Doenças sistêmicas que contraindicam implantes

O bom estado geral de saúde do paciente é requisito fundamental para colocação de implantes dentários, e mais do que isso, mantê-los firmes para executarem bem suas funções ao longo dos anos. Um cirurgião implantodontista sério tem, antes de qualquer coisa, uma conversa com o paciente a fim de assegurar que ele é um bom candidato a passar por essa cirurgia e que essa seja bem sucedida.

A princípio, algumas doenças sistêmicas contra indicam esse tipo de cirurgia. Entre elas estão a diabetes, hipertensão, osteoporose e hiv. Mas a boa notícia é que, em alguns casos, havendo controle da doença, a cirurgia pode ser realizada com grandes chances de sucesso. Conheça a seguir como cada uma dessas doenças se comporta diante do implante dentário e como a implantodontia se posiciona. 

Diabetes

Como é conhecido, pacientes portadores de diabetes mellitus tipo 2 não controlada têm dificuldade no processo de cicatrização e maior propensão a infecções após alguma cirurgia. A osseointegração com implante dentário é um processo cicatricial fundamental para sucesso da cirurgia. É através dela que o implante se mantém firme no osso da mandíbula ou maxilar ao longo dos anos.

Portanto, em pacientes diabéticos com dificuldade de cicatrização, o processo de osseointegração pode não ocorrer da maneira que se espera e a cirurgia para colocação de implantes dentários não é recomendada. Porem existem estudos recentes que demonstram que em pacientes diabéticos com glicemia muito bem controlada, o processo de osseointegração ocorre normalmente e a colocação de implantes dentárias pode ser indicada, desde que haja acompanhamento e que o paciente realize exames complementares antes e depois da cirurgia (principalmente glicemia e coagulograma). 

Hipertensão e doenças cardíacas

A mesma regra pode ser aplicada para pacientes hipertensos. A cirurgia para colocação de implantes dentários pode ser realizada em pacientes hipertensos, desde que a pressão esteja controlada. Pacientes com alguma cardiopatia grave e que fazem uso de medicamento anticoagulante deve ser bem analisado antes de receber a indicação de implantes dentários. Em ambos os casos, o cirurgião implantodontista, antes de qualquer coisa, conversa com o paciente a fim de identificar os hábitos do pacientes e pede exames complementares para averiguar a possibilidade da indicação da cirurgia, bem como a expectativa pelos resultados. 

Osteoporose

A osteoporose é uma enfermidade que compromete a densidade óssea, portanto contra indica a colocação de implantes dentários (que dependem de boa qualidade óssea para se fixarem). No entanto, o cirurgião implantodontista pode pedir um exame para confirmar a densidade óssea do paciente, e dependendo do caso, fazer a indicação dos implantes dentários com cautela. Pacientes do sexo feminino portadoras de osteoporose podem realizar um tratamento complementar com reposição hormonal e cálcio para melhorar a densidade óssea. 

Conheça mais dúvidas frequentes sobre implantes dentários 

HIV+

Implantes dentários realizados em paciente HIV soropositivo tem se mostrado eficientes. Neste caso, o cirurgião implantodontista também pede exames complementares para avaliar o estado de saúde do paciente e a qualidade óssea da região que vai receber o implante para fazer uma indicação segura. 

A ImplArt Odontologia é composta por profissionais especialistas em implantes dentários, tendo realizado milhares de procedimentos com resultados muito satisfatórios. Venha nos fazer uma visita!

{loadmoduleid 190} 

Leia mais:

{loadmoduleid 140}

antes, cirurgia, cirurgião, colocação, como, complementares, dentários, doenças, implante, implantes, implantodontista, indicação, óssea, osseointegração, osteoporose, paciente, pacientes, para, pode, processo

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Resp. Técn. Dr. Roberto Markarian - CRO SP 73.583
Endereço
Rua Cincinato Braga, 37 - 11º andar - cj. 112
Bela Vista - São Paulo/SP CEP 01333-011
Telefones
Copyright ImplArt Odontologia 2009 - 2019.