Periodontite pode levar à perda dos dentes

A doença periodontal ou periodontite é uma doença inflamatória que pode afetar o tecido gengival e o osso em torno dos dentes. Existem três estágios da doença: gengivite, periodontite e periodontite avançada. Surge principalmente pelo acúmulo de placa bacteriana e tártaro nos dentes e se não houver controle da doença, com o tempo ela pode levar à deterioração dos tecidos de suporte e sustentação dos dentes.

Consequências da periodontite nos dentes

Em casos avançados, os dentes que perdem suporte amolecem e quase sempre têm indicação para extrações. Podem haver ainda mudanças na mordida e posição dos dentes, gerando problemas na oclusão.

A melhor forma de reabilitar a estética e a função oral depois das extrações, é a substituição por implantes dentários e próteses dentárias. Os implantes de titânio têm o objetivo de criar novas raízes para dar suporte a prótese dentária, que pode ser unitária, com alguns elementos ou de arcada completa.

Mas atenção porque os implantes dentários também podem pegar as mesmas bactérias periodontais dos dentes. Porém o implantodontista tem meios de evitar que isto ocorra, ou pelo menos diminuir essa chance.

A periodontite e seus tratamentos

O tratamento para substituição de dentes severamente comprometidos pela doença periodontal por implantes dentários começa com a extração dentária, limpeza dos tecidos ósseos e tratamento da inflamação gengival.

Em alguns casos é possível realizar a colocação dos implantes no mesmo dia da extração dentária, mas isso depende da situação em que o paciente se encontra. São avaliados a saúde geral e bucal, e maus hábitos, como má higienização e o tabagismo).

Algumas pessoas que tiveram perda óssea pela periodontite podem precisar de reconstrução óssea através de enxerto ósseo, antes de colocar os implantes dentários. O dentista prescreve antibióticos e anti inflamatórios antes e depois da colocação dos implantes para ajudar no controle da doença e para preservar a saúde dos implantes recém colocados.

O paciente recebe orientação com relação a alguns hábitos, como a higienização oral e o fumo. É recomendado que o paciente fumante e com histórico de doença periodontal tente parar de fumar, porque o tabagismo favorece a periodontite e o prejuízo dos tecidos de suporte dentário e dos implantes.

Sinais e sintomas dos problemas periodontais

Sintomas comuns da doença periodontal em estágio inicial (reversível – possibilidade de manter o dente) e avançados (irreversível – impossível manter o dente):

  • Acúmulo de placa bacteriana e tártaro
  • Sangramento da gengiva durante a escovação ou com uso de fio dental
  • Inchaço, vermelhidão ou dor nas gengivas
  • Retração da gengiva
  • Mau hálito
  • Gosto ruim na boca
  • Surgimento de bolsas periodontais (gengiva frouxa)
  • Aparecimento de pus e secreções nas gengivas
  • Dor para mastigar
  • Sensibilidade exagerada com alimentos quentes ou frios
  • Dentes moles
  • Perda dos dentes
  • Perda óssea

A raspagem gengival e o controle periodontal

O tratamento para a doença periodontal é feito através do controle da infecção e da remoção da placa que possui os germes nocivos. Para remover a placa, o melhor método é a raspagem. Com essa técnica também podem ser retiradas a placa endurecida (tártaro), tecidos de granulação assim como as toxinas da gengiva.

Outra opção é o alisamento da raiz do dente, que elimina os pontos de acúmulo de germes, para que a gengiva fique mais aderida ao dente. O uso do líquido para higiene bucal com clorhexidine também é uma boa opção.

Antibióticos também podem ser prescritos para eliminar os causadores da periodontite. Caso os procedimentos não sejam suficientes, então uma cirurgia pode ser necessária. Ela consiste em uma cirurgia da gengiva, removendo o tártaro profundo e por fim uma sutura.

Em casos mais extremos em que o dente não pode ser salvo, a colocação de uma prótese ou de um implante podem ser indicados.

Periodontite juvenil pode ser grave

A periodontite juvenil é uma doença de origem bacteriana caracterizada pela inflamação gengival (em casos iniciais). Ou então pela formação de bolsas gengivais e perda óssea (em casos moderados) e mobilidade e perda do dente (em casos mais graves). Normalmente, ela atinge normalmente apenas um dente e possui uma progressão rápida.

Consequências da Periodontite Juvenil

Em algumas situações, sua manifestação acontece de forma mais rápida, que é mais comum em pessoas que estão entrando na puberdade até a idade adulta. Bolsas profundas e perda óssea rápida são características desse tipo de periodontite.

Nos jovens, ela considerada um tipo de doença periodontal severa que se manifesta no início do período de puberdade e destrói, principalmente, o periodonto de sustentação, um ligamento periodontal. A doença é crônica e inflamatória e pode causar uma grande destruição óssea.

Ela pode afetar os dentes de duas formas: ou localizada (afeta os primeiros molares e os incisivos permanentes), ou generalizada (afeta outros dentes além dos citados). A periodontite infantil é mais comum em crianças saudáveis, entre 11 e 13 anos, especialmente em meninas.

O primeiro sintoma da periodontite é a gengivite, que é quando a gengiva fica inflamada, vermelha e sangrando com facilidade. Nesta imagem já é possível observar grande retração gengival nos dentes inferiores.
Fases da doença periodontal

Os sinais de manifestação não são totalmente visíveis. A gengiva apresenta textura e cor normais e a existência de placa é pequena em comparação ao grau de destruição óssea que já pode ter ocorrido.

A periodontite também pode afetar adultos acima dos 20 anos com rápida progressão e pessoas com mais de 30 anos em forma crônica. A melhor forma de prevenção é manter as idas periódicas ao dentista. Somente ele pode encontrar sinais da doença antes que ela se torne mais grave.

R. Cincinato Braga, 37 - conj. 112

Bela Vista - São Paulo-SP - Brasil

CEP 01333-011

Copyright ImplArt Odontologia 2009 - 2020

CRO-SP 9993 

Resp. Tec. Dr. Roberto A Markarian CRO-SP 73.583