Tag: sinais

Implantes podem pegar doença periodontal?

Sim, implantes dentários podem ser acometidos por doença periodontal. Isso se chama periimplantite e deve ser evitada ou controlada logo no início, porque ela pode representar a mobilidade ou a perda dos implantes. A periimplantite é uma infecção que atinge os tecidos ósseo e gengival que suportam os implantes.

Implantes dentários com infecção – Periimplantite

Surge principalmente em decorrência de uma higienização oral inadequada, que com isso microrganismos patogênicos se infiltram no osso em torno do implante, causando inflamação. Em casos mais graves, a inflamação destrói o osso de suporte do implante que poderá ficar mole e até mesmo cair. Alguns sinais da periimplantite:

Portanto, é extremamente importante que a periimplantite seja evitada. A melhor forma de impedir esse quadro é com cuidado redobrado com a higiene oral, tanto que o paciente é orientado sobre isso assim que passa pela cirurgia. Existem instrumentos que ajudam o paciente usuário de implantes dentários a cuidar melhor dos dentes e das próteses, que vão desde escovas com formatos especiais até enxaguantes específicos.

O que fazer em casos de doença Peri-implantar

Também é extremamente importante que o paciente nunca deixe de realizar as visitas regulares ao consultório, porque somente o cirurgião implantodontista é capaz de reconhecer a periimplante aos primeiros sinais. Além disso, ele tem o amparo de exames radiológicos para um diagnóstico mais preciso. Procure imediatamente o consultório caso apareçam algum dos sinais acima citados.

Leia mais: implantes com problemas: o que fazer?

Tratamentos para a infecção do implante dentário

O tratamento da periimplantite depende do estágio da doença. Veja algumas das condutas adotadas:

  • Remoção de placa bacteriana aderida nos dentes naturais (se houver) e na prótese dentária.
  • Descontaminação do implante.
  • Controle da infecção microbiana local. A ImplArt utiliza um aparelho de laserterapia com o recurso da terapia fotodinâmica que tem ação antimicrobiana no tratamento da periimplantites.
  • Em caso de perda óssea, é realizado um enxerto para estimular a regeneração óssea em torno do implante (feito somente depois do controle da infecção para evitar retorno da doença). Se não houver perda óssea significante, a gengiva é fechada logo após a descontaminação do implante.
  • Em casos em que há a perda do implante, o enxerto ósseo é feito sem o implante. Ele só será reimplantado depois da regeneração óssea e o paciente usará uma prótese provisória nesse intervalo.
  • Exames radiológicos são necessários para acompanhar o processo de regeneração óssea pós-enxerto.

Em caso de dúvidas sobre tratamentos periodontais, valor, condutas, agende uma consulta ou entre em contato conosco. Ficaremos felizes em atendê-lo.

Periodontite juvenil pode ser grave

A periodontite juvenil é uma doença de origem bacteriana caracterizada pela inflamação gengival (em casos iniciais). Ou pela formação de bolsas gengivais e perda óssea (em casos moderados) e mobilidade e perda do dente (em casos mais graves). Normalmente, ela atinge normalmente apenas um dente e possui uma progressão rápida.

Entretanto, em algumas situações, sua manifestação acontece de forma mais rápida, que é mais comum em pessoas que estão entrando na puberdade até a idade adulta. Bolsas profundas e perda óssea rápida são características desse tipo de periodontite.

consequencias da Periodontite Juvenil

Nos jovens, ela considerada um tipo de doença periodontal severa que se manifesta no início do período de puberdade e destrói, principalmente, o periodonto de sustentação, um ligamento periodontal. A doença é crônica e inflamatória e pode causar uma grande destruição óssea.

Ela pode afetar os dentes de duas formas: localizada (afeta os primeiros molares e os incisivos permanentes), e generalizada (afeta outros dentes além dos citados). A periodontite infantil é mais comum em crianças saudáveis, entre 11 e 13 anos, especialmente em meninas.

Os sinais de manifestação não são totalmente visíveis. A gengiva apresenta textura e cor normais e a existência de placa é pequena em comparação ao grau de destruição óssea que já pode ter ocorrido.

A periodontite também pode afetar adultos acima dos 20 anos com rápida progressão e pessoas com mais de 30 anos em forma crônica. A melhor forma de prevenção é manter as idas periódicas ao dentista. Somente ele pode encontrar sinais da doença antes que ela se torne mais grave.

Copyright ImplArt Odontologia 2009 - 2020

CRO-SP 9993 

 

R. Cincinato Braga, 37 - conj. 112

Bela Vista - São Paulo-SP - Brasil

CEP 01333-011