Tag: problema

Dentes impactados: como tratar?

Os dentes impactados são aqueles que não conseguiram atingir a cavidade bucal por falta de força de irrupção ou por não romperem a camada fibrosa. Também conhecido como dente encravado ou incluso, eles também podem ter estágios intermediários como semi impactados ou semi inclusos, em que eles não estão parados no osso, mas também não tiveram forças para nascer.

Normalmente esse problema ocorre por causa da falta de espaço na arcada dentária, que pode acontecer devido à perda prematura dos dentes de leite ou por deficiência de crescimento ósseo. Os terceiros molares, inferiores e superiores, e os caninos superiores são os dentes que mais sofrem com essa situação.

A imperfeição pode afetar a saúde bucal do paciente quando diagnosticada tardiamente. A mordida pode ficar desalinhada por causa do dente impactado e ele também pode empurrar os outros dentes. Outro possível problema é a reabsorção da raiz do dente que está mais próximo a ele.

Uma vez que o dentista identifica a condição do paciente, o início do tratamento deve ser rápido e eficaz para evitar que outros dentes sejam afetados. Quando não é possível salvar o dente impactado, o primeiro passo é removê-lo. Quanto antes a cirurgia for feita melhor, para evitar que novas complicações afetem o procedimento.

Em seguida, o espaço que seria ocupado por esse dente pode receber um implante dentário. Ele vai realizar as mesmas atividades que o dente impactado teria que fazer. Em todos os casos, o especialista vai determinar qual a melhor conduta e o cronograma do tratamento.

Agenesia: diagnóstico precoce é a melhor prevenção

A agenesia é caracterizada pela ausência de um ou mais dentes e pode se apresentar de duas formas: ausência de poucos dentes (hipodontia) ou total de dentes (anodontia). O problema não acontece com muita regularidade, mas, quando ocorre, afeta principalmente os terceiros molares (sisos), nos incisivos laterais superiores e pré-molares, da fala.

Incidência da agenesia dentária

Segundo estudos, a agenesia dentária afeta cerca de 7% da população mundial. Fatores infecciosos, nutricionais ou traumáticos podem estar relacionados com as causas. Entretanto, a principal responsável é a hereditariedade, o que torna difícil qualquer manobra de prevenção. O diagnóstico é baseado em radiografia e exames clínicos.

Tratamentos para a agenesia dos dentes

O tratamento para o problema é a reposição do dente ausente através do implante dentário ou de um aparelho odontológico. Os casos são muito variáveis e o dentista precisa encontrar a melhor forma de tratar cada paciente. Em alguns, somente com o aparelho é possível chegar ao resultado desejado.

canino na posição do incisivo lateral
Neste caso houve agenesia do incisivo lateral. Por isso o canino migrou para a posição do incisivo lateral. Esta não seria a melhor solução para o caso de agenesia dos laterais superiores, pois o canino deslocado tratamento problemas estéticos e funcionais.
Tratamento com lente de contato dental

Em situações mais graves, o implante também é utilizado. Uma das peças chaves para o tratamento da agenesia é o diagnóstico precoce. O tratamento pode ser feito em pessoas com qualquer idade, mas tudo fica mais fácil com as crianças, que ainda não possuem a formação dentária completa e a mobilidade é maior.

Causas do mau hálito, como descobrir o motivo

O mau hálito certamente pode acometer qualquer pessoa. Odores desagradáveis provenientes da boca ou através da respiração podem atrapalhar o dia-a-dia e complicar relações e compromissos cotidianos. Esse problema afeta ou já afetou cerca de 60% da população mundial.

O que causa o meu mau hálito ?

Molho picantes, alho, cebola são alguns alimentos que podem causar o mau hálito ou halitose. O odor desses produtos pode até chagar à pele ou então ser expelido pelo ar dos pulmões. Mas o pior cheiro, em 90% dos casos, vem dos resíduos alimentares acumulados durante o dia. Não escovar os dentes após as refeições e o famoso cafezinho são fatores que favorecem o aparecimento do problema.

Placas na gengiva também podem piorar o efeito da halitose. O acúmulo de alimentos pode acabar em uma fermentação que leva a proliferação das bactérias. Também pode acontecer a liberação de “farelinhos” mal-cheirosos, a amigdalite caseosa. A bactéria que está na boca e se mistura com esses alimentos é uma das maiores razões do mau hálito. Elas ficam localizadas na parte anterior da língua, com a formação de um muco esbranquiçado.

A saliva, que contém muito oxigênio, ajuda a combater essas bactérias que normalmente vivem em ambientes que possuem pouco oxigênio. Para combater a halitose, o paciente deve escovar os dentes e a língua após todas as refeições, usar fio dental e fazer um bochecho e um gargarejo.

Com combater o mau hálito

Uma alimentação rica em cenoura, maçã e alimentos que contêm fibras ajuda na limpeza na área dos dentes que fica na linha das gengivas. Beber água regularmente e manter visitas periódicas ao dentista também são sem dúvida essenciais para evitar o problema.

Retração gengival, cuidados e tratamentos

A retração gengival acontece quando o tecido gengival se retrai, deixando a raiz do dente exposta e causar sensibilidade dentária. Esse problema pode surgir devido à escovação inadequada, que é quando a pessoa aplica muita força contra os dentes e usa escovas com cerdas duras. Isso causa a remodelação mecânica do tecido gengival.

As causas da Retração gengival

Em uma anatomia normal da gengiva, temos tecidos rosados e saudáveis, denominados gengiva inserida, gengiva livre, a papila interdental e a mucosa oral.

A gengiva inserida possui um tecido rosa mais forte e espesso com aspecto de casca de laranja, que circunda o dente e é aderido pelo tecido ósseo.

Também existe a gengiva não inserida (mucosa), um tecido fino, macio e com grande mobilidade que compõe a parte interna das bochechas e dos lábios.

gengiva saudavel retração
Estruturas anatômicas normais de uma gengiva saudável

Dentes apinhados, inflamações por causa de placa bacteriana, movimentos ortodônticos errados, posição alta do freio labial são algumas das causas da retração gengival. Pouca espessura do osso que recobre a raiz, restaurações desajustadas na região gengival e trauma dental são outras. A hereditariedade e o mau posicionamento dentário também são fatores de risco.

Retração gengival: tratamento

Para tratar a retração gengival, o dentista especializado em periodontia fará uma limpeza profissional, ajuste oclusal, removendo o excesso de materiais restauradores até corrigir o dente. Essa correção é feita com o uso de aparelho ortodôntico. Em casos mais sérios, uma cirurgia gengival pode ser indicada.

retração gengival e abfração
Aspecto de uma retração gengival e abfração dentária (lesão no esmalte e raiz do dente).

Trata-se do reposicionamento da gengiva para recobrir a porção da raiz dentária exposta ou utilizar a técnica de enxerto gengival com parte da gengiva retirada do palato (céu da boca). Outros procedimentos também ajudam a criar mais gengiva inserida para prevenir a progressão da retração e ajudar na regeneração e restabelecimento da cobertura da raiz.

O osso que segura o dente também deverá ser analisado na consulta com o cirurgião-dentista para ver se não há danos. Caso a sustentação do dente esteja afetada há casos extremos em que a extração dentária e implante dental são indicados.

Fatores para o sucesso do cirurgia para a retração da gengiva

O sucesso da cirurgia gengival para retração depende da gravidade do problema. Assim como da idade da pessoa, capacidade de cicatrização, espessura da gengiva, e outros fatores como o consumo de cigarro e hábitos de higiene oral. Mas, ações simples do dia-a-dia podem evitar esse problema.

Como evitar a retração das gengivas

As principais dicas para prevenir a retração gengival são: fazer visitas periódicas ao dentista, não escovar os dentes em excesso ou com muita força, usar uma escova com cerdas macias assim como usar o fio dental regularmente.

Para manter essa rotina dental, o paciente precisa ser disciplinado e se lembrar de que pequenos atos hoje podem influenciar o futuro de sua saúde bucal.

Copyright ImplArt Odontologia 2009 - 2020

CRO-SP 9993 

 

R. Cincinato Braga, 37 - conj. 112

Bela Vista - São Paulo-SP - Brasil

CEP 01333-011