, pois o osso após a remoção do implante tende a se tornar um pouco mais denso.

O melhor é não ter pressa excessiva para resolver o problema, que é muito desagradável, mas inerente ao procedimento ainda que não ocorra freqüentemente. Normalmente em áreas de maior risco de perda o paciente deve ser convenientemente avisado previamente à cirurgia. 

Se o dentista disser que vai colocar um número X de implantes e na hora da cirurgia colocar mais ou menos implantes?

Um planejamento adequado minimiza este problema o qual pode ser discutido antes mesmo da cirurgia, pois durante o procedimento cirúrgico a participação do paciente deve ser passiva e, convenhamos não é o melhor momento para a discussão de preço e formas de pagamento.

Mesmo com planejamento podem surgir surpresas durante uma cirurgia que podem exigir atitudes do dentista. Quando necessário, coloca-se os implantes adequados e adia-se toda a discussão por assim dizer “burocrática”. 

Quanto tempo dura uma cirurgia?

Normalmente varia entre de 30 minutos e uma hora. Em casos simples o tempo pode ser de 10 minutos somente, enquanto que em casos complexos poderia durar até 2 horas. 

Devo extrair um dente natural para colocar implante?

O dente natural sempre é melhor do que qualquer prótese. Porém, em certas situações em que dentes naturais estão muito comprometidos por doença periodontal, por exemplo, pode-se aventar esta hipótese.

Um planejamento global, levantando-se todas as alternativas, inclusive custo, deve ser mandatório. Não há consenso acerca do grau no qual o comprometimento dos dentes torna a colocação de implantes mais vantajosa.

{loadmoduleid 190} 

Leia mais:

{loadmoduleid 138}

prótese de zircônia prótese de porcelana estética

Implante dentário sem enxerto ósseo

prótese de zircônia prótese de porcelana estética

Implante dentário sem enxerto ósseo: há alternativas?

O enxerto ósseo é um assunto que costuma gerar muitas dúvidas e até medo nos pacientes.

Trata-se de uma técnica indicada para reconstruir estruturas ósseas da mandíbula e maxilar quando em pacientes que apresentam pouco volume o defeitos, principalmente naqueles que desejam colocar implantes dentários. 

Entretanto todo paciente é avaliado individualmente. E hoje em dia temos novas técnicas para enxerto ósseo.

De fato, para alguns a indicação do enxerto ósseo acaba sendo inevitável, já para outros, os existem alternativas ao enxerto, tais como: 

  • Implantes curtos (pouco volume ósseo vertical)
  • Implantes de diâmetro reduzido (pouco volume ósseo horizontal)
  • Implantes de titânio reforçado Roxolid Straumann (reduzidos e mais resistentes)
  • Implante + enxerto simultâneo
  • microenxertos ósseos ou pequenos enxertos
  • Técnica “all on four” para arcada total
  • Implantes inclinados
  • Implante zigomático
  • Cirurgias guiadas com implantes curtos ou inclinados

 

Enxertos ósseos pequenos ou Microenxertos ósseos.

A ImplArt Odontologia tem a filosofia de evitar ao máximo os enxertos ósseos e domina técnicas alternativas para evitar sempre que possível sua utilização.

Ao evitar enxertos ósseos, o tratamento se torna mais rápido e paciente passa por menos etapas cirúrgicas.

Entretanto hoje em dia os enxertos ósseos são pequenos e bem restritos ao local do implante.

Antigamente se faziam grandes enxertos somente. Por isso a técnica de microenxertos é melhor e tem um pós operatório com menos dor.

Implantes Dentários sem enxerto antes e depois

O Dr. Roberto Markarian, coordenador da clínica, é um experiente especialista em implantes dentários com mais milhares implantes instalados, e casos de antes e depois de implantes.

Em virtude de grande experiência clínica e cirúrgica, a ImplArt já conseguiu atender inúmeros casos sem enxerto ósseo – que eventualmente haviam recebido indicação de enxertos ósseos por outros especialistas.

A indicação das técnicas depende de um exame minucioso do paciente, bem como de seus exames, como tomografia computadorizada e radiografias.

Se possui-los, compareça a sua consulta de avaliação com todos os seus exames.

Caso não os tenha, para sua comodidade eles poderão ser realizados em nosso centro radiológico digital dentro da clínica (custo a parte).

cirurgia de implante dentário sem enxerto

Implante dentário sem enxerto

cirurgia de implante dentário sem enxerto

Implante dentário sem enxerto ósseo: há alternativas?

O enxerto ósseo é um assunto que costuma gerar muitas dúvidas e até medo nos pacientes. Trata-se de uma técnica indicada para reconstruir estruturas ósseas da mandíbula e maxilar quando em pacientes que apresentam pouco volume ou defeitos, principalmente naqueles que desejam colocar implantes dentários.

Todo paciente é avaliado individualmente. Para alguns a indicação do enxerto ósseo acaba sendo inevitável, já para outros casos existem alternativas, tais como: 

  • Implantes curtos (pouco volume ósseo vertical)
  • Implantes de diâmetro reduzido (pouco volume ósseo horizontal)
  • Implantes de titânio puro Roxolid Straumann (reduzidos e mais resistentes)
  • Implante + enxerto simultâneo
  • Técnica “all on four” para arcada total
  • Implantes inclinados
  • Implante zigomático 

A ImplArt Odontologia tem a filosofia de evitar ao máximo os enxertos ósseos e domina técnicas alternativas para evitar sempre que possível sua utilização. Ao evitar enxertos ósseos, o tratamento se torna mais rápido e paciente passa por menos etapas cirúrgicas. O Dr. Roberto Markarian, coordenador da clínica, é um experiente especialista em implantes dentários com mais milhares implantes instalados.

Devido à grande experiência clínica e cirúrgica, a ImplArt já conseguiu atender inúmeros casos sem enxerto ósseo – que eventualmente haviam recebido indicação de enxertos ósseos por outros especialistas.

A indicação das técnicas depende de um exame minucioso do paciente, bem como de seus exames, como tomografia computadorizada e radiografias. Se possui-los, compareça a sua consulta de avaliação com todos os seus exames. Caso não os tenha, para sua comodidade eles poderão ser realizados em nosso centro radiológico digital dentro da clínica (custo a parte).

{loadmoduleid 190}

Leia mais:

{loadmoduleid 151}

Resp. Técn. Dr. Roberto Markarian - CRO SP 73.583

Endereço

R. Cincinato Braga, 37 - conj. 112 (11º andar) - Bela Vista - São Paulo/SP - CEP 01333-011

Atendimento

Seg. a Sex. 08:30 - 19:30

Sábado 08:00 - 13:00

Copyright ImplArt Odontologia 2009 - 2019.